Guiando as ovelhas que lhe foram confiadas

O verdadeiro pastor de ovelhas conduz o seu rebanho.

Ele mostra O CAMINHO. Nada é feito por força ou violência.

Faz deitar em pastos verdejantes

Pastos com vida, sem opressão, sem pressão de visagens e revelagens, dizendo que você tem que se acertar; você é crente ruim e/ou pastor meia-sola; se há algum problema o problema é você e não a Obra maravilhosa. Pastos sem circulares áridas, paternalistas e autoritárias que insultam a inteligência do crente em Cristo. Deitar em pastos verdejantes é se alimentar a vontade, é ser livre na presença do Pastor Amado, ao invés de ter que engolir goela abaixo, sem reclamar, o alimento enlatado de uma doutrina revelada que trata como cristianismo o que a Bíblia trata como paganismo: adivinhações (consultas) antes, durante e depois do culto (bibliomancia); mensagens que não podem ser inspiradas na linguagem das Escrituras porque “a letra mata”, resultando no mau uso da Palavra e em abuso de autoridade firmada nessa hierarquia sacerdotal, onde o sacerdote-mor vitalício controla o alto clero com mão-de-ferro, que controla o baixo clero, que domina os rebanhos nas unidades locais na base da teologia do medo:

o sinhô revelou, deus mostrou, deus falou, sirimihai oudrasimiralarrás… esta é a minha obra, hão há outra… não sereis como as outras nações… dei ordem aos meus anjos… eu vos escolhi… oudrieinaioudrelamarrasss… fazei a minha obra e eu vos abençoarei…

Não é profético esse tipo de interpretação. Isso se chama manipulação descarada, descabida, desprovida de conteúdo bíblico. Obra única só no Calvário. Quem crer será salvo, declara a Escritura Sagrada. Somos todos iguais: judeus e gregos, homens e mulheres, senhores e escravos, rico ou pobre, brasileiro ou paquistanês (será que tem obra no Paquistão? Acho que não, mas tenho certeza que tem alguém lá que crê em Jesus, mas nunca na vida entrou num templo de tijolinho). Você não será abençoado porque faz a obra do sinhô, mas porque Cristo morreu na cruz por você e por mim. Deus quis assim. Por isso posso deitar (descansar em Deus sem me preocupar com o ativismo religioso) em campos verdejantes.

Guia mansamente às águas tranquilas

Não há cobranças, nem sentimento de culpa (porque faltou à reunião, ou não fez seminário nos últimos seis meses – banco!). Esse tipo de ensino não está na Bíblia, mas faz parte dos ensinos promovidos em seminários da Obra chamados de acampamento de anjos, onde os humanos dormem em dormitórios desumanos. Passam frio, passam mal, passam correndo de uma aula para a outra… e a vida deles passa sem sentir, sem tempo para amigos, sem tempo para os entes queridos. Tudo tem que ser em função de a oubra do sinhô. Tudo passa pelo crivo da obra, pelo padrão da obra, pela mentalidade da obra, pela obra como forma de vida, que não tem nada de novo: é legalismo religioso na sua mais dura realidade. Caso contrário, você não presta. Você pode estar na obra mas a obra não está em você. Por isso o berro ganha eco: Vai embora, a obra não precisa de você!

Refrigera a alma.

Alma refrigerada é diferente de alma pesada. Pesada com os compromissos, pesada por carregar tijolos o dia todo, pesada porque não tem descanso, não tem tempo com a família, não tem tempo para tirar férias, não tem tempo para sair com a esposa à noite (se faltar o culto no dia de semana a consciência pesa), ou ajudar no dever de casa dos filhos durante a semana e não faz atividade extra nem física (no universo maranático isso não é espiritual. Espiritual é estar enfurnado na unidade local, largar tudo para fazer evangelização).

Quantos crentes jovens gabaritaram uma prova de medicina sem estudar? Na Obra só se fala de um caso, aliás, antigo, mas que nunca tive o prazer de conhecer pessoalmente. Infelizmente, os que eu conheço, todos tiveram que estudar muito para passar em qualquer prova. Inclusive, pastores dotados de inteligência superior tiveram que faltar muitos cultos, muitas reuniões e muitos encontros para estudarem, caso contrário, não seriam aprovados em seus concursos.

É permitido até casar e trabalhar (pra não depender do PES, pois só uma meia dúzia tem esse privilégio). Mas até pra casar tem que ter o aval (não bíblico) da chefia, seja o pastor local, o coordenador e/ou, em alguns casos, até o PES, por mais que se diga o contrário. Pois tem que ser uma serva da Obra, ou um obreiro usado pelo sinhô e integrado na Obra. Onde na Bíblia está escrito que o crente tem que casar com alguém da mesma denominação? Esse ensino está errado, aliás, tem muita coisa errada nessa igreja. Mas isso não é de se surpreender.

Na Bíblia Deus sempre intervém quando Seu povo se desvia, distorce Escrituras, vai para os extremos, abuso da autoridade eclesiástica resultando no jugo pesado dos fariseus… E erram por não conhecer as Escrituras. Como dizia o saudoso humorista Chico Anísio “A ignorância é que ‘estravanca’ o progresso”. E é isso que vemos na igreja: ignorância.

Só depois que somos libertos do sistema opressor é que percebemos o quanto fomos idiotas, burros, bonecos manipulados. E quanto tempo nós perdemos com crendices, com o proselitismo, com mesquinharias do tipo usos e costumes, consultas inúteis (bibliomancia), submissão ao homem… emissários brincando de deuses, pessoas doentes tendo visões das quais 99,9% não têm utilidade nenhuma de edificação pessoal, a não ser prender o crente na instituição – é o famoso dom institucional: só serve aos interesses da instituição. E o interesse da instituição atropela a necessidade individual: que se dane o indivíduo, mas viva a Obra maravilhosa e não pode faltar o brado: Maranata! Maranata! Maranata!

E guia pelas veredas da justiça, por amor do seu nome

Veredas de justiça não são veredas de um emaranhado de relacionamentos mesclados com o uso sem transparência dos dízimos administrado em um CAIXA UNICO SEM TRANSPARÊNCIA e sem contabilidade (durante quatro anos, conforme revelou o Processo Administrativo de 2011); de versões que nos eram desconhecidas, divulgadas pelo jornal A GAZETA e trazida ao público após o escândalo. Como foi o relato do advogado e presbítero, homem de Deus que inspira credibilidade no seu testemunho, da IPB de Vila Velha – ES, que documentou (com mais de setenta nomes, listas, atas oficiais, documentos, testemunhas, etc.) em seu livro comemorando o cinquentenário de sua igreja amada, a Igreja Presbiteriana de Vila Velha, contando não somente sua linda história, mas detalhes do surgimento de um racha interno, que durou anos e que finalmente resultou no surgimento de outra igreja, encabeçada pelo então diácono, o senhor Gedelti Gueiros, que da disputa pelo poder, concebeu a ICM. Incrível!!!!!

Guiar não é ser mandado, não é ser escravo institucional, não é nem mesmo vestir roupa de crente nem ter cargo na igreja. Isso não é viver no Espírito, é viver num cativeiro. É esperar a morte na condição de condenado, de servo devedor, mesmo, com todas as letras, de humilhação constante. Isso não é cristianismo… a vida não pode apenas passar. Ela precisa ser vivida, inspirada, celebrada.

Somos “filhos de Deus”, isso não é pouca coisa. Ninguém tem o direito de nos diminuir. Jesus nunca humilhou ninguém. Mesmo diante da adúltera em flagrante, suas palavras foram: “Vá e não peques mais.” Ele não condenou, não amaldiçoou, não mandou ninguém embora. Ele apenas amou, sem acepção de pessoas, sem acepção de placas, sem acepção de entendimentos ou doutrinas. Sem ódio!

Para Deus a vida é sagrada demais para ser perdida com “outro evangelho”, com falsos ensinos e falsos mestres, com o legalismo religioso que rouba sonhos, e sentimentos de culpa (que não são pecados). Foi imperiosa uma intervenção divina nas nossas mentes, ainda que tivesse que contar também com a ajuda de autoridades públicas, às quais devemos todo o nosso respeito, pois a Bíblia nos ensina assim. E é isso o que importa. Deus sabe o que faz e tudo o faz é bom e perfeito no seu tempo.

Se nós fomos chamados à liberdade depois de dez, vinte, trinta anos isso não importa. Não lamento! Mas continuo olhando para frente, para onde todo crente deve olhar.

Só que agora a visão é bem melhor, mais clara, mais inspiradora, mais intensa, mais livre e mais sábia. E Cristocêntrica! Isto sim, não tem preço, pois se ganhei a Cristo, não me importo de ter perdido o que perdi!

Paul Goodman

NOTAS

Acompanhe em

https://www.facebook.com/CavaleiroVeloz

Aqui não é lugar para calúnias e difamações. Discutimos doutrinas e ideias.

Caso faça cópia ou transcrição dos textos publicados neste Blog indique autor e fonte. Este artigo  http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/guiando-as-ovelhas-que-lhe-foram-confiadas/

Em nome da ética democrática, que a data original e origem da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

Escrever em CAIXA ALTA (letras maiúsculas) é deselegante. Evitem.

Evitem postagens fora do FOCO do artigo.

Expressões e frases em itálico aparecem em apostilas da ICM-PES.

Imagens colocadas no artigo como ilustração fora retiradas da Internet (Google) e também dos textos aqui postados, presumindo serem de domínio público. No caso que haja alguma imagem sem os créditos devidos não foi intencional; e, deste modo agradeceria em nos avisar que colocaremos os créditos.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS