HOUVE OU NÃO PREVARICAÇÃO?

Cadeia! Cadeia neles!

Certo assalariado constrói imóvel de R$ 1.000.000,00. Dono de lojinha de papelaria (ME) emite NF no valor de R$ 1.200.000,00. Desnecessário cogitar de desvendar lucros com Herbalite, Noni e Seguros entre os maiorais da elite que fazem da membresia meros multipicadores…

Conseguir a enorme façanha de instalar antenas nas unidades locais e movimentar R$ 20.000.000,00 (mas onde está o dossiê do fiscal da receita estadual?) mostrou o poder camaleônico.

DENÚNCIAS deste Blog na madrugada de 11 de novembro de 2011. Malotes de dólares no cofre do dono do CARIMBO REAL. Notícias do contrabando: R$ 50.000.000,00.

O poder camaleônico nesses negócios nebulosos é enorme e enraizado. Como o capim cyperus rotundus conhecido popularmente com o nome de tiririca. Leia e entenda. O poder camaleônico é auto-defensivo, avarento, corrupto, dissimulador, extravagante, manipulador, megalomaníaco e pseudocarismático. O poder camaleônico cuida de interesses próprios, insiste em resistir ao Espírito Santo e opera para o mal.

Para os anticristos da elite maranática é possível permanecer nas sombras, pisando na consciência e pisando nos pequeninos para tirar proveito econômico de situação vantajosa, como na Operação Duty Free; mas chega o dia e a sentença vem.

Porém, existem perguntas que não querem calar:

onde campeiam profetadas e revelagens?

onde as compras com notas fiscais frias e compras superfaturadas?

onde as fraudes nos negócios religiosos se multiplicam de maneira escandalosa?

onde o contrabando/descaminho a ninguém incomoda?

porque os pastores permitiram que VOTO DE CABRESTO assegurasse a continuidade da iniquidade?

Notas frias que teriam sido usadas no desvio de recursos dos dízimos dessa denominação controlada por Gedelti. Enquanto a iniquidade crescia as cortinas de fumaça impediam a ciência de que pastores da Maranata ficaram seis vezes mais ricos. Então muita gente começou a gritar: tiro o chapéu: Gedelti colocou todo mundo no bolso.

Em meados de novembro de 2011 o pastor-juiz de direito Idelson S. Rodrigues chegava à conclusão do PA – Procedimento Administrativo instaurado internamente a mando de Gedelti Gueiros.

O objetivo primordial deste PA foi o de apurar se houve desvio de aplicação de valores financeiros da ICM-PES, proveniente de negligência administrativa. Diz o PA. Como?! Desvio?! E quem não sabia disto?! Gedelti?!

Como Gedelti não sabia de DESVIOS DE DINHEIRO se em 1986 ofertas voluntárias foram desviadas para contas particulares de 7 (sete) pastores manipulados pelo PRD? Como Gedelti não sabia se havia CAIXA DOIS em Maanains? Não, Gedelti, não dá para passar por ingênuo e nem sair gritando: TÁ TUDO CERTO!!!

Essas apurações deram início e foram possíveis porque M. Moraes exigiu que diversos crimes (em tese) perpetrados naquela instituição fossem elucidados. Por esse tempo este pastor ainda considerava que Gedelti não se envolvera com corrupção e coisas do tipo. Ledo engano!

O Blog denunciava apostasia, banquetes de ladrões, desvios, erros, fraudes, profetadas e revelagens para proteger os donos de balcões de negócios e os Judas com assento cativo na elite.O olhar caolho do astuto dominador do rebanho defendia interesses pessoais e perscrutava tudo.  Quem nega?

A CONCLUSÃO do PA-ICM-PES n.01, de 10.11.2011, está disponibilizada. Antônio Carlos de Oliveira, Carlos Itamar Coelho Pimenta, Idelson Santos Rodrigues e Walace Rozzeti assinaram o PA 2011. Em tudo obedientes ao chefe religioso para agirem como emissários do PRD, esses quatro pastores ordenados pelo PES fizeram o que Gedelti Gueiros, então presidente da Maranata, queria (mas do jeito que ele queria).

Os artigos do Blog denunciavam insistentemente o beco sem saída e o poço de iniquidades; e a duras penas M. Morais, entre outros, começaram a compreender o que acontecia naquelas câmaras de NEGÓCIOS NEBULOSOS…

Este PA apareceu após antigas denúncias do Blog e denúncias (internas) do pr. M. Morais; e assim a investigação foi astutamente encenada pelo chefe dos anticristos maranáticos.

Este PA evoca o desgastado esquema das inúmeras maranacutaias palacianas e deu sequência ao voto de cabresto no final daquele ano. Diversas matérias na mídia.

Diante da gritante instisfação, em 14.03.2012 o Blog disponibilizou espaço para a Carta de Hugo Gueiros Bernades Filho, Sub Procurador Geral da República direcionada ao Conselho Presbiteral. CLAMOR PÚBLICO !

 

Já está posto o machado a raiz das árvores.

Nesse contexto é de considerar atos do fortíssimo poder camaleônico imposto sobre cada membro do colégio presbiteral – pastores -, de modo que jamais questionem os desvios doutrinários fragrantes geradores de mitos religiosos. Cada um deles é instado a crer na crença do chefe religioso, a obedecer e a pensar como participantes de uma irmandade privilegiada, como membros de uma raça superior. Então, o sectarismo cresce e inúmeros sentimentos de orgulho religioso sobrenadam a mente, as mensagens nos púlpitos, as profecias e as revelações que dizem da eternidade.

 

Por essas e outras razões entendemos que esse PA foi conduzido a modo a mascarar a realidade. Juras de BLINDAGEM e CORPORATIVISMO nas pessoas de magistrados membros do colégio presbiteral controlado por Gedelti. Entre esses ilustres magistrados, Couto Gonçalves, Evandro Cunha, Hermínia Azury (articuladora de demandas movidas pela ICM e seus interesses, inclusive na distribuição de processos e trânsito entre colegas simpatizantes de A Obra); Letícia Barreto esposa de Fábio Rangel, braço direito das finanças da igreja, irmão do juiz Fernando Rangel e marido da juíza Márcia Rangel.

Mas o que pesa é o seguinte: nos depoimentos coligidos nesse PA aparecem diversas CONFISSÕES DE CRIMES lançadas no rosto do pastor-juiz Idelson designado pelo mestre-profeta pseudocarismático, religioso e superior na hierarquia maranatizada; e eis a questão: inexistindo DENÚNCIA desses crimes confessados expressamente HOUVE OU NÃO PREVARICAÇÃO?

Investigações conduzidas pelo GAECO-MP-ES revelaram que outros pastores da cúpula da Maranata, incluindo Gedelti Gueiros estavam envolvidos nas fraudes. Evidentemente os sigilos bancário e fiscal foram quebrados. Fala- se de organização criminosa.

Inevitavelmente,  esse poço da iniquidades começou a ser aberto…

Invariavelmente, aos olhos dos formatados e dos meias-solas mercenários, as DENÚNCIAS deste Site estão erradas, as investigações dos órgãos públicos estão erradas; as notícias da mídia estão erradas; os delegados de receita federal e da receita estadual estão errados; os magistrados estão errados; os promotores de justiça estão errados … mas o clamor é público.

No fim de 2012 foi feita a busca e apreensão, além do sequestro de bens da igreja e dos pastores investigados. A operação conjunta denominada “entre irmãos” foi realizada, presentes os promotores do GAECO-MP-ES e a Polícia Federal.

Mais recentemente, grato pelos favores e benefícios da influência de Gedelti para sua carreira desde que entrou para o TJ-ES, o juiz Idelson intercedeu junto ao garoto TASSIO LIMA (que recebe para trabalhar em seu cartório e gabinete na 2ª Vara de Juizado de Pequenas Causas de Vila Velha), ganhou um apartamento e melhorou sensivelmente seus rendimentos.

Note-se que antes de ser seduzido pelo canto da sereia, foi induzido a trocar tais favores pela MUDANÇA DE SEU DEPOIMENTO EM CARTÓRIO, alterando todas as afirmações feitas perante o delegado da Policia Federal. Isso de forma estranha aos costumes mais simples, como p. ex., alguém ir à própria polícia para mudar justificadamente sua alteração; mas não, como os outros que foram coagidos ou comprados para mudar seus depoimentos, esse simplesmente aceitou proposta da sereia. Pior ainda: na mudança de seu depoimento em cartório a pedido de Idelson (seu chefe direto no novo trabalho), ao invés de ajudar Gedelti acabou por confessar que esteve na presença deste em reunião na Radio Maanaim às 17 horas de determinado dia; onde o Gedelti despachava ordens; e no intento de se redimir pelo que havia falado ao mesmo se apresentou. E acabou confessando que Gedelti, em clara afronta à Ordem Judicial de afastamento das questões administrativas, livremente dava ordens proibidas por decisão judicial.

Esse monarca religioso deu uma banana para a Justiça, eis que ele sempre se julga acima do Bem e do Mal. Audaciosamente cospe na cara de decisões judiciais e na cara na Sociedade. Este é o idoso que não deixa de fazer piadas no púlpito, pois correu o comentário dele imaginado Amadeu de sandália de dedo e uniforme de presidiário, lançando a moda… e arrancando risos da plateia. Gedelti riu da Justiça confiando em sua impunidade.

O grilo canta na carcaça…

Ser cúmplice é fácil mas eu DENUNCIEI!!!

NOTAS

Aqui não é lugar para calúnias e difamações. Discutimos doutrinas e ideias.

Cite a fonte caso faça cópia ou transcrição dos textos publicados neste Blog. Este artigo http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/houve-ou-nao-prevaricacao/

Em nome da ética democrática, que a data original e origem da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

Relembre o caso Maranata

> Bens de pastores da Maranata crescem 6 vezes
> Pastor briga para retomar a liderança da igreja Maranata
> Operação apreende documentos em sedes da Igreja Maranata
> Fraude derruba toda a cúpula da Igreja Maranata
> Igreja Maranata: dízimo desviado em fraude milionária
> Pastor usou ‘visão’ para justificar desvio
> Envolvido em compras foi preso pela federal
> R$ 1,8 milhão doados à igreja
> Igreja contratou sobrinho de presidente
> Maranata: “uma igreja que surgiu da luta pelo poder”
> Maranata pagou R$ 941 mil em materiais nunca entregues
> Maranata: líder da igreja é investigado
> Crimes federais investigados

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS