SUSTENTO PASTORAL

SUSTENTO PASTORAL

Pastor Steve Montgomery

É incrível, mas alguns crentes em nosso meio ainda não foram instruídos sobre este tão importante assunto. Todos os outros que trabalham recebem uma recompensa pelo serviço dado; por que um pregador do evangelho não deve receber o seu sustento pastoral?

Muitos falsos lideres religiosos são simplesmente charlatões que vivem da ignorância do povo. Sabem tirar dinheiro dos incautos. E é claro que alguns religiosos só aproveitam a religião para ficarem ricos! Quem sabe que é para não ficar identificados com estes malandros que alguns dos nossos pastores têm receio de falar sobre o assunto? Mas a pergunta continua: deve uma igreja sustentar financeiramente o seu pastor? Creio que a resposta Bíblica é um grande SIM.

Vamos fazer uma pesquisa para ver o que Deus tem falado sobre o sustento daqueles que O servem. Não vai ser um estudo exaustivo nem completo, mas vai servir para nos esclarecer mais um pouco o assunto. Espero que sejamos estimulados a obedecer ao Senhor cada vez mais por meio deste pequeno estudo.

Primeiramente, vamos considerar as varias comissões que Jesus deu ao seu povo. Depois vamos ver como o ministério foi sustentado no Velho Testamento. Vamos examinar também como a primeira igreja foi financiada, e depois vamos estudar as passagens que falam mais diretamente sobre o sustento dos pregadores do evangelho.

I. QUAL É A NOSSA COMISSÃO?

A. Jesus deu uma comissão especial aos doze apóstolos. Mt 10.5-16; Lc 9.1-6.

1. Esta commissão foi dada somente aos doze.

2. Ela foi restrita “às ovelhas perdidas da casa de Israel.”

3. Os apóstolos receberam poderes para curar os enfermos, limpar os leprosos, ressuscitar os mortos, e expulsar os demônios.

4. Eles não podiam possuir nem levar dinheiro, nem pão, nem roupa extra, nem alparcas, nem bordão.

5. Recebiam sustento das pessoas onde pregaram. Vamos lembrar que os doze tinham abandonado seus empregos normais.

6. Foi dada para os doze evangelizar com pressa, de curto prazo. Anunciaram a chegada do reino de Deus a Israel. Se Israel tivesse arrependido, o reino teria sido restaurado à nação.

B. Jesus deu uma comissão especial a setenta discípulos. Eles saíram de dois em dois para alcançar somente os Judeus. Lc 10.1-12.

1. Foi uma extensão da primeira comissão para salvar as ovelhas perdidas dos judeus.

2. Foi um trabalho rápido, relâmpago.

3. Como os apóstolos, os setenta tinham poderes para curar os enfermos.

4. Não podiam ir de casa em casa, mas ficaram hospedados em uma casa onde comiam, etc. Recebiam seu sustento das pessoas locais.

5. Anunciaram a chegada do reino de Deus a Israel. Mais uma vez, Deus estava pronto a restaurar o reino a Israel.

C. Jesus deu a “grande comissão” a sua igreja. Depois da rejeição de Cristo pela nação de Israel, Jesus enviou sua igreja ao mundo inteiro para pregar o seu evangelho e preparar um povo escolhido para seu nome. Mt 28.18-20; At 1.6-8; Lc 24.46-53; At 15.7-14. Esta comissão supera todas as anteriores.

1. A “grande comissão” não é para as ovelhas perdidas de Israel especialmente, mas para todas as nações e a toda criatura. Mc 16.15.

2. Não foi dada para durar pouco tempo, mas até a consumação dos séculos. Mt 24.14; 28.20.

3. Os poderes especiais dos Apóstolos e dos setenta não fazem parte desta comissão.

4. Os pregadores podem levar roupa extra agora, como Paulo que pediu sua capa devido ao frio que vinha. II Tm 4.13. Também quis receber seus livros, principalmente os pergaminhos.

5. Quando Paulo foi à Roma, ficou hospedado em sua própria casa alugada, não em casa dos outros. At 28.30.

6. O trabalho de constituir novas igrejas leva tempo. Não é um trabalho feito rapidamente. Paulo ficou um ano e meio em Corinto e três anos em Éfeso. At 18.11; 20.31.

7. Como é sustentado o pregador que trabalha hoje? É um pouco diferente do que os apóstolos e os setenta devido à natureza da comissão em vigor.

II. SUSTENTO NO VELHO TESTAMENTO

A. O sustento da tribo inteira de Levi veio do dízimo das outras tribos de Israel. Não foi dado para pagar os sacerdotes pelo serviço no templo!

B. Levi foi a única tribo que não recebeu terra como sua herança.

1. Porque Deus tinha escolhido Levi como um primogênito no lugar das outras tribos. Nm 18.20-21.

C. O sacerdote tinha que ser da tribo de Levi. Assim ele ganhou o dízimo igual a todos os outros Levitas, mas recebeu um salário alem do dízimo para seus serviços religiosos quando servia do altar. Nm 18.31; I Co 9.13; Lv 6.16; Nm 5.9-10.

1. O que sobrava das ofertas ficou com o sacerdote. Lv 2.3.

2. Ele podia comer delas. Lv 10.13-15.

3. Ele podia receber terras em certos casos. Lv 27.21.

4. Recebia dinheiro de certas coisas resgatadas. Nm 3.48-51.

5. Recebia ofertas e primícias. Nm 18.8-9,12.

6. As ofertas dos Judeus eram a herança dos sacerdotes. Dt 18.3-8; II Reis 12.16.

III. SUSTENTO DA IGREJA NO NOVO TESTAMENTO

A. No inicio da igreja, Jesus e seus apóstolos foram sustentados pelas ofertas de certas senhoras ricas. Lc 8.1-3. Tudo foi dado voluntariamente.

B. Judas levou o dinheiro usado pela igreja. Jn 13.29; 12.6. É evidente que Jesus e seus discípulos precisavam de dinheiro. O dinheiro era a contribuição de vários.

C. Logo depois Pentecostes, os irmãos venderam suas possessões para suprir as necessidades de outros. At 2.45; 4.32-37.

1. Esta passagem prova que os apóstolos receberam o dinheiro no começo.

2. Depois a igreja elegeu outros para distribuir o dinheiro às viúvas para aliviar os Apóstolos. At 6.1-6.

3. No caso de Ananias e Safira, é bem claro que as ofertas foram voluntárias. O crente pode comprar e vender a vontade. Porem, não deve mentir sobre a sua oferta.

D. O Apóstolo Paulo pediu que as igrejas no meio dos gentios ajudassem os crentes pobres em Israel.

1. Se os crentes Judeus deram suas coisas espirituais aos gentios, por que os gentios não podiam dar as coisas materiais? Aqui está registrado um princípio espiritual em respeito às nossas contribuições. Rm 15.25-27. I Co 8.11.

2. Paulo ensinou como preparar a oferta. I Co 16.1-4.

3. Cada membro separa e guarda regularmente sua oferta no primeiro dia de cada semana. É bom poupar para algum fim especial.

4. Paulo não quis ficar esperando enquanto a igreja arrumava a oferta.

5. Cada um dar conforme sua prosperidade.

6. A igreja aprove quem deve levar a oferta.

V. SUSTENTO DOS MINISTROS DA IGREJA

A. Paulo optou não usar o direito de receber ofertas pelo serviço que prestou às igrejas como missionário. I Co 9.12.

1. Nesta passagem, Paulo defende seu apostolado que alguns tinham colocado em dúvida. Ele não recebia sustento regular, como salário, das igrejas novas onde ele trabalhava. Por isso, pensavam que não era um verdadeiro Apóstolo. Os outros Apóstolos evidentemente recebiam sustento financeiro!

2. Ninguém serve o militar à sua própria custa. I Co 9.7.

3. Ninguém planta a vinha e não come do seu fruto. Idem.

4. Ninguém apascenta o gado sem tomar o leite! Idem.

5. A lei também ensina esta verdade. I Co 9.8-10. O boi que trabalha merece comer.

B. O ministro tem direito de receber seu salário. Paulo disse que outros usavam “deste poder” sobre a igreja. I Co 9.12. A palavra “poder” quer dizer direito. O ministro tem direito de receber salário ou dinheiro pelo serviço à igreja. Ele dá coisas espirituais e deve receber coisas materiais. I Co. 9.11.

1. “Digno é o operário do seu alimento.” Mt 10.10; Pr 27.18.

2. Como o sacerdote no Velho Testamento foi sustentado pelo altar, assim o pregador é sustentado pelo evangelho. I Co 9.14.

C. O pastor é responsável pelo ensino da Bíblia na igreja.

1. Ef 4.11 mostra que o “pastor e doutor” é um dom de Cristo à sua igreja. Doutor é quem ensina!

2. O pastor deve ser “apto para ensinar.” I Tm 3.2.

3. Quem ensina deve ser pago pelos alunos. Gl 6.6. “E o que é instruído na palavra reparta de todos os seus bens com aquele que o instrui.” Mais claro não pode ser!

D. Paulo deixou de receber um salário para não colocar uma pedra de tropeço no caminho dos gentios.

1. Seu galardão era pregar de graça. I Co 9.18.

2. Paulo não foi pesado para ninguém. I Ts 2.9.

3. Trabalhou dia e noite para não ser pesado para nenhum irmão. II Ts 3.8-9.

4. Tinha direito para receber salario, mas não o recebeu. Quis dar um bom exemplo para os outros. “Se alguém não quiser trabalhar, não coma também.” Vs 10.

E. Paulo trabalhou para seu próprio sustento, mas aceitou ofertas também. At 20.33-35;18.3.

1. A igreja em Filipos ajudou Paulo quando estava na prisão em Roma. Fp 2.25; 4.18.

2. Deu lhe apoio financeira mais que uma vez. Fp 4.16.

3. É bom ajudar um pregador. Versiculo 14.

4. As necessidades da igreja que ajuda o pregador serão supridas. Fp 4.19.

5. Paulo quis que os irmãos em Roma o ajudassem viajar para outros lugares depois da sua visita lá. Rm 15.24. Ele disse: “E que para lá seja encaminhado por vós.”

6. Atos 15.3 A igreja ajudou os irmãos viajar. Foram “acompanhados” pela igreja, isto é, ajudados na sua viagem.

F. Havia alguns que não queriam ajudar o pregador. 3 Jo 9-10.

1. Eles não pediram nada de ninguém para pregar o evangelho. Não receberam nada dos gentios, vs. 7.

2. Um ditador na igreja não os recebia e proibiu os outros de recebê-los. Isto é pecado.

G. O pastor que trabalha na palavra e na doutrina é digno de salário dobrado! I Tm 5.17-18.

1. O versículo que segue menciona o boi que debulha, como em I Co. 9.

2. Também está escrito sobre este assunto, “Digno é o obreiro do seu salário.”

H. Pastores não devem ser cobiçosos. I Pedro 5.2. Torpe ganância é ilícita. Não convém o homem de Deus ficar correndo atrás negócios para ficar rico! Deve aprender ficar satisfeito com que Deus lhe dá.

27 de maio de 2000
Fonte: www.PalavraPrudente.com.br

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS