Cópias, repetecos e requentadas

“Aquilo que é torto não se pode endireitar;

aquilo que falta não pode ser calculado”.

Eclesiastes 1:14

heresia icemita é um desastre!

Abri esta PÁGINA concordando com entendimento de que a maioria das palavras trazidas nos cultos foi copiada do meio evangélico.

Basicamente, o ensino e a pregação na ICM-PES está mais para cópia de antigas doutrinas de assembleianos, congregacionalistas, erros dos adventistas e até borrões da Cabala (que orienta o Judaísmo e a Maçonaria). Exemplos:

  1. A mão de Deus operando – antigo ensino sobre os cinco dons ministeriais (Ef. 4.11,12) muito difundido entre os irmãos da assembleianos e congregacionalistas.
  2. Clamor pelo sangue de Jesus – antiga heresia que vem dos papistas.
  3. Meios de graça – antiga doutrina de enfatizada em enquadres os mais variados (clamor, consulta, discernimento, dons, jejum, madrugada, ofertas, oração etc.)
  4. O  “fogo do altar” – distorção da frase em Ap. 8.5 que introduz o JUÍZO no cenário apocalíptico; mas Gedelti Gueiros, o mestre dos mestres, distorce a Escritura profética e inspirado em heresia de autor adventista diz que o “fogo do altar” símbolo do Espírito Santo é derramado sobre os homens para que recebam com alegria as intervenções de Deus.
  5. Os toques das trombetas do Apocalipse  – na sequência do falso batismo com o fogo do altar Gedelti afirma que três das trombetas já tocaram e a quarta trombeta vai tocar num abrir e fechar de olhos  para o arrebatamento da igreja fiel, ou seja, a maranata.
  6. Os Valentes da Obra – absurda espiritualização da frase em 2 Sm 23.39b entremeados de expressões da numerologia cabalística prometendo a formação dos “valentes da Obra revelada”.

Claro, o astuto Davi da Obra viu-se na obrigação apresentar algo extraordinário e revelado por anjos. Deste modo, ele buscou entendimento oculto das Escrituras a fim de espiritualizar expressões ou frases isoladas do contexto próximo e conteúdo geral da Revelação Proposital, indo além do plano semântico da passagem. E ofendeu o Sagra Texto.

E ele conseguiu enredar a membresia com as extravagâncias de interpretação. Método extremamente perigoso mas o preferido do mestre-mor. Na alegoria ou espiritualização de expressões ou frases das Escrituras a mente do intérprete não se prende às exigentes regras da Hermenêutica Bíblica e chega ao condenável “fogo estranho” exposto ao juízo. Quem se lembra do episódio de Abiu e Nadabe?

Então, dissimulada e espertamente, ele lançou mão da ENGANAÇÃO, assim como o mágico faz (e exige aplausos e pagamento pelos serviços de entretenimento). Entrou em cena a LNP – linguagem do não-pensamento e o olhar caolho do construtor de heresias começou a difundir a ideia de Bíblia além da letra, algo da eternidade além da letra. Infelizmente ninguem entendeu o que ele quis diuzer com Obra! e então ele ameaça, despreza os valetes (escrevi valetes) e profetiza: esta Obra é filho único, quem não amar esta Obra vai… vai… cair e vai….ser comido de bichos… vai ser estraçalhado. Isto ele fala com o aspecto de fantástico, instigando o ódio religioso, pavoroso e sobrenatural. O medo impera!

Entenda. Em cada aula do seminário o hipnotizador entretinha o povo com os malabrares; e, enquanto jogava os malabares, a estupidez da incredulidade formava imagens na mente dos formatados hipnotizados e dos meia-solas empanzinados com a heresia icemita empurrada pela goela dos presentes. Consequentemente, ocorria o que chamamos de CATÁLISE entre os empanzinados.

Encerrando a confusa exposição, era fácil alguma dupla de meia-solas arrotar nova profetada (kandalaias… eis meu povo… sorrirás… estou presente etc. etc) com a aura de aqui Deus fala… ossorrevela…

  Erram o alvo e continuam errando. Este imbróglio é atualmente chamado de doutrina revelada que só a Obra tem porque esta Obra conhece a Bíblia além da letra. Juntando tudo estamos diante da heresia icemita que destituiu a Jesus de Seu Apostolado, Messianato e Sumo Sacerdócio.

Entenda: a espiritualidade estabelecida em falsa unção disseminou a educação equivocada no contexto da ideologia de Obra como forma de vida. A falsa unção é arma destruidora. Ela abre feridas e destrói a esperança A falsa unção mata! Os icemistas estão doentes de esquizofrenia religiosa e não se dão contas dessa doença. Tristeza!

Essas doutrinas foram oferecidas como comida requentada ao entorpecente som de OBRA! OBRA! OBRA! Distorcendo os fatos, escondendo as fraudes e faltoso com a imprescindível transparência, o mestre em espiritualização de frases das Escrituras, jargões, meias verdades e mentiras fincou pé e obsessivamente estabeleceu a monarquia. Nós já conhecemos os resultados. O Ministério Público investiga.

Estejam certos de que as expressões mistérios desta Obra ou só a Obra tem a palavra revelada são jargões. Enquanto os formatados icemistas dissimulam contentamento ao grito de maranata! maranata! maranata! (porque ossorrevelô) o chefe declara: esta Obra é filho único… meia-sola… fora! Mas não é verdade, que cada meia-sola foi gerado na ideologia de Obra? Sim! Prova de que o mestre-mor afastou-se das Escrituras, amparou-se em falso profetismo, desprezou a Teologia, ensinou erros, ergueu a doutrina revelada, exigiu obediência, formatou icemistas e ordenou pastores segundo o coração dele, e não, segundo o coração de Deus (Jr. 3.15).

Nos cultos proféticos até hoje os meia-solas praticam o fermento introjetado na mente deles. Os frutos podres estão aos olhos de todos. Que destino final? Que esperança lhes resta? Que salvação, se não se arrependem?

Não convindo ao monarca pseudocarismático esquecer o ensino-profético além da letra, esse imbróglio revelado, ou seja, esta comida requentada é repetida e repetida e repetida nos seminários da Obra. Naturalmente, com profetadas, revelagens como temperos. O empanzinamento mostra o resultado. Os meias-solas estufam o peito com preconceitos e orgulho religioso; mais prudentes os retirantes enchem as estradas…

Não duvide: a heresia icemita é um desastre! Ela destrói a “fé em Jesus”, dá credibilidade à falsa-unção, desestrutura a família e instiga o ódio religioso. Nesses lugares de medo onde demônios habitam, espíritos de mentira ditam normas e inspiram profetadas e revelagens. O comando é: falei conforme ossorrevelô… Prova de que essa casa decadente e mal assombrada entrou em um beco sem saída. Se você compreendeu, fuja deles.

 Nestes contornos, a incubação da doutrina revelada é desejada insistentemente pelo sistema (o mestre-mor conta com este lance nebuloso). Começou com o capítulo chamado absorção de Obra (algo que de coisas insignificantes fazem segredos), como condição de formatação inconsciente do eu-icemítico facilmente manipulável e obediente ao sistema. Falando e pensando biblicamente, absorvem a OBRA é expressão medíocre: o mestre-mor recorda e repete a doutrina revelada e, a cada dia, o mistério da Obra fica mais sofisticado. É assim que a doutrina revelada, a mensagem revelada, a palavra revelada funcionam: na base de compulsão. Inexoravelmente! Não duvide!

No curso da dominação quadragenária o construtor da heresia icemita criou a ideologia de Obra doutrina revelada que gerou a mentalidade de Obra (conduta do formatado icemista). O beato icemista foi alimentado constantemente com mitos, profetadas e revelagens e, consequentemente, possui esta mentalidade de Obra introjetada em sua mente da qual é difícil livrar-se. Os bobos da corte palaciana continuam NÃO acreditando em fraudes milionárias. Por incrível que pareça!

Nos púlpitos da ICM-PES a mentira corre como fogo em palha seca. Ao fim desta jornada de quarenta e cinco anos a iniquidade transbordou aos olhos da Sociedade, onde o NOME DO SENHOR está sendo blasfemado (cf. Rm. 2.24). Não se enganem: o dono da fábrica de meia-solas prometeu ilusões; por isso o clamor é notório e público. Quando devia esclarecer, ameaça e arma esquemas de autodefesa; confunde, despista e foge à responsabilidade…

O doutrinamento falacioso e intolerante introjetou o medo na mente dos formatados manipuláveis e obedientes servos da Obra. O gedeltismo conseguiu um feito notável: fazer a ICM-OBRA andar na contramão da História e implodir o sistema.

O gedeltismo construiu a heresia icemista, desprezou o que Deus disse, do jeito que Ele disse e fortaleceu a experiência de OBRA! Os formatados icemistas, pré-meias-solas e meias-solas emissários do palácio da rainha desfigurada falam de experiência de Obra com a mesma facilidade com que o romeiro do Padim Ciço repete rezas: Oh! Maria concebida sem pecado….

O olhar caolho do construtor de heresias enganou a todos. O poder camaleônico (acesse este artigo, clique no primeiro link e leia o que aconteceu na formação da desta denominação) fomentou este poço de iniquidades agora escancarado aos olhos da Sociedade. Quando mais o Ministério Público investiga, mais aparece para investigar.

Ora, muitos desses formatados e meias-solas paridos no pandulho da rainha desfigurada, debaixo da hierarquia maranática que os obriga a OBEDECER… OBEDECER… OBEDECER, não mais suportam o gedeltismo pseudocarismático.

Os icemistas conferem as coisas nas Escrituras Sagradas? Não! Eles confiam na crença do chefe muito religioso e não-pensam os pensamentos das Escrituras. Nem querem pensar. Se pensarem, entram em pânico. Simplesmente!

Prestem atenção: neste triste fim de jornada de quarenta anos o clamor é notório e público. O Juízo vem!

Quem me dera se entendessem mais rapidamente o que venho ensinando…

Sobrevindo o confronto, continuarão CÚMPLICES ou romperão com o sistema?

CV.

NOTAS

Acompanhe, por exemplo, em

https://www.facebook.com/CavaleiroVeloz?fref=ts
https://www.facebook.com/velozcavaleiro?fref=ts

Aqui não é lugar para calúnias e difamações. Discutimos doutrinas, heresias e ideias à luz das Doutrinas Fundamentais como um dos capítulos da Teologia. Atualização e reestilização em 17.05.2014 às 10:54

Caso faça cópia ou transcrição dos textos publicados mencione http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/copias-repetecos-e-requentadas/

Em nome da ética democrática, que a data original e origem da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

Escrever em CAIXA ALTA (letras maiúsculas) é deselegante. Evitem postagens fora do FOCO do artigo.

Expressões em itálico encontram-se nas apostilas e falas dos icemistas.

Imagens colocadas nos artigos como ilustração foram retiradas da Internet (Google) e também dos textos aqui postados, presumindo serem de domínio público. No caso que haja alguma imagem sem os créditos devidos não foi intencional; e, deste modo agradeceria em nos avisar que colocaremos os créditos.

 

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS