Como num samba do crioulo doido…

  Algo fundamental a respeito da “igreja de Deus… corpo de Cristo”  é claramente ensinado no Novo Testamento: a igreja de uma cidade jamais será senhora das igrejas de outras cidades. Jamais controlará dízimos e ofertas de igrejas em outras cidades. Jamais centralizará fortunas nas mãos de dominadores de rebanhos. Jamais permitirá assento de anticristos, falsos profetas e falsos pastores. Jamais se dobrará a algo que não seja a “doutrina dos apóstolos”; mas testemunhará vividamente “a obra de Deus” nos contornos do que Deus disse, do jeito que Ele disse; pois, com amor, esperança e fé acontecem maravilhosas transformações.

Entretanto, a forma de governo imposta na ICM-PES oportunizou que o clero superior domine o clero inferior e este domine a unidade local.

Este comando é a espinha dorsal, a extensão do braço de ferro do chefe religioso ao que todos obedecem. Deste modo, o dominador do rebanho é inflexível, monárquico, pseudocarismático e quadragenário e assim funcionou ate agora.

Esta consideração inicial nos leva a processar o seguinte: a ICM-PES está longe de ser Igreja Fiel. Evidentemente, a OFENSA está feita.

Historicamente, o gedeltismo empurrou a Maranata no rumo da contramão da História e com isto o gigantismo do boi permitiu todo tipo de injustiça e a iniquidade não cessa. Por conseguinte, o grilo canta na carcaça.

Nada obstante, experiências pessoais, profetadas e revelagens reverberadas por Gedelti Geuiros, o chefe muito religioso, aqui no Pais, no exterior e por satélite, continuamente enfatizam o caráter imutável, misterioso e sobrenatural de exibiram a ICM-OBRA como a igreja fiel, indefectível e única; a mestra das outras, detentora exclusiva da palavra revelada e blábláblá. Como se o erro inicial (a igreja da cidade de Vila Velha – ES, Rua Torquato Laranja, 90, dominando as demais com mão de ferro, centralizando depósitos on-line e patrimônio) justificasse o maranatismo monárquico pseudocarismático e quadragenário que se mostrou um POÇO DE INIQUIDADES. Que imbróglio! Tem mais: com a exigência de que os chamados “dons espirituais” do ministério (pastor representante do presbitério) sejam superiores a qualquer outra manifestação, mesmo legítima.Mas este é outro absurdo introjetado na membresia…

Não existe possibilidade de o PES, como instituição, se arrepender e dizer: Perdão! Este gigantismo heterodoxo entrou no beco sem saída e no rumo da rebelião. Entendam: quando a apostasia é COLETIVA (este é o caso do PES), o arrependimento é INDIVIDUAL. Por isto os retirantes enchem as estradas…

Nestes contornos, a ICM-PES está contaminada de esquizofrenia e de insanidades religiosas, como hospício religioso, lugar ofensas, pedra de tropeço e poço de iniquidades. Cerca de 30.000 (trinta mil) documentos de fraudes foram entregues às autoridades dando contas de um leque de ilícitos penais puníveis (em tese). Este montante foi acrescido de outros montantes em cada órgão público.

1. Autoridades estaduais e federais continuam apurando os fatos. Grupos de Promotores (Estaduais) e de Procuradores (Federais) investigam e organizam operações de busca e apreensão da material.

2. Desvio em cerca de US$ 400.000 mensais levantamento presumido considerando a monitoração da Receita Federal no prazo de 5 (cinco) anos.

3. Magistrados acompanham. O cerco se fecha. Os esgotos do palácio da rainha desfigurada estão sendo escancarados enquanto os Judas despejam penicos pelas janelas do palácio da rainha desfigurada (cuidado! não passe por aquela rua na hora da ventania.

4. O batalhão de choque do palácio da rainha desfigurada entrou em cena em defesa da cúpula da Maranata investigada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado:

a) arma de fogo exibida em cima da mesa de pastor do presbitério pressionando crentes na alteração de depoimentos;

b) o advogado-pastor Coelho Pimenta ameaçando depoentes e negociando mudança de depoimentos;

c) o esdrúxulo das mortes de dois pastores que faziam parte dos autos de investigação;

d) o médico-pastor Amadeu, o engenheiro-pastor Elsom e o advogado-pastor Pereira ameaçando o médico-pastor Fernando Athayde internado em estado grave no Hospital Evangélico;

e) o pastor Picone que se apresenta na qualidade de promotor de justiça (MP-MG) acompanhado do advogado Gustavo Varela ameaçando a Juíza de Direito Adjunta da Vara Especial Central de Inquéritos Criminais de Vitória;

f) o Promotor Lidson Fausto da Silva do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado sendo alvo de “guerra declarada” da liderança da Maranata;

g) o notório e público sectarismo da pregação religiosa de Gedelti Gueiros com explicita condenação aos que prestaram depoimentos ressaltando ameaças e atos ilícitos havidos no âmbito do PES;

h) o teatro de ameaças, coações, constrangimentos, demandas judiciais contra depoentes, desprestígio à Justiça e o mais que foi considerado “estarrecedor” provocou o  DECRETO DE PRISÃO PREVENTIVA  de Gedelti, Amadeu, Élson e Carlos Itamar.

No entanto, entendo que a iniquidade permanece. Enquanto o Diabo continua balançando o rabo na boca dos falsos profetas, Gedelti Gueiros não abre mão da autodefesa, da avareza e da dissimulação; não abre mão do domínio e influência sobre aqueles que ele comanda com mão de ferro; e como um deus exige inquestionável obediência ao DONDoutrinas, Ordens e Normas que ele elabora para EXTRITA OBEDIÊNCIA.

 

Nas reuniões Gedelti se serve de profetadas, especialmente aquelas que saem da boca de Jairo Coelho, já encanecido, mas entre eles é considerado o profeta (desde quando??).

Nestes contornos de manipulação religiosa cada sacerdote embriagado pelo poder religioso sectário mantém na cartola os profetas que precisa. Lancei e reiterei a minha justificada preocupação diante do malabarismo do atual interventor da Maranata que entende depender das orientações espirituais do Presbitério no tocante à administração que deve exercer – e notoriamente são ordens de Gedelti.

 

Nada obstante, e me fazendo mais claro no tocante ao pensamento que sobrenada na mente de um indivíduo que declara estar pastor na maranata: a elite dessa igreja aprendeu a pensar exclusivamente o que Gedelti quer que eles pensem.

Neste sentido,  existe diferença conceitual entre a igreja Maranata e a Obra do Senhor: igreja Maranata (administração) é Gedelti: ele a alicerçou e a comanda desde a fundação e, como tal, deve ser respeitado; mas a Obra do Senhor é dirigida pelos dons que expressa o espiritual pela boca de Gedelti que decide a doutrina revelada. Conclusão: a administração depende do espiritual e tudo gira ao redor de Gedelti, como num samba do crioulo doido. E dançam conforme as cirandas da orquestra palaciana. E o interventor não faz exceção.

No pano de fundo da DENÚNCIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL a cujo texto me reporto, causa-me certa perplexidade o “Evento pr. Júlio” (pgs. 135-143), eis que Julio Cezar Costa, especialmente indicado por Gedelti para ser nomeado interventor da Maranata, finalmente declarou DEPENDÊNCIA de orientações espirituais para dar continuidade à administração judicial. O que esta indicação retende é exatamente isto: um embaralhamento estapafúrdio no que concerne à Ciência do Direito e à Lógica das exigências do Estado e da Sociedade. Pasmem!

O gedeltismo é afronta à liberdade de consciência, atentado às Escrituras, caminho escorregadio, casa mal-assombrada, escola de anticristos, esperteza maligna, estrada tortuosa, fábrica de notas fiscais frias, ferida que não fecha, mal incurável, nuvem do não-pensar, pandulho de meias-solas, pedra de tropeço para os crentes e poço de iniquidades.

O gedeltismo mentiu: com FRAUDES e com HERESIAS. Ele apenas exibiu a autodefesa, a avareza desmedida e a dissimulação do pai da Obra com as vestes de Obra Maravilhosa para acumular fortunas, mitos, profetadas e revelagens. Não adiantam cortinas de fumaça e maquiagens…

O incrível é que este interventor declara precisar de orientações espirituais para exercer o munus publico que lhe fora conferido por Ordem Judicial. E mais recentemente obteve autorização judicial para receber essas orientações. De quem, afinal? Do detentor do DIPLOMA VPC – “vértice da pirâmide do crime”.

 

Onde vamos parar com esse jogo de mentiras?

Os Judas com assentos cativos no palácio da rainha desfigurada (PRD) combinam ações com os donos dos balcões de negócios. Nos banquetes de ladrões dividem comissões e propinas. E dizem: Quem nos verá?

Os poderes constituídos pela CARTA MAGNA para proteção do Estado de Direito e da Sociedade estão intransigentes e vigilantes. O Ministério Público entrou em cena e ofereceu a primeira DENÚNCIA protestando pela aplicação das penas de LEI. Sentenças virão…

Quem quiser conteste.  E não o fiz por afronta à instituição ou a quem quer que seja; mas por haverem permitido que esse MAL chegasse a tal VERGONHA.

Se lá no início da década de 70 o chefe do rebanho desse ouvido ao que Deus disse, do jeito que Ele disse nas Escrituras, o gedeltismo não existiria como eclesiasticismo monárquico e pseudocarismático que despenca entre sombras e vitupérios sem perceber esse SUICÍDIO VERGONHOSO.

ANEXOS

http://obramaranatarevelada.wordpress.com/2013/05/21/maranata-como-na-obra-tudo-e-por-conveniencia-a-seus-interesses-ilicitos-e-excusos-uma-doideira-a-mais-outra-a-menos-ninguem-estranha-mais-ja-que-o-espirito-que-a-governa-e-o-do-engano-e-da-menti/

NOTAS

Aqui não é lugar para calúnias e difamações. Discutimos doutrinas e ideias.

Cite a fonte caso faça cópia ou transcrição dos textos publicados neste Blog. Este artigo http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/como-num-samba-do-crioulo-doido/

Em nome da ética democrática, que a data original e origem da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

Expressões em itálico e sem aspas pertencem aos jargões do maranatês.

Nos espaços disponibilizados evitem postagens fora do FOCO do artigo.

Por ser deselegante evitem CAIXA ALTA (letras maiúsculas) nas postagens.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS