Adventista despreza o arrebatamento antes da grande tribulação. Por quê?

 

Resultado de imagem para heresias-adventista

A busca de entendimento oculto em frases isoladas das Escrituras fora do contexto e do teor geral das Escrituras causa erros e grandes heresias.

Adventistas intoxicados com heresias de E G White resistem quando o assunto do debate é o arrebatamento da igreja – antes – da grande tribulação. Por quê?

Entenda

  1. A inclinação da humanidade para ser enganada pode ser rastreada a partir do Jardim do Éden, lá no Gênesis. Aquele que começa no erro fatalmente no erro terminará. William Miller marcou a data de 21.03.1843 para a volta de Cristo. Errou. Recalculou para 22.10.1894. Errou. Ellen G White aproveitou o legado, dissimulou os erros e lançou o juízo investigativo. Errou, continuou errando e não se arrependeu.

 

  1. Adventistas se ufanavam de terem entre eles o Espírito de profecia abençoando, ensinando, escrevendo, guiando e profetizando as coisas que haveriam de vir. Com a morte de E G White (16.07. 1915) eles não mais poderiam dizer que o Espírito de profecia estava entre eles, manifestado e vivo. Então, a doutrina foi redefinida, insistindo que o Espírito de profecia vive através dos escritos de Ellen G. White – os livros.

 

  1. As heresias intoxicam a mente de quem dá crédito aos ensinos falsos de homens e mulheres que astutamente abrem portas aos espíritos de mentira. Ensinos, sonhos e visões de E G White iniciam nessa motivação. Ela insistia em falar da presença do anjo assistente.

 

  1. As mentiras se tornam mais sedutoras quando reforçadas por falsas revelações falsos sonhos e métodos prolixos de reformar a situação de alguma pessoa.

Direitos autorais

  1. Autores das lições da Escola Sabatina-IASD insistem nas profecias, sonhos e visões de E G White. É intensa a citação de estudos e livros desta autora. Estão garantidos aos seus herdeiros e sucessores os direitos autorais dessas publicações. Filão histórico e mercenário. Judas Iscariotes ficaria com inveja.

 

  1. Batismo do candidato a membro da IASD acontece somente depois de formatado e instruído, comprometendo-se este a obedecer ao dogma inarredável e institucional: Espírito de profecia é a mesma coisa que E G White.

 

  1. Escritores adventistas afirmam que E G White recebeu 2.000 sonhos e visões da parte de Deus. No momento dessas visões, às vezes, era jogada no chão falando coisas incompreensíveis e continuava andando e falando ao se levantar.

Dia 22 de outubro de 1844 – a grande decepção

  1. Esforçando-se para despistar a angústia íntima e encobrir os erros de Willian Miller, o qual diversas vezes havia anunciado a data exata da parousia; E. G. White, casada com James White (1846-1881), havia declarado: Deus encaminhou a mente de Guilherme Miller para as profecias, e deu-lhe grande luz quanto ao livro do Apocalipse. (…) Tampouco desejavam ser instruídos ou corrigidos por aqueles que estavam indicando o ano em que acreditavam expirarem os períodos proféticos, e os sinais que mostravam estar Cristo perto, às portas mesmo. (…) Os santos esperaram ansiosamente pelo seu Senhor, com jejuns, vigílias, e oração quase constante. (Primeiros Escritos, pág. 231, 234, 239). Neste ponto a profetisa contorna a angústia da decepção do arrebatamento que não aconteceu e imaginou o juízo investigativo, insistindo e profetizando que nesta data Jesus desceu e deu início à avaliação das obras de cada um.

 

  1. Esta heresia do juízo investigativo ataca frontalmente o que o apóstolo Paulo ensinou e profetizou, especialmente, nas duas Cartas aos Tessalonicenses a respeito do arrebatamento iminente, indivisível e instantâneo da igreja de Deus.

O Diabo balança o rabo

  1. Forçando o erro anteriormente introjetado na mente do adventista dito remanescente, o apologista da IASD enfatiza Ap 19.10 e anuncia orgulhosamente: Ellen G. White = Espírito de Profecia = Testemunho de Jesus.

 

  1. Formatação idiotizante. O engano é maligno, psicológico e proposital.

 

  1. Leia esta frase no Apocalipse: “E eu lancei-me aos seus pés para o adorar, mas ele disse-me: Olha, não faças tal; sou teu conservo e de teus irmãos que tem o testemunho de Jesus; adora a Deus; porque o testemunho de Jesus é o espírito de profecia.”

 

  1. “…adora a Deus”. Estamos informados de que os gnósticos adoravam aos anjos (Cl 2.18) e isto influenciava as igrejas da Ásia Menor. Ao que parece os nicolaítas (Ap 2.6) eram uma seita gnóstica libertina e Jezabel (Ap 2.20) liderava alguma dessas seitas. De acordo com o R. N. Champrin, oito livros do Novo Testamento foram escritos para combaterem essa filosofia herética: Colossenses, 1 e 2 Timóteo e Tito, Judas e as três Epístolas de João,

 

  1. Em Jz 6.11-24 lemos de um Anjo recebendo adoração; mas o contexto mostra claramente que este Anjo era Cristo.

 

  1. João afirma que “o testemunho de Jesus é o espírito de profecia”. A palavra “profecia” ocorre sete vezes no Apocalipse e a palavra “profeta” doze vezes. Este “espírito de profecia” evidencia “o testemunho de Jesus Cristo (…) a fiel testemunha, o primogênito dos mortos, e o príncipe dos reis da terra.” (Ap. 1.2-5). Evidentemente, “o espírito de profecia” testemunha a obra redentora e salvífica de Cristo, o Messias Plenipotenciário. Este é Aquele que tem em suas mãos o Livro dos Selos, determinou os juízos escatológicos contra as obras da Tríade Satânica e os adoradores da besta; e ao tempo da “grande [tamanha] tribulação” fará a grande limpeza na Terra antes de Sua gloriosa parousia.

 

  1. Lembre-se de que a) o cenário do Apocalipse é da consumação de todas as coisas; b) este Livro está impregnado com o selo da profecia; c) o “espírito da profecia” se encontra em quase todo o restante da Bíblia; d) o Espírito de Cristo inspira a “profecia” do principio ao fim do Apocalipse (1.3; 11.6; 19.10; 22.7; 18.19). Nada obstante, o que foi revelado está diante dos nossos olhos e o que foi mantido em segredo (Ap. 10. 1-4) será revelado no momento próprio. Reafirmamos: neste último livro da Bíblia o fruto da profecia está maduro e perfeito.

 

  1. Mesmo após frequentes decepções o adepto na doutrina mantém a confiança no grupo e em seu líder, pois a angústia o preserva de se expor contra a igreja e o sistema. Cabe ressaltar, que Ellen G. White fazia parte do movimento adventista que esperava a parousia para aquela época, o que não aconteceu. O movimento sofreu a chamada Grande Decepção. Mais tarde, porém, já casada, ela conseguiu figurar como uma das fundadoras e se impor como a indiscutível e inigualável profetisa da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

 

  1. Nenhum adventista consegue se desviar da posição da Igreja Adventista, a menos que acorde da intoxicação, encare a realidade e fuja do adventismo que entenda falacioso, mentiroso e opressor.

 

  1. No dia a dia flutua na mente do adventista o seguinte: aniquilacionismo, decreto dominial, ensino da escola sabatina, espírito de profecia, juízo investigativo, lei, marca da besta, Papa, sábado, sono da alma; mas o carro chefe deles continua: sábado… sábado… sábado… sábado… sábado… sábado… sábado…

 

  1. O engano está sempre ligado a ignorar o que Deus disse do jeito que Ele disse.

 

  1. O ponto principal desse construto herético e profanador do Evangelho de Cristo Jesus, continua na afirmação adventista de que E G White vive através de seus escritos – os livros – e este é o “espírito de profecia” a respeito de que fala o apóstolo João, no Apocalipse.

Não existe alguma mentira?

  1. Obcecado pela enganação e motivado pelo orgulho religioso o adventista não pensa e pergunta a si mesmo: Não existe alguma mentira nisso tudo?

 

  1. Observe esta declaração de E G White: E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra aos demais filhos dela, os que guardam os mandamentos de Deus, e mantêm o testemunho de Jesus. Apocalipse 12:17. Esta profecia aponta claramente que a igreja remanescente reconhecerá… o dom profético. Obediência à Lei de Deus, e o espírito de profecia tem sempre distinguido os verdadeiros servos de Deus, e o teste é usualmente dado em manifestações presentes. (Mensagens, pág. 33)

 

  1. Palavras colocadas cuidadosamente e intencionalmente para fixação idiotizante na mente dos sectários: igreja remanescente… reconhecerá… dom profético… obediência… Lei… espírito de profecia… distinguido… verdadeiros servos… manifestações presentes.

 

  1. Por oportuno, considerando que o Espírito de Cristo Jesus guia, instrui e testifica ao longo do processo de composição das Escrituras, “o espírito de profecia” (Ap. 19.10) consiste NÃO em um epíteto que se possa dar à fundadora da Igreja Adventista do Sétimo Dia; mas nesse impressionante e maravilhoso conjunto de todas as profecias relacionadas com Jesus e Sua obra redentora e salvífica. Este é o peso da evidência das Escrituras Sagradas a favor da Palavra que Deus disse do jeito que Ele disse.

 

  1. Quem começa no erro fatalmente no erro terminará.

 

  1. Querem que o batizando repita a fórmula E G White = Espírito de profecia (com E) para fixar Ap. 19.10 na mente do adventista. Formatação idiotizante. O engano é maligno, manipulador e proposital.

 

  1. Sei e estou bem certo de que continua fora de cogitação imaginar possa este conjunto de profecias da Escritura Sagrada ou o Paráclito serem substituídos por qualquer ser humano ou escritos deste.

 

NOTAS

Acompanhe em

https://www.facebook.com/CavaleiroVeloz/

https://www.facebook.com/groups/retirante/

https://www.facebook.com/groups/maranatarevelada/

Aqui não há espaço para calúnias, difamações e injúrias. Discutimos doutrinas, erros eclesiásticos, heresias e teologismo (falsa teologia).

Copie o artigo. Entregue ao pastor de sua igreja para ler, pensar e responder. Forme grupos e estudem o assunto. O apóstolo Paulo insistiu: “Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes…”

Imagens colocadas foram obtidas na Internet presumindo de domínio público. No caso de imagem sem os créditos devidos não foi intencional.

Façam cópias, distribuam e estudem em grupos. Os erros ensinados na Maranata causam confusão e destoam da “doutrina dos apóstolos”, bastando lembrar que a Logo desta igreja insiste na “quarta trombeta”.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
1 comentário em Adventista despreza o arrebatamento antes da grande tribulação. Por quê?
 
Interesses da Maranata em Sessões Solenes de Assembleias Legislativas

 

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
1 comentário em Interesses da Maranata em Sessões Solenes de Assembleias Legislativas
 
Maranata da fé à fraude – seis anos…

 

Resultado de imagem para "corrupção na maranata"

A lição da EBD, na Maranata, foi com a edição de A GAZETA. Dia de horror no domingo, 04.02.2012. E esquentou!!! MARANATA – da fé à fraude. Espanto geral!!! Foi o corre e corre com alguns de banca em banca comprando pilhas de jornais. Sim!!! Esta era a ordem: ABAFA!!!

Como abafar?!

Comprando pilhas de jornais?!

Durante anos o dono da Igreja insistiu em “Casa de Davi” e “Casa de Saul”. Esta “Casa de Davi” era o domínio eclesiástico embrionário da oligarquia pseudocarismática: centralizando dízimos e ofertas em depósito on-line; controlando o patrimônio; impondo o cadastro, obediência e registro das igrejas de outras cidades. Exibindo esse crescimento em cada aula nos seminários da Obra os presbiterianos de Vila Velha-ES eram discriminados e ridicularizados com a pecha de “a Casa de Saul”, lembrando o homem mau que morreu pelas mãos dos filisteus depois de haver rejeitado o SENHOR.

E ao longos desses seis anos apareceram fakes chorosos e compadecidos com aqueles que – por ordem da Justiça – foram presos duas vezes; mas o dissidente do maranatismo que denuncia desvios e erros é duramente hostilizado como aquele que cospe no prato que comeu, é mentiroso e safado. Não duvidem da formatação ideológica adestrando e idiotizando essa geração de maranatas para crer na crença do mestre-profeta.  Nesse ambiente de enganação e falácias palacianas aqueles que meteram as mãos no dinheiro da Instituição continuam nos púlpitos e nos seminários como inocentes e perseguidos pelo Jornal A GAZETA e pelo MP-ES.

E algumas perguntas:

1) Não será interessante rever a matéria de 04.02.2012 que estremeceu os alicerces palacianos da falaciosa Obra Maravilhosa?

2) Que tal o fake idiotizado lembrar as matérias da mídia mostrando que bens de pastores cresceram 6 vezes?

3) Quer dizer, que desviar o dinheiro da Instituição para os bolsos de membros da elite e corromper a membresia é legal e tolerável?!

4) Quer dizer, que o cúmplice com os erros, falácias, fraudes, heresias e maranacutaias palacianas é quem diz quem é honesto e quem é desonesto?

5) Quer dizer, que enquanto apoiam as falcatruas havidas e não exigem  devolução do desviado, do furtado e do transferido para usufruto de parentes, os membros do Conselho Presbiteral continuam cumprindo os deveres estatutários?

Escutem a mensagem de excessiva intolerância religiosa.

Fujam desses donos de religião, homens ricos e poderosos!!!

O mal continua: aturam erros e colhem frutos podres. 

O orgulho religioso move o mestre-profeta a estufar o peito: a Obra é mestra das outras… os outros são Mobral… nós somos o Curso Superior. Para este líder orgulhoso as demais igrejas evangélicas são tidas como: Movimento e Religião. Ele as compara com amalequitas e as apresenta como Dalila, a cortesã entregue os braços de Sansão que ele considera infiel e perdido. Membros de outras igrejas evangélicas ele os considera primos.

O crescimento do patrimônio do chefe religioso e mestre-profeta foi alvo de investigação do Ministério Público Estadual e Federal e resultou em DENÚNCIA. O Sub Procurador da República havia pedido explicações ao Presbitério mas o dono da Igreja gritou: TÁ TUDO CERTOOOOOOOOOO!!!!

Que crentes desse igreja continuem descontentes com desvios de dinheiro, escândalos e investigações do Ministério Público Estadual e Federal é compreensível. No caso da elite governante da Igreja Cristã Maranata, além das investigações na Polícia Federal de crime contra ordem tributária, estelionato, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e associação; as investigações públicas resultaram em ação cível de improbidade administrativa, ação penal pública incondicionada, cujos processos correm em Vitória e Vila Velha, respectivamente;

Se a ICM-PES goza do direito de existir como denominação religiosa e ameaça com processos na Justiça àquele que contestar doutrinas, ordens e normas emanadas do Presbitério; deve levar em conta que, felizmente, a CARTA MAGNA garante a liberdade de expressão e de opinião.

Se esta Instituição que se anuncia evangélica falasse conforme as Escrituras Sagradas e não obedecesse a homens – como convém a um ajuntamento de ministros do Evangelho de Deus, haveria de insurgir contra a dominação herética, manipuladora, oligárquica e pseudocarismática daquele que a mantém presa a homens de comportamento deletério.

NOTAS

Acompanhe em

https://www.facebook.com/CavaleiroVeloz/ 

https://www.facebook.com/groups/retirante/

Aqui não há espaço para calúnias, difamações, injúrias e maldições. Discutimos doutrinas, erros eclesiásticos, heresias e teologismo (falsa teologia).

Copie o artigo como aparece na barra de endereços e entregue ao pastor de sua igreja para ler, pensar e responder.

Espaço disponibilizado aos diáconos e aos pastores da Maranata, especialmente aos alunos do Instituto Bíblico.

Imagens colocadas foram obtidas na Internet presumindo de domínio público. No caso de imagem sem os créditos devidos não foi intencional.

Leia mais »

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
1 comentário em Maranata da fé à fraude – seis anos…
 
Aos desigrejados incrédulos e rebeldes

 

Resultado de imagem para confusão mental    Algumas comunidades das redes sociais nos fornecem o espelho do que acontece entre indivíduos que ainda não alcançaram o entendimento das relações interpessoais no tocante:

  1. estar em Cristo;
  2. igreja de Cristo ou igreja de Deus;
  3. ser de Cristo;
  4. ou ainda não experimentaram o novo nascimento;
  5. ou perderam a referência do ensino do Novo Testamento a respeito.

Aparecem indivíduos isolados ou pequenos grupos de pessoas identificados com a expressão desigrejados. Não sei como apareceu esta expressão. No entanto as consequências se acumulam sobre esses que insistentemente resistem aos apelos de imediato retorno às Escrituras.

Assim, este artigo decorre de acompanhamento do assunto ao longo deste ano de 2017, lendo e observando relatos. Na defesa da “fé que uma vez foi dada aos santos” (Jd 9), insisto na fidelidade às Escrituras e retorno ao “evangelho da graça de Deus” (At 20.24); porquanto está escrito (1 Co 1.24): “Cristo é o poder de Deus e sabedoria de Deus.”

Compreendo que crentes maranatas continuem descontentes com desvios de dinheiro, escândalos e investigações do Ministério Público Estadual e Federal, como no caso da Igreja Cristã Maranata (Vila Velha-ES), resultando ação cível de improbidade administrativa, ação penal pública incondicionada envolvendo diversos líderes religiosos; inclusive as investigações na Polícia Federal de crime contra ordem tributária, estelionato, evasão de divisas e lavagem de dinheiro e associação.

Compreendo que esses amados crentes em Cristo ficaram escandalizados e fugiram do jugo opressor de falsos profetas e de maus pastores hierarquicamente mancomunados com a oligarquia pseudocarismática que os prendiam em esperanças vãs, heresias e promessas de projeto de salvação. Nada mais do que o orgulho religioso enraizado no insano sentimento de superioridade. Não é nos cultos proféticos, dissimulados por natureza, onde erram e continuam errando?

Compreendo que a confusão emocional nesse tempo de angústia, choro, esperança perdida e feridas não curadas é a fase dolorida. Compreendo a fuga e o lamento. E o medo! Milhares escreveram neste Blog e no Facebook até conseguiram, aos poucos, se ajustarem em igrejas assim chamadas tradicionais. Então, o artigo não cuida desses amados irmãos.

Em Mateus 18:20 lemos: “Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles.” Basta esta frase e dois ou três desigrejados – isolados de todos – afirmam ser “igreja de Cristo”. Existe algo fora do contexto da Palavra, não? EXISTE!!! Fazer uso de texto fora do contexto gera HERESIAS. No episódio Jesus fala de pecado em um dos três.

Entrementes, lendo e relendo cópias de debates em redes sociais observo o seguinte:

  1. Desigrejado cola frases da Bíblia, finge que é crente honesto e se esconde atrás de textos e versículos da Bíblia achando que DEUS não o vê nem sonda seu coração empedernido pelo engano doo pecado.

 

  1. Desigrejado defende a individualidade e se vangloria de ser cristão solitário – como se o indivíduo nascido de novo possa viver fora de “a igreja de Deus… corpo de Cristo”.

 

  1. Desigrejado desrespeita o Administrador do Grupo, ofende os contrários, pisa nos que digitam algum equívoco, zomba dos menores e xinga.

 

  1. Desigrejado dissemina a avareza, a discórdia, a incredulidade e o desrespeito ao ministério pastoral estabelecido por Cristo como necessário para as igrejas.

 

  1. Desigrejado é como um cão fugido dos antigos donos, que anda na rua disputando espaço com outros cães, farejando lixo e marcando o rumo.

 

  1. Desigrejado não quer saber que a doutrina/instrução do Novo Testamento se dirige à “igreja de Deus… corpo de Cristo”; e não, a indivíduo isolado que queira viver como bode errante pelos desertos da vida.

 

  1. Desigrejados alegam desnecessidade de membresia na igreja física, não precisarem estar em comunhão/ir à igreja, pois individualmente são templo e morada do Espírito Santo. Nessa condição espiritual duvidosa e perigosa fazem da filiação a Cristo assunto irrelevante, místico e separado do “fruto do Espírito” que se espera na congregação dos crentes em Jesus.

 

  1. Desigrejados atacam a doutrina do dízimo, especialmente, escondendo o medo de que esta parcela lhes venha a faltar. Enquanto nesta condição de avareza e incredulidade eles não conseguem ver as bênçãos que Deus concede ao que exerce fé em Jesus, porquanto os crentes em Jesus andam por fé e não pelo que veem (2 Coríntios 5.7).

 

  1. Desigrejados exibem corações duros de grosseira incredulidade, mantêm comportamento como o de Judas Iscariotes e perderam a referência de “estar em Cristo”.

 

  1. Desigrejados nada querem com a Teologia Pentecostal, muito pulsante e muito viva, como aparecem em comentários e notas na Bíblia de Estudo Pentecostal, ARC, CPAD, por exemplo.

 

Não adianta criticar a igreja institucionalizada como se ela fosse a infamante mãe de todos os males dos desigrejados desviados da fé salvífica que não conseguem discernir e/ou não querem entender as ações do Maligno. Os desigrejados querem ser cristãos sem obediência e inequívoca sujeição ao ensino do Novo Testamento para a “igreja de Deus”. Isto é impossível!!!

Não podemos “acrescentar ou tirar” alguma coisa da Palavra de Deus, como está escrito: “…aprendais a NÃO IR ALÉM do que está escrito…” (I Co 4:6 – ênfase nossa).

Nesse conjunto de atitudes os desigrejados mostram que não nasceram de novo. No fundo desse cenário horrível e nebuloso há um espírito opressor agindo em cada um desses lobos que rosnam a avareza que domina seus corações e não querem instrução. Mentem para si mesmos e para os demais.

Notoriamente presos às ações pecaminosas do corpo e às paixões da carne, essa rebeldia sinaliza para o FATO de que o cristão pode passar da vida espiritual para morte espiritual, como está escrito (Rm. 8. 6,7,13):

“Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida. Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade o pode ser. (…) porque se viverdes segundo a carne morrereis; mas se pelo espírito mortificardes as obras do corpo, certamente vivereis.”

O Diabo observa os desigrejados, estimula a criação de heresias formadas a partir de textos isolados das Escrituras e os excita a permanecerem presos em seus pensamentos próprios. De nada adianta repetir o Pai Nosso na mal-humorada oração à noite porque “Deus resiste aos soberbos”. Oram de si para si mesmos e o Eterno não os ouve nessa rebeldia.

O olhar criterioso do Novo Testamento insiste que a “igreja de Deus” é assembleia ou reunião de Deus. Assim, a frase “igreja de Deus” (ekklesia theou) ou “igreja de Cristo” (ekklesia Christou) mostra o significado essencial da igreja (ekklesia). Esta palavra por si só não significa mais do que simplesmente reunião; mas, “igreja de Deus” indica que o caráter desta assembleia não está em seus membros; mas nAquele que é o Cabeça.

Ora, a consequência do pecado habitual é a morte espiritual até mesmo para aquele que se acha cristão (Rm 8.13; 1 Co 6.9,10). Os filhos desses apóstatas desde cedo desenvolvem a rebeldia que observam em seus pais.

Por fim, se desigrejados se agrupam, logo criam a casta de dominantes e dominados. Se não se arrependerem, por ventura escaparão de condenação eterna?

NOTAS

Atualização às 16:58 de 27.12

Cite o artigo

http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2017/12/aos-desigrejados…dulos-e-rebeldes/ ‎

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
3 comentários em Aos desigrejados incrédulos e rebeldes