Sonhos – quando ver o que outros nada percebem…

A falência de gedeltismo deu nessa implosão da monarquia pseudocarismática e quadragenária, assunto denunciado e reiterado neste blog. A dominação com instigação de ódio, meias verdades, orgulho religioso, perseguições, preconceitos, profetadas e revelagens conduziu a membresia para o beco sem saída. A Sociedade quer a apuração dos crimes (em tese).

luta pelo poder começou lá no início… e continua (clique no primeiro link deste artigo que abre página da mídia sobre a igreja do seu Abílio).

Ainda que o clamor público reverbera, o mandrake da Obra revelada nega transparência e grita: TÁ TUDO CERTO!!!

Ao longo desses últimos anos algo começou como que fruto do consciente comum: muitos crentes em Jesus conscientizaram-se  de que muita coisa está errada nesta igreja. Certamente, meias verdades são mentiras inteiras. Então, eles entenderam inquietantes as cortinas de fumaça elaboradas pelo palácio da rainha desfigurada (PRD). Felizmente, enquanto repousamos o nosso inconsciente é capaz de construir material muito surpreendente: os sonhos.

Assim o incomum nos sonhos, alguns com o caráter premonitório chegando até à nítida percepção dos fatos. (Biblicamente falando, entendo a possibilidade de sermos prevenidos em sonhos. Devidamente interpretados entramos no campo revelação.) E deste modo encontramos farto material onírico, alguns apontando a condição, o caráter e intenções do dono do rebanho…

Esta conscientização cresceu pela apuração criteriosa e DENÚNCIA dos fatos observáveis e de muitos outros presumíveis. O meu pensar é de um ver com olhos onde os demais nada percebem. Neste sentido diversos sonhos foram relatados neste SITE e desejo direcionar esse farto e inteligente material em um só local.

O olhar caolho do construtor de heresias enganou a membresia. Os filhos desta geração de icemistas foram enganados e feitos reféns de MITOS. Orações piedosas e sinceras foram erguidas aos Céus e, em resultado, os sonhos vieram, visto o saber comum entre os cristãos que homens e mulheres santos têm sonhos santos.

Porém, gente honesta e sincera não cabe em ninhos sujos e por isto foram ignorados, mesmo porque não cogitou-se de interpretar a inteligência onírica. Pelo contrário, o dono do rebanho soprou cortinas de fumaça e obstaculizou a sabedoria.

Sonhos tivemos e relatamos. Queríamos evitar a astúcia dos donos de bancas de negócios mancomunados com Judas que beijam Judas; e a iniquidade que agora transborda a olhos vistos neste findar de jornada de quarenta anos. Tristeza!

Sendo assim, pretendo reunir alguns desses sonhos na ordem em que me for possível.

“CV, hoje senti necessidade de procurar em meu email, a cópia de um email relatando um sonho que tive em 2008 e que havia enviado ao pastor à época. Acredito que o Senhor possa estar querendo me chamar à atenção de detalhes que à época não fizeram sentido para mim, mas que agora sim. Não temo o que me possa fazer o homem, mas se o Senhor me fez lembrar deste sonho, em alguma coisa Ele me quer despertar. Este foi mais um dos sonhos de muitos servos que foram avisados sobre o que acontecia com a direção da ICM. Eu o transcrevo a seguir já traduzido pq ele foi primeiramente escrito em ingles, pq na época eu vivia nos EUA:

Eu vi muitas pessoas trabalhando no interior de uma construção que se parecia com um templo enorme, e na parte superior deste lugar havia sido levantado algo como um andaime, ou uma passarela, algo como uma plataforma que cortava o “templo” de um lado a outro, e nela eu vi um homem aleijado que se arrastava de um lado para outro ajudado por uma bengala. Este homem vigiava todos os trabalhadores por cima desta plataforma. Nada escapava a seu olhar.

Quando ele supunha que alguém estivesse fazendo algo que ele julgava errado, ele apontava a bengala na direção deste trabalhador e o intimidava a fazer conforme a vontade dele, pq de outra forma ele colocaria este trabalhador para fora do trabalho sem dar a ele nenhum direito de se defender, e ele era a maior autoridade naquele lugar e podia fazer o que entendesse fazer.

Vi que as pessoas sempre se calavam por medo e aceitavam qualquer mando pq não havia outro lugar para trabalharem, então elas estavam sempre amedrontadas e em silencio.

Então eu me vi entre aqueles trabalhadores, e depois de ver tantos absurdos vindo daquele homem contra os trabalhadores, eu parei de trabalhar por instantes pensando no que poderia ser feito para que nós nos protegermos dos desmandos daquele homem; e foi quando eu ouvi meu nome ressoando em um grito vindo deste homem que me perguntava o porquê de eu não estar trabalhando como os demais.

Eu tentei falar alguma coisa em minha defesa, mas ele gritava cada vez mais abafando minha voz, e a princípio eu fiquei com muito medo dele e tb de ser colocada para fora do trabalho, mas na sequencia eu andei até perto dele e de debaixo da plataforma onde eu estava eu o encarei de frente e disse a ele que ele não tinha o direito de berrar conosco, pq éramos apenas trabalhadores, e não suas propriedades. Então ele mandou que eu me calasse, mas eu ja havia perdido todo o medo que tinha dele. Ele olhou fixamente em mim, armou a bengala e a atirou na direção da minha garganta e a bengala entrou por minha garganta até o fim, e eu não pude mais ter voz. E o sonho acabou aqui.

Estou escrevendo a vc pedindo que me ajude em oração e que peça a mais irmãos que tb me ajudem. Eu tenho feito um trabalho de formiguinha, nada considerado com o trabalho de tantos irmãos como o seu, mas onde tenho mexido eu sei que tenho incomodado e muito ao comendador & cia. Eles (maranáticos) têm me odiado por ter abandonado o ninho sujo e mais ainda por estar tentando abrir os olhos de muitos, numa proporção maior do que a de pessoas que levei para lá, e sinto que aquilo que algum deles puder fazer contra mim para me silenciar, eles o farão, pq tenho me levantado contra o sistema e contra o “maioral”. Me ajude orando por mim, por favor, pedindo a Deus por discernimento e sabedoria em qualquer situação da minha vida, e muita unção para atingir os propósitos dEle. Desde já fico imensamente grata!

Vc tem meu email, caso queira me escrever, sinta-se à vontade. Tenha um domingo abençoado!”

Maria (CV de Saias) enviado em 12/08/2012 as 1:36

“Oi CV, tudo bem?

Lendo mais uma vez este artigo, esta sua última frase do terceiro parágrafo: “…Prefiro sair de cena, porquanto a seca dos pastos e as fomes das gentes falarão mais alto…” me lembrou este sonho que tive em 12/04/2010:

“Sonhei que nossas igrejas estavam distribuindo um alimento semelhantes ao de confeitarias e padarias. Eram bolos confeitados e coloridos, roscas e doces. No começo todos comiam e gostavam muito mas depois começava a ficar enjoativo. Muitos não queriam mais, outros passavam mal e sentiam verdadeiro fastio desses alimentos. Alguns perguntavam por pão. Era servido pouquíssimo pão em algumas igrejas e esses eram muito disputados por serem raros. Alguns irmãos iam de uma igreja para outra a procura de pão porque não aguentava mais comer aquele tipo de alimento que estava sendo servido. Era notória a anemia em muitos irmãos.”

Enquanto você escrevia este artigo eu cambaleava de fome. Nesta época os pastos já estavam secos e só agora entendo este sonho.

Por muitas vezes eu chegava da igreja e fazia outro culto em casa, sozinha. Quantas e quantas vezes nos cultos da igreja não se falava uma única vez no nome de Jesus ou, quando muito, era no início com o clamor e no final na benção apostólica.

Muitas vezes saía pra longe buscando alimento para a alma. Eu não conhecia Querite. Que pena! Mas, por outro lado o SENHOR te separava e preparava para escrever estes artigos que agora vêm de encontro à tantas almas famintas. Hoje um Ministério que trás consolo e refrigério aos retirantes feridos e tristes.

Conheci seu Blog em janeiro deste ano. Não sabia manuseá-lo. Era tudo estranho. Eu tinha medo de você. Tinha medo mas mesmo assim queria saber o que você tinha a dizer. Às vezes te achava tão duro, tão bravo.

Às vezes ficava tão brava, porque você provava que tudo aquilo que eu tinha como verdade era tudo mentira. Isso doeu muito. Você não tem ideia do quanto doeu.

Eu achava que tudo era apenas sentimento de vingança e ódio da sua parte. Te achava malvado mas ao mesmo tempo tão bom. E assim os sentimentos se confundiam até que passei a compreender o propósito de Deus em tudo isso.

Agora tenho você como um pastor amado.

Tenha uma noite de paz.

A paz do Senhor Jesus.”

Eurípia Inês, enviado em 27/06/2012 as 21:26

NOTA:

Este artigo estará sujeito a revisão.

EVITE comentário/postagem em CAIXA ALTA (letras maiúsculas).

O artigo é específico. Observe o FOCO.

O SITE disponibiliza espaço. Faça bom uso.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

152 Respostas para “Sonhos – quando ver o que outros nada percebem…”

  1. pr..eduardo gil vasconcellos disse:

    Quando ainda estava na seita tive um sonho com o gedelti: ele fumando cigarro, bem folgado com as baforadas…

    Gedelti tenta de todas as formas burlar a justiça, abrir filiais com outro nome para lavagem de dinheiro… mas o MP, PF e RF estão de olho.

    Em breve novas prisões e vai faltar algema.

  2. Roberto disse:

    Sonhei que estava no Manaim DM e estava acontecendo um seminario, no entanto nao havia carros, somente bicicletas enferrujadas e com a correntes soltas, e muitas delas espalhadas por todo o Manaim, percebi que todas as musicas cantadas, eram do filme.:O FANTASMA DA OPERA.
    .
    .
    O argumento onírico mostra a atual condição dos icemistas, especialmente aqueles que enfrentam gastos para estarem (obrigados) nos seminários, que nada mais são do que incessante manipulação de consciências.

    O autor do argumento (sonhante) vê, como num pequeno filme, indivíduos inseguros (não havia carros) de que devem estar ali; mas como num esforço injustificável e insano (bicicletas) atendem e comparecem às constantes convocações mas não se juntam (bicicletas espalhadas) e andam ao redor de erros e heresias (correntes soltas) e sem comunhão uns com os outros e com Deus.

    “O fantasma da ópera é considerada por muitos uma obra gótica, por combinar romance, horror, ficção, mistério e tragédia.” http://pt.wikipedia.org/wiki/O_Fantasma_da_%C3%93pera

    Os que estão nesses seminários, de alguma forma, têm consciência da insegurança e riscos; mas obedecem e participam dos cânticos porque mentes doentias, heréticas e paranoicas os fazem cantar.

    Que cenário de desastre e horror!

    Que Obra Maravilhosa, hein Gedelti?!

    Tô fora!!!

    CV – “O SENHOR é minha bandeira.”

Deixe o seu comentário

Resolva a seguinte pergunta para envio * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.