hoje, 12 de março, em duas datas da Maranata

Resultado de imagem para escreverApós ser atacado DE PÚLPITO pelo Pr. Gedelti no culto realizado na ICM Asa Norte no DF, no último dia 12 de março de 2012:

Brasília, 15 de março de 2012

Por amor a Sião, não me calarei e, por amor de Jerusalém, não me aquietarei, até que saia a sua justiça como um resplendor, e a sua salvação como uma tocha acesa. Isaías 62.1

Caros familiares,

Penso que muitos de nós vivem o pior momento de suas vidas.

O que se abateu sobre a Igreja Maranata tira a solidez do caminho que seguimos há décadas.

Preocupa-me, em particular, a separação que já se vê claramente entre nós da família.

Sei que nos queremos muito bem e eu, particularmente, farei o possível para manter o melhor relacionamento com todos. Entretanto, não temos como negar que isso se torna difícil nas atuais circunstâncias.

Fui ensinado na igreja que não há diferença entre pecadinhos e pecadões, da mens forma que , em quase 30 anos de combate à ilicitude, sei que também não se distinguem crimezinhos e crimezões.

Muito me preocupa a tolerância com que uma parte de nossos familiares está enfocando o problema, como se fosse uma alternativa bíblica fechar os olhos para onde esses problemas podem estar e concentrar toda energia contra quem efetua as denúncias.

Viajei ao Espírito Santo, falei com várias pessoas e não vi mudança de atitude alguma. Uma coisa eu vi desde antes da viagem: um homem (Mário, que conheço muito mal) está sendo massacrado há várias semanas, talvez vários meses. Não sei o que ele fez, mas posso falar da minha experiência. Pelo simples fato de fazer perguntas ao Presbitério, já sinto as represálias.

Nesta semana contaram-me de uma pregação no sentido de que quem envia e-mails não vai par ao céu. Pelo contexto que me foi narrado, parece ter direção certa. Se foi esse o intento, respondo apenas que, segundo a Bíblia, para falar nos cultos é preciso de decência (1 Cor 14:40).

Contra os que me acusam, agirei no momento oportuno. Mas como creio que vocês, da minha família, não foram tomados pela tradição de fechar olhos e ouvidos, e abrir mal a boca, encaminho, em anexo, as tais perguntas que fiz em meu próprio nome à direção da igreja, embora apoiado por pastores et antas pessoas que desejam detalhes acerca de como esta sendo conduzida a chamada “Obra de Deus”. Preocupa-nos o presente, não apenas o passado.

Peço que leiam com cuidado as perguntas. Digam-me vocês, como familiares e amigos, se existe alguma coisa errada no que estou pedindo. Digam-me, por favor, se há algo contrário à lei dos homens oi de Deus.

Evito até aqui a divulgação de cartas pelos conhecidos blogs e sites (ainda que algumas pessoas já começam a me criticar por esse meio). Meus requerimentos foram formulados rigorosamente dentro da discrição e das regras de igreja: primeiro aos pastores da minha região; deles expressamente para o presbitério. Só que peço documentos, não reuniões fechadas, muito menos cultos espetaculares.

Sou um pecador que constantemente erra e é levantado pela imensa misericórdia de Deus. Mas de uma coisa tenham certeza: não me omitirei do uso indevido do púlpito, sob o nome da igreja que teve como fundador meu pai aqui em Brasília. Isso atinge o nome da nossa família e, muito pior, o patrimônio e a fé de centenas de milhares de crentes, nossos amigos e irmãos.

Se algum dirigente da Igreja vier a usar os dízimos que paguei – e aqueles que vocês da minha família pagaram – para injustificadamente me processar, na linha dos novos “cultos de intimidação”, amém. “Bem aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus.” Mateus 5:8-10.

Mas lembrem que tenho como reagir de forma contundente, o que tenho evitado em prol de nossa família, mas ainda em favor da Igreja.

Sou Ministério Público. Estou acostumado há décadas com o enfrentamento de gente assim.

É muito duro dizer isso, mas na posição em que estou, deixo de respeitar todos aqueles (eventualmente, alguns de vocês da família) que, podendo, deixam de censurar quem engana as pessoas acerca dos fatos. Diz a Palavra de Deus em Prv. 17.1: o que justifica o ímpio eo que condena o justo, tanto um como o outro são abomináveis ao Senhor.

Sei que a grande maioria dos frequentadores da Igreja Maranata não tem ainda o menor interesse em saber o que se passa. Essa grande massa de dizimistas naturalmente dá crédito a qualquer coisa que lhe vem pela boca dos pregadores. Ouvi dizer que até mesmo que teria havido orientação de não ler jornais nem internet. Só que a Bíblia diz em Mateus 5:20: porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus.

Não podemos aceitar quem prega o que não pratica. Lembram da propaganda “mescla”, ou a distancia do poder? Ou, “Afastai-vos da aparência do mal…” Onde andam?

Concluo chamando atenção para o claro declínio das igrejas locais que construíram a Maranata. De forma crescente, só temos as mensagens centralizadas, seja por videoconferências, SEJA POR RECOMENDAÇÕES… Como mostra a história das igrejas, é o triunfo da tradição sobre a revelação.

Quisesse realmente mudar, o Presbitério voltaria à origem. Buscaria ver onde caiu. Admitiria pessoas de fora doo Estado e do Brasil para a gestão e controle de seus atos, além, de dar ampla publicidade aos números para que a própria igreja pudesse fiscalizar os bilhões de reais que tem. Mas não, lógico, os amigos de sempre. Como diz minha irmã: lima multinacional não pode ser administrada como o quintal da sua casa. Há muita gente boa – muita ente mesmo – nas igrejas desse país.

Fiquem livres para criticar ou comentar por email.

Que Deus nos proteja e guarde.

Hugo Gueiros Bernardes Filhos.

…………………………………………………………..

12 de março de 2013

Prisão de pastores da Igreja Cristã Maranata

Em 12.03.2013 – prisão de 4 pastores

Espanto geral!!!

Exibicionismo do dono da Igreja no dia 10.03.2013, domingo, na Pç. do Papa, cercado de seguranças; e na manhã 12.03.2013 – prisão de pastores – fato noticiado na imprensa nacional e internacional.

Gedelti Gueiros severamente advertido pelo Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo. Habeas Corpus negado à unanimidade pelo TJ-ES. Restrições agravadas sob pena de ser reconduzido ao presidio de Viana por descumprir e desobedecer ordem judicial. Jurama Gueiros recebia visitas pra dar recados e levar as ordens dele para o PES.

Impossível maquiar a imagem da Maranata

“Mas ai de vós, ricos! Já tendes a vossa consolação”. (Lucas 6.24) Jesus está falando a respeito daqueles, cujos propósitos, felicidade, ou alvos na vida consistem principalmente em coisas materiais ou na busca de grandes riquezas. (BEP, ARC, CPAD)

Neste Blog já denunciamos que alguns estão marcados para morrer, mas a Maranata insistem e se dizer vítima.

O Blog avisou – com antecedência – que depois do desfile final haveria sombras e vitupério; mas os bobos da corte, os formatados, os meia-solas e os valent, ops valetes da Obra continuam com memória curta, enquanto o mestre-profeta espalha o jargão: a verdade está na inocência.

O gedeltismo (ideologia Obra como forma de vida) desafiou o Deus das Escrituras Sagradas: distorceu as Escrituras, errou e continua errando com falsa unção, falso batismo com o Espírito Santo, falso profetismo, instigação do ódio religioso, meias verdades e muito teologismo (falsa teologia). O gedeltismo está fazendo milhares de vítimas.

O mal habita à porta da casa desses homens. Eles cometem iniquidades e obras sujeitas a pesado juízo e continuam carregando a iniquidade de seus corações. Eles mentem para si mesmos, mentem uns para os outros, mentem para suas famílias, mentem para a igreja, mentem para Deus e o Diabo.

O Ministério Público na ação penal 0081634-86.2013.8.08.0024:

Instituição que em seus próprios petitórios reconhece sua condição de vítima de ilícitos mas, na prática, adota condutas que impedem a responsabilização de todos os que a prejudicaram, circunstância que denota o comprometimento deletério dos envolvidos na direção da Entidade.

O poço de iniquidades está aberto, a imundície da banda podre começa a ser exibida e o ninho está sujo… muito sujo.

Por oportuno, a Escritura Eterna declara (Levítico 5.1):

“Quando alguém pecar nisto: tendo ouvido a voz da imprecação, sendo testemunha de um fato, por ter visto ou sabido e, contudo, não o revelar, levará a sua iniqüidade;”

Prisão de 10 pastores em 25.06.2013

mas esta é outra data…e outro artigo…

………

VEM O JUÍZO!!!

“O SENHOR é minha bandeira.”

CV.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS