Agradando aos homens e desacatando as Escrituras – Parte II

Esta é a segunda parte da série “Agradando aos homens e desacatando as Escrituras”. Acesse aqui a Parte I.

Segundo Capítulo

 Carlos, com base no claro ensino das Escrituras, insiste em lembrar a Benício que o ardente batismo com o Espírito Santo é outorgado exclusivamente por Cristo Jesus àqueles que nasceram de novo e adoram a Deus “em espírito e em verdade”. Cristo é o Amado Batizador. Ele é exclusivo nesta outorga, porquanto o Consolador procede do Pai e do Filho (Jo. 15.26-27). Esta ardente bênção celestial é exclusiva e fortalecedora dos crentes em Cristo Jesus para o testemunho a favor de Jesus.

Este ardente batismo com/em o Espírito Santo (Lc. 3.16; At. 1.8) é outorga de poder sobrenatural e os dons espirituais não podem faltar no crente, especialmente, no ministério cristão. Este ardente batismo de fortalecimento em espírito jamais dependerá de anjo do ainda futuro juízo das sete trombetas, o que seria grande incoerência. Não querendo entender o que Carlos acabou de dizer com poucas palavras e muita propriedade, o Benício olha de esguelha para Marcelo, meneia a cabeça negativamente e torce o nariz:

– Ih! Carlos deixa pra lá… Este é o seu erro. Estou em nível superior ao seu porque eu falo no nível da revelação além da letra. Você está na letra e só fala da letra da Bíblia.

– Como é?! Benício, este assunto é muito sério… Como é que você diz: deixa pra lá?! Dizer que o anjo faz o que não tem autoridade para fazer é afronta às Escrituras e isto entristece o Espírito Santo. Ora, você está sendo cúmplice com a mentira e diz: deixa pra lá?! Você nunca leu nas Escrituras que o Espírito de Deus pode ser entristecido?

– Carlos, a convicção é minha. Manera, ai, irmão. Este assunto não me interessa. Benício foi grosseiro e na defesa da Obra continuou: – Mas se você quer saber algo que veio da eternidade somente para esta Obra, a nós foram dadas novas revelações do Apocalipse. Carlos, a Obra avança para a eternidade. Obra é Obra. Já falei mas você não quer entender.

– Mas Benício, você perdeu o discernimento. Lamento.

– Não me interrompa! Não existe erro! Nosso mestre-primaz tem provas científicas de que as três primeiras trombetas já foram tocadas… e esta matéria é ensinada e repetida nos seminários. Nunca houve uma profecia na Obra que o contrariasse. Onde está o erro? Ora, se as trombetas continuam tocando, conforme cientificamente o mestre demonstra, é lógico que o anjo do Apocalipse continua jogando do fogo do altar – símbolo do Espírito Santo – sobre a cabeça dos homens para que recebam com alegria as intervenções de Deus.

– Bem… Quanto à afirmação de que nunca houve profecia que contrariasse o seu chefe religioso não é novidade porque chefes religiosos existem para serem bajulados. Todavia, entendo que você está querendo dizer que a doutrina revelada atua no cenário de fundo dos cultos proféticos que orientam o Culto Público. Correto?

– Justamente! A prova é que a Obra cresce… cresce… Dons espirituais nunca faltam no nosso meio, é claro. Lá fora, Carlos, na Mescla é deserto, letra e teologia que dá pena! O mestre detesta teologia e está certo com a doutrina revelada. Vem e vê…

Não podendo evitar o maranatês tresloucado de Benício, Marcelo entra na conversa: – Benício, há pouco você repetiu as palavras do mestre dos mestres da ICM-Obra. Aliás, comuns em antigos discursos nos seminários do Maanaim. Bom discípulo do mestre, hein! Eu tenho cópias de publicações com esta frase e você a repetiu de cor…

– Benício, – Carlos não se contém, – então você está dizendo que o seu mestre-profeta continua ensinando que as chamas incendiárias que o anjo das trombetas do Apocalipse joga sobre a cabeça dos homens é batismo com o Espírito Santo. Certo?

– E por que não? Ele chegou a publicar essas revelações, como o Marcelo acabou de dizer. O ensino do chefe foi confirmado pela consulta à Palavra e por dons. Os dons que descem do Presbitério formam a doutrina revelada. Perdi a conta das vezes que ele ensinou este assunto nos Maanains e os dons mostravam que ele estava cercado de anjos. Outros mestres e pastores ensinam tudo de acordo com a doutrina revelada. Ta vendo, Carlos… Vem e vê!

– Então, – Evangelista intervém, – a doutrina rebelada, digo, a doutrina revelada do mestre concorda com os adventistas que marcaram datas para o retorno de Cristo. Erro em cima e erro! O pior é que vocês colocam a responsabilidade em cima de Deus, porque dizem: Ele revelou! Porém, o Espírito Eterno não contraria as Escrituras. Sai desta, irmão!

– Sai desta?! Não! Fico na Obra, – diz Benício, – porque nós temos a doutrina revelada e eu não sou guardador das heresias dos adventistas. Justamente na Obra é que não existe erro. O erro é dos homens. O mestre não erra. Se os adventistas erraram o problema é deles, não é?

– Benício, – Marcelo continua no mesmo passo, – o dominador quadragenário, formador de opinião e presidente do Presbitério ainda insiste neste ensino de batismo com o Espírito Santo ao comentar Apocalipse 8.5. Certo?

– Justamente! Agora você está começando a entender, né Marcelo? E Benício exclama com um ar de regozijo: a Obra é mestra. Obra é Obra! A Mescla não tem doutrina revelada. A Religião não tem doutrina revelada. A Teologia não tem doutrina revelada. E quanto ao batismo com o fogo do altar, a minha convicção é firme porque aconteceu comigo no Manaim…

– Mas Benício, me explique uma coisa, olhando dentro dos meus olhos: você está dizendo que enquanto o mestre ensinava você absorveu a doutrina revelada; e na hora do apelo você recebeu o batismo de anjo-que-joga-fogo-na-cabeça-de-crente. Isto não lhe parece heresia? Você já parou para pensar que a exigência da “nova aliança… pelo sangue de Jesus” se expressa em sinceridade e verdade a toda prova. Ora, o Novo testamento não permite esta grave incoerência.

– Marcelo, calma lá! Heresia, não! Incoerência, não! Em nome de Jesus eu digo: Bíblia além da letra! De acordo com a doutrina revelada eu fui batizado, sim! E com o fogo do altar – símbolo do Espírito Santo. O mestre é digno de confiança e ensina e fala por revelação. Preste atenção no que vou dizer: nesses últimos quarenta anos nunca houve uma profecia que o contrariasse…

– Benício, – Carlos intervém, – não quero mudar de assunto e por isso não darei resposta a esta última afirmação sua. Enquanto isso, aqui vão algumas perguntas: Deus aprova o seu ministério? Haverá galardão ou perda no Tribunal de Cristo? Os dons e profecias que você entrega se cumprem? Os frutos desse batismo de fogo do anjo são frutos bons ou contaminados e podres? Você consegue discernir o Corpo do Senhor ao ministrar os elementos da Ceia? Você erra em seu ministério? Você expulsa demônios e exerce fé nas promessas de Jesus e impondo as mãos sobre os enfermos eles são curados? Você prega o Evangelho de Deus conforme a doutrina revelada ou conforme manda a Nova Aliança? Vou deixar lembrar para você o que Jesus ensinou no Sermão da Montanha a respeito da árvore e seus frutos (Mt. 7.17-20):

“Assim, toda árvore boa produz bons frutos, porém a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa produzir frutos maus, nem a árvore má produzir frutos bons. Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo. Assim, pois, pelos seus frutos os conhecereis.”

A ser continuado… (Parte III)

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

4 Respostas para “Agradando aos homens e desacatando as Escrituras – Parte II”

  1. hermes brainer disse:

    Mt.7.17-20, essa palavra é usada na maranata para incentivar aos icemitas a evangelizar: convidar pessoas, amigos , colegas de faculdade, do trabalho etc., poque senão o icemita é cortado e lançado ao fogo…

  2. […] O costumeiro maranatês gira na mente do formatado icemista [ic(e)m+ista]. Nada de “evangelho da graça de Deus” (At. 20.24). Observe as conversas depois dos cultos, as profetadas e revelagens dos cultos proféticos e comentários nas comunidades de relacionamento: jargões e o maranatês de sempre e sempre os mesmos. Piormente, os icemistas e os malucos-pela-Obra, especialmente, acreditam no mestre-mor quando proclama: a Igreja Primitiva é a cabeça e o Corpo de Cristo é esta Obra, a Igreja Fiel… Quando contestado, o icemista de carteirinha finca o pé na enganação e orgulhosamente responde: Estou em nível superior ao seu porque eu falo no nível da revelação além da letra. Você está na letra e só fala da letra da Bíblia. […]

  3. henrique disse:

    vamos acordar povo!jesus esta voltando!
    examinemos ,as escrituras para não sermos enganados,e nem dilubriados pelos homens,ja fui não sou mas,agora só cumplo a vontade do pai,só Dele…

Deixe o seu comentário

Resolva a seguinte pergunta para envio * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.