O Calvário da Ovelha

Resultado de imagem para Sheep to the slaughterhouse

Campos de dores e de medos noturnos.

Como podemos fechar os olhos para os erros?

Como podemos evitar o horror desse calvário?

Doente e escondida. Medo! Pavor, melhor dizendo.

Dói o coração doente (a dor cardíaca dura minutos, tem relação com esforço e emoção e cessa quando eles terminam, exigindo coronariografia); mas a dor mais profunda é a angústia e esforço de destruir a formatação diante da deslealdade por parte do líder religioso.

Entrou para a ICM aos 18 aos de idade. Explorada pelo dono da clínica, pela filha do dono da empresa e pelo sistema, como afirma (fatores de pesadelos e sonhos de terror). Fechada a Clínica, ela foi para o PES; mas constantemente vigiada com dados apagados de seu PC, p. ex. Feridas religiosas são terríveis. Ingênua!!!

Ex-adeptos desta denominação eclesiástica permanecem debaixo de insistente pressão psicológica. Algo como morra agora ou cale-se para sempre! corrói as energias e os deixam doentes e irremediavelmente vulneráveis. Medo mortal!

Fugiu de medo para as bandas do Sul ou do Norte… mas o algoz a quer com a corda no pescoço e contratou escritório de advocacia em São Paulo, exigindo quebra de sigilo de páginas no Facebook em processo eletrônico com acesso através de Advogado. O artigo diz que a Juíza negou o pedido de segredo de justiça. ÓTIMO…

Medo de seu algoz, poderoso e rico senhor da fazenda que a procura para comer as carnes assadas no fogo de insidiosa perseguição religiosa, forçando e pressionando a queima de arquivo. Medo dos agentes de informação e repressão do sistema ao extertores do afrontoso Vai ser comido de bicho!

Medo dos fakes e dos falsos amigos que acuam a ex devedora da Obra a procura do pescoço na bandeja diante do sumo sacerdote. Morrer a cada dia… com medo e distante de membros da família.

Motores de busca do GOOGLE levantam notícias preocupantes. Os sites de acompanhamento processual noticiam o que não dá prazer em saber.

Nas redes sociais aparecem os balidos de milhares de ovelhas perseguidas reclamado das perseguições do sistema religioso. O poder corrompe especialmente o poder religioso.

O coração doente bate com esforço, comprimido pelas antigas sequelas de febre reumática aos 9 anos de idade, causada por amidalite (infecção estreptocócica que compromete as válvulas e traz consequências para a circulação, com estase do pulmão) e cirurgia cardíaca não bem sucedida no HPM – SUS.

O dono da Igreja bradou pelo satélite, ao final do ano passado (depois de iniciar demandas em São Paulo contra dissidentes). Nós não perdoamos os nossos devedores.

O falso profetismo acoberta os donos de balcões de negócios e lança maldições.

O mal está solto.

O ódio religioso é terrível.

O orgulho cresce no peito estufado e é determinado o sacrifício da ovelha. Os cúmplices da oligarquia estão espalhados nas redes sociais.

O que se pede, neste artigo, é o bom senso.

Os balidos de milhares de outras ovelhas escondidas aqui e acolá podem ser ouvidos, ainda que fisicamente estejam o mais distante possível das garras da ideologia opressora.

Que lucro existe em ser o algoz dessa doente? Que lucro existe em escrever a História dessa Igreja com demandas, desmandos e perseguições. Não basta o abatimento emocional e físico da ex-devedora da Obra? Não basta haver fugido para longe para não ser morta?

Que mal a ovelha causou aos cofres da Instituição? Que fortuna recebeu por meios ilícitos ou que imóvel transferiu para usufruto próprio ou de membros da família?

Que o Presidente desta Instituição, em insight de lucidez, se recorde do bem feito especialmente à sua filha no período de estudos em São Paulo; e deste modo evite maior mancha na História dessa Instituição, pois no nome desta Igreja corre a demanda que, por si mesma, expõe os erros do governo opressor.

Que por estas e outras razões, requeremos que V. Sa. determine à d. Advogada a DESISTÊNCIA EXPRESSA E IMEDIATA do pleito em relação àquela apontada como anônima, fake, bloqueada em páginas do Facebook.

Reporto-me aos artigos mencionados, integrando-os a esta petição.

“O SENHOR é minha bandeira.”

CV.

NOTAS

Acessem

https://diganaoaseita.wordpress.com/

https://www.facebook.com/CavaleiroVeloz

https://www.facebook.com/groups/retirante/

https://obramaranatarevelada.wordpress.com/

https://www.facebook.com/groups/maranatarevelada/

https://www.facebook.com/esperancadapromessa/?fref=nf

https://www.facebook.com/groups/maranatarevelada/?fref=ts

https://www.facebook.com/groups/453224961469057/?fref=ts

Aqui não é lugar para calúnias e difamações. Discutimos doutrinas e ideias. Compartilhem http://cavaleiroveloz.com.br/ Este artigo http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2017/07/o-calvario-da-ovelha/

Evite escrever em CAIXA ALTA (letras maiúsculas) por ser deselegante. Evitem postagens fora do FOCO do artigo.

Expressões e frases em itálico aparecem em apostilas da ICM-PES.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
2 comentários em O Calvário da Ovelha
 
Da cumplicidade à ética de Judas

Resultado de imagem para "Judas Iscariotes A decadência da Maranata é notória. Apostasia, corrupção, estelionatos, instigação de ódio religioso, mentiras palacianas, perseguição aos dissidentes e voto de cabresto para manter a oligarquia pseudocarismática.

Alguns dissidentes estão cercados com demandas judiciais. Colhendo os fatos facilmente constatamos a anterior discriminação que prenunciava a perseguição religiosa. Então, no início de 2013 a liderança deu início à fábrica de demandas judiciais inconsequentes. Insatisfeito, o dono da Igreja comandou o ingresso de 4 (quatro) demandas judiciais no Fórum de São Paulo (a ICM já sofreu derrotas em 4 agravos).

Ao longo dessa oligarquia pseudocarismática Gedelti Gueiros exigiu incondicional obediência ao que ele fala. Ele ameaça com a profetada: Bichada! Bichada! Vai ser comido de bicho! E não se cansa de instigar o ódio religioso. Mordaça a moda do palácio da rainha desfigurada.

Aqui começa o apelo dos angustiados, pela justiça de Deus contra os malfeitores.

  “Podia, acaso, associar-se contigo o trono de iniquidade, que forja o mal tendo por pretexto uma lei? Acorrem em tropel contra a vida do justo e condenam o sangue inocente.”

Atos de agressão psicológica e hipocrisia palaciana correm como fogo em palha seca pela boca dos falsos profetas. Campos de ódio e preconceito religioso. Envolvidos em tanta ENGANAÇÃO, não mais conseguem achar o caminho de volta ao EVANGELHO DE DEUS. Inventam meias verdades para justificarem os erros e repetem-nas para não mais esquecerem as mentiras nos cultos proféticos, nos púlpitos e nos seminários.

Campo de fraudes e de lucros entre donos de balcões de negócios e parceiros. Com ameaças de morte, intimidação de testemunhas e obstrução da Justiça. Conheça a Maranata… por dentro.

Como esta liderança pode pregar contra contrabando, duplicatas simuladas, estelionatos, evasão de divisas, fraudes e outros crimes se ela corrompeu-se? Desvio de ofertas voluntárias para os bolsos de sete pastores. Em nome de o sinhô revelô convocam os membros para seminários: exigem pagamento antecipado, marcam e desmarcam datas criando o estorvo e reafirmam: parcelas pagas não serão devolvidas caso haja desistência. Não devolvem as parcelas! Oh! Os membros são devedores da Obra, o restolho da sociedade religiosa.

Encheram os bolsos de dinheiro da Instituição, fabricaram notas fiscais sem lastros, iludiram o mais que puderam, ingressaram com demandas judiciais inconsequentes, perseguiram os dissidentes e retirantes, pisaram nos pobres e necessitados, produziram males sem conta e se dizem inocentes enquanto engrossam os bolsos de advogados com fartos honorários.

Está deflagrada a instabilidade na oligarquia! O clamor continua notório e público. O desmonte é a consequência. O palácio da rainha desfigurada impôs estratégia duvidosa e a expectativa de juízo é real.

Existe Ética no Novo Testamento; mas o gedeltismo a despreza e construiu a sua ética: a mesma de Judas Iscariotes. Por conseguinte, cabe a pergunta: Judas, cadê o dinheiro?

Existe Lei neste País: mas o dono da Igreja a ignora e impõe o medo opressor. Na base de o sinhô revelô, impera o jugo no centro das decisões: aqui manda quem pode e obedece quem tem juízo.

Feridas religiosas são terríveis. Gente machucada juntando os cacos. Imposição do ódio religioso. Não é novidade: as estradas estão cheias de retirantes…

Litigar judicialmente contra crentes que denunciam erros da liderança e questionam a negativa de transparência, é exibição de ditadura eclesiástica, e de maquiavelices e de maranatramas, e de orgulho e de preconceito religioso.

“Quanto a Gedelti, sua participação é clarividente, uma vez que em no mínimo 90% (noventa por cento) dos muitos depoimentos apontam que toda e qualquer decisão tomada na Igreja ou por seus membros e líderes dependem exclusivamente da ordem e aval do Presidente.” (Decreto de Prisão, Vitória, 08/03/2013, às 23:55 horas. MARCELO MENEZES LOUREIRO – JUIZ DE DIREITO)

Na passagem do ano o dono da empresa e mestre-profeta insistiu, via satélite: nós NÃO perdoamos os nossos devedores. O medo psicológico é imposto para silenciar ideias e opiniões consideradas incômodas pelo establishment, proporcionando maior nível de proteção aos defensores da oligarquia.

Não existe cura!!!

Noção dos pesos de integridade, justiça, misericórdia, moral, transparência e verdade? No esquema da ideologia Obra como forma e vida não existe essa noção. O oposto, sim! O que permeia na mente dos ditadores religiosos não são os interesses nebulosos?

Nunca deveríamos deixar de considerar o estrago feito por esta ideologia draconiana e espúria por natureza; porquanto a pergunta que não quer calar permanece: porque deixei crescer dentro de mim o mal que destruiu milhares de vidas?

O conluio está formado e cada membro do Conselho Presbiteral declara obediência ao dominador do rebanho (que não serve de exemplo para os membros). Portanto, o Conselho Presbiteral, estabelecido em 10.12.2011 por voto de manobras palacianas, não se interessa em enfrentar os erros e, muito menos, em exigir devolução de bens expropriados por membros da oligarquia.

O mal não está no anseio dos crentes por condutas Éticas dos diáconos, obreiros e pastores da Instituição. O mal existe na doença endêmica. O que vemos são carcaças amontoadas no lixão da cidade, como na postagem de revelação.

O mal não está na Lei que enfrenta a apropriação indébita, a corrupção, a duplicata simulada, a formação de quadrilha, a evasão de divisas, a lavagem de dinheiro, o contrabando, o crime contra a ordem tributária, o estelionato; mas na oligarquia pseudocarismática e dissimulada através da hierarquia institucional.

O maranata deseja o ministério responsável e sadio; mas como haverá cura dessa esquizofrenia religiosa se os pastores obedecem à cartilha imposta pelo dono da Igreja?

O pacote oferecido nos seminários da Obra, com o artifício mistérios da Obra continua extremamente intoxicante, perigoso e sectário.

O tempo passa e a Instituição segue o rumo traçado pelo criador da ideologia Obra como forma de vida; porquanto o gedeltismo encurralou a Instituição em um beco sem saída.

Onde cada aniversário da Igreja aponta a queda do maranatismo opressor, homens honestos e mulheres sinceras refletem e rompem com o sistema.

Os fakes (emissários palacianos) que nos atacavam nas 24 horas do dia, em cada dia da semana, se esvaíram com os escândalos fartamente noticiados e denúncias do Ministério Público (começaram a compreender o atoleiro em que se meteram e romperam com o sectarismo). Entre esses, ocasionalmente alguns apareceram e pediram perdão; mas aqueles lobos destruidores de ovelhas disfarçados de pastores, especialmente os que se beneficiam com polpudos salários, amam o presente mundo, já receberam o seu galardão e não largam o osso.

Qual a palavra definitiva a ser dita pelo Justo Juiz a respeito da cumplicidade dos membros com o líder posicionado no vértice da pirâmide do crime em uma sofisticada organização criminosa?

Se o dono da Igreja a si mesmo desse tempo para entender a loucura do desmonte que patrocinou e repensar o óbvio, seria ótimo. O arrependimento não lhe interessa. O mal causado a esta geração de crentes não tem volta. Por estupidez religiosa.

Será que, antes que rompa o fio de prata, haverá tempo de dizer: “Pequei, traindo sangue inocente”?

Sombras e vitupérios!

NOTAS

Acompanhe em

https://www.facebook.com/CavaleiroVeloz

https://obramaranatarevelada.wordpress.com/

https://www.facebook.com/groups/maranatarevelada/?fref=ts

Aqui não é lugar para calúnias e difamações. Discutimos doutrinas e ideias.

Cite http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2017/07/da-cumplicidade-a-etica-de-judas/  caso faça cópia de parte e/ou todo

Compartilhe.

Em nome da ética democrática, que a data original e origem da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

Escrever em CAIXA ALTA (letras maiúsculas) é deselegante. Evitem.

Evitem postagens fora do FOCO do artigo.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
2 comentários em Da cumplicidade à ética de Judas