Negócios de família e fábrica de Judas

Coisa de cunhado, esposa, filha e genro, irmã, sogro e sobrinhos… e chegados, inclusive aqueles que não poderiam faltar: falsos profetas e políticos raposas. Desde a criação da empresa religiosa ICM-PES ela sempre foi um negócio de família controlado pelo chefe-mestre-profeta: Gedelti Gueiros. Dos membros do PES alguns figuram no caixa dois de 1986; outros foram designados mestres da ideologia Obra como forma de vida (assalariados ou envolvidos em emissão de notas frias); e outros foram escalados profetas a tiracolo (com direito a cartão sem limites e outros privilégios). Nada de transparência.

Denúncias não faltaram enquanto os negócios nebulosos  prosperavam; mesmo porque, entre aqueles levantados pastores não faltam cúmplices: coordenadores, mercenários e tesoureiros envolvidos em caixa dois e depósitos D1, D2 e D3. Nada obstante, o Blog marcou época com denúncias insistentes, fato publicamente reconhecido (A GAZETA). Por último, o MP-ES destacou a operação “entre irmãos”. No final de 2012.

Dezenas de vezes (cerca de 100 postagens) o Blog denunciou os desvios de dízimos nas unidades locais, práticas daqueles que nelas se comportam como avarentos emissários do palácio da rainha desfigurada, enquanto alteram os dados dos relatórios com a conivência de coordenadores e do próprio Presbitério. Este é o jogo desonesto e odioso na construção dos caixa dois. Enquanto isso, ecoa a pergunta que não mais quer calar: Judas, cadê o dinheiro?

Impossível imaginar o estrago que a ideologia Obra como forma de vida conseguiu em quatro décadas de autodefesa, avareza indiscriminada e dissimulação – bases dessa coisa asquerosa, horrível e nebulosa chamada gedeltismo que domina a membresia e formatou milhares de jovens; mas graças damos ao nosso grande Deus e Salvador Jesus Cristo que não nos desamparou ao longo das DENÚNCIAS.

O gedeltismo é fábrica de Judas! Comprovadamente! Por isto, disponibilizamos um caminho aberto para que todos cheguem a conhecer a malignidade do sistema formatador de jovens que maliciosamente os prepara para serem meros instrumentos das maranacutaias palacianas.

Para evitar que a prática dos crimes fosse descoberta, funcionários foram orientados a destruir cópias de recibos. “Fui orientado pelo Antônio Ângelo e pelo Leonardo a destruir todos os documentos, recibos e depósitos que não passavam pelo caixa central do presbitério para não cair em nenhum tipo de fiscalização”, relata um funcionário da igreja. (*)

Registrando, neste sentido, a postagem de 17 de novembro de 2013 às 17:41  no artigo  http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2013/11/a-babilonia-prostituida/

“Segue um breve resumo de minha história.

História de um Jovem de 19 anos que é um retirante.

Fui nascido e criado na ICM. Cresci escutando e aprendendo tudo que eles ensinaram, porém meus pais sempre me ensinavam a reter o que é bom. E assim fomos caminhando na ICM.

Chegou um certo dia, que meus pais e toda minha família saíram da ICM. Primos, tios, avós e irmãos, todos saíram da ICM, menos eu.

Nesse período que eles saíram, eu senti na pele como a ICM os discriminava. Uma certa vez, ao orar pelo meu aniversário de 16 anos, um irmão do GI disse que o Sr. mostrou a ele que minha mãe tinha uma doença grave que ela não havia contado para ninguém ainda. Eu ignorei esse dom, pois mesmo estando na ICM, eu aprendi a discernir os dons. E de fato, ele não se cumpriu.

Aos 17 anos ( Minha família ja tinha saído ), me escolheram na igreja para ser TESOUREIRO. Eu não queria, mas aceitei por pressão, assim como não queria ter sido levantado a obreiro com 15 anos, mas fui pela pressão dos ” Dons “.

Nessa de tesoureiro, me ensinaram a fazer CAIXA 2, isso mesmo, fui treinado pelo antigo tesoureiro a desviar uma parte do dinheiro que era enviado aos PES. Ainda disseram: Todas as igrejas fazem isso, só não se deve comentar, mas todas fazem. Quando me levaram ao cartório para registrar firma, GRAÇAS A DEUS o tabelião disse que, para ter firma registrada, eu teria que ser maior de 18 anos.

Olhem só, desviar dízimo é CRIME, mas como eu era de menor, não poderia ser preso. Iria ser sutilmente utilizado.

Nem isso foi suficiente para eu me acordar.

Porque eu não acordei? Porque todo meu circulo de amizade estava ali, foi construído ali. Eu gostava muito de estar com eles, eu era muito envolvido com as atividades da “Obra”. Esse era o motivo que eu acreditava, mas o real motivo era outro, eu na verdade tinha minha mente bloqueada, via a ICM como uma igreja perfeita. Pobre ilusão.

Com tudo que aconteceu, eu tomei um “sacode” forte, e comecei a dar liberdade a mim mesmo para pensar e questionar. Aos poucos fui vendo que muitas, repito, muitas questões que eu tinha, não existiam repostas a elas. Eu sempre tive certas dúvidas, como por exemplo:

Por que toda oração obrigatoriamente tinha q ser precedida pelo “Clamor pelo Sangue”; Consulta a Palavra; Caixa 2 e outros. Sempre tive essas dúvidas, mas eu as ignorava involuntariamente.

A cada maanaim, pregação do PES, se tornava mais forte em mim a manipulação do PES que me impedia de questionar e pensar. Mas como já disse, com o impacto dos acontecimentos dos últimos dias eu comecei a procurar saber mais, comecei a frequentar blog’s como este, grupos no facebook e, graças a Deus, depois que minha família já tinha saído há 5 anos atrás, eu também consegui sair.

Eu era obreiro, instrumentista e do grupo de louvor, mas hoje sou liberto.
Prefiro liberdade, que títulos humanos.

Sei que perderei “amigos”.
Sei que não estarei mais naquele ciclo de “amizade” que foi construído dentro da ICM, mas prefiro viver com a consciência limpa, na verdade, que me submeter à mentira e à iniquidade em troca de uma ilusão de igreja perfeita.

E com certeza, o que há de vir agora será muito melhor do que eu já vivi. Deus não desampara seus filhos. Sinto-me como se tivesse tirado 100 kg das costas.

Saí da ICM tem algumas poucas semanas.”
.
.
Olá Guilherme Júnior

Graça e paz em Cristo Jesus.

Bem vindo.

Dezenas de vezes denunciamos os desvios de dízimos nas unidades locais por aqueles que ali se comportam como meros emissários do palácio da rainha desfigurada enquanto alteram os dados dos relatórios com a conivência de coordenadores e do próprio Presbitério.

Este é o jogo desonesto e odioso na construção do CAIXAS DOIS. Fábrica de Judas!

Impossível imaginar o estrago que a ideologia Obra como forma de vida conseguiu nessas quatro décadas de autodefesa, avareza indiscriminada e dissimulação – bases dessa coisa asquerosa, horrível e nebulosa chamada gedeltismo que domina a membresia e formatou milhares de jovens; mas graças damos ao nosso grande Deus e Salvador Jesus Cristo que não nos desamparou ao logo das DENÚNCIAS; e, deste modo estamos disponibilizando um caminho aberto para que todos cheguem a conhecer a malignidade do sistema que formata jovens e os prepara para serem meros instrumentos das maranacutaias palacianas.

Meu irmão, ouça o que lhe digo: adquira – o mais breve possível – o livro CURAI ENFERMOS E EXPULSAI DEMÔNIOS, de T.L.Osborne, Graça Editora.

Permaneça firme nas promessas de Jesus e nada de permitir que algum meia-sola o procure com revelação para voltar.

CV.

NOTAS

Acompanhe em https://www.facebook.com/CavaleiroVeloz

Aqui não é lugar para calúnias e difamações. Discutimos doutrinas e ideias.

Caso faça cópia ou transcrição dos textos publicados neste Blog. Este artigo http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/negocios-de-familia-e-fabrica-de-judas/

(*) http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2014/07/espelhos/comment-page-1/#comment-17459

Em nome da ética democrática, que a data original e origem da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

Escrever em CAIXA ALTA (letras maiúsculas) é deselegante. Evitem. Evitem postagens fora do FOCO do artigo.

Imagens colocadas nos artigos como ilustração foram retiradas da Internet (Google) e também dos textos aqui postados, presumindo serem de domínio público. No caso que haja alguma imagem sem os créditos devidos não foi intencional; e, deste modo agradeceria em nos avisar que colocaremos os créditos.

Lembrando que este SITE é específico, cujo ACERVO denuncia: apostasia comunitária, autodefesa, avareza indiscriminada, bancas de negócios, corrupção e crimes (em tese) na elite maranática, desestruturação familiar, discriminação eclesiástica, dissimulação, dominação quadragenária, enganação premeditada, fábricas de notas frias, fisiologismo político, formatação mental em seminários nos Maanain’s com instigação do ódio, meias verdades e negócios de família.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS