Lavando os pés…

29language-t_CA1-articleInline Baforadas de hipocrisia:

“abandonei a igreja pra ser cristão”;
“deixei a igreja pra ser cidadão do Reino de Deus”;
“depois que abandonei a igreja, entendi o que significa ser cristão”;
“estou cansado de ir à igreja”;
“igreja é lugar de gente hipócrita e suja”;
“igreja, pra quê?”;
“igreja não, eu quero é Obra”;
“igreja não presta”;
“não quero ir à igreja”;
“os maiores homens da Bíblia não frequentavam igrejas”;
“prefiro ficar sozinho, igreja não presta”;
“religião por religião fico em casa assistindo bons programas”…

Essas frases tornam os indivíduos responsáveis pelo que falaram.

Cansei de bocas escancaradas, criticando apenas por criticar.

Gente de nariz empinado falando nada com nada, destruindo para nada erguer no lugar, escondendo desculpas esfarrapadas, obstinações e preguiças. Gente de pés sujos que não quer a alma lavada e o coração purificado pela Palavra.

Gente estéril, longe da esperança, da fé e do amor de Deus. Insensatos que recusam as bênçãos destinadas ao que estão no Corpo de Cristo. Nada fazem pelo “evangelho da graça de Deus”, inventam revelações e sonhos, não ajudam a levar as cargas uns dos outros e nunca se desprendem para amar o próximo; mas estão presos a algum tipo de doutrina revelada e falso profetismo.

Gente muito sábia na briga para causar divisões e romper com a “instituição”; mas criando “instituiçãozinha” com a mesma doutrina revelada e a mesma heresia de frutos podres e até piores…

Gente que não larga as muletas, embora prefira se excluir da comunidade cristã, porque insiste em auto comiseração para ser servido. Gente que não passa de caminhantes carregando defuntos dentro de si. Ora, com a adoção desse estilo de fariseus incrédulos, nos tornamos notórios sectários responsáveis diante de Deus e dos homens. Por não sermos luz do mundo nem resplandecermos nas trevas.

Congregar com amados irmãos na “fé em Jesus”, que querem ser “um em Cristo Jesus” (Gl. 3.28), porque Ele é “o justificador daquele que tem fé em Jesus” (Rm. 3.26), é bênção inaudita. Lendo Atos dos Apóstolos, aos nossos olhos sobe um ciclone de imagens. Não consigo entender cristianismo sem comunidade, sem fidelidade às Escrituras, sem o fluir do Pentecostes, sem o primeiro amor.

Chegado a hora do culto cristão, alguns chegam cedo; crianças, pais, mães e outros e mais outros… De repente aquela parte da grande “família de Deus” (Ef. 2.19) está reunida. Felicidade é participar do culto cristão com dízimos e ofertas voluntárias, aguardando a Colheita Final. Deste modo, continuo plantando sementes. Não me cansei de aprender a investir no Reino de Deus. Sei que Ele dará o crescimento (cf. 2 Co. 9.1-15).

Desde que me aproximo do local de cultos os cânticos congregacionais me alegram, como bálsamo e conforto: ali está parte da minha família (não estou sozinho). Estar com pessoas diferentes, cantando hinos com devoção, exaltando o Nome do Eterno e Todo-Poderoso, falando de coisas que experimentam, nunca desfalecendo e orando sempre e sem desfalecer… como é prazeroso e sincero. Costumeiramente, abraço as crianças, dou atenção aos jovens, mães de mim se aproximam, falo com elas e converso com os idosos e os visitantes. Não me importa a cor das pessoas, roupas e vestidos. Se perfumados ou com o cheiro forte de quem apressado caminhava debaixo de sol, camisa de poliéster fechada até o pescoço… mas chegou a tempo de participar das bênçãos do Corpo.

Há algum tempo, convidado para o culto na Assembléia de Deus, cheguei cedo, como de costume. Muitos irmãos já estavam ajoelhados e orando. O Diácono me conduziu até à frente. Sentei-me ao lado de um ancião que aparentava oitenta anos, pelo menos. Cabelos branquinhos e encaracolados… Em suas mãos enrugadas e levemente trêmulas, aquele antigo exemplar da Bíblia, companheiro de muitos anos… Com amável sorriso ele respondeu ao meu.

Instantes depois, falei baixinho:

- Meu pai, deixe-me fazer um pedido…

- Sim, o que o amado irmão deseja?

- Me fale a respeito do Céu…

Como brilhou a face daquele ancião! Com os olhos fechados ele começou a falar de coisas que conhecia. Como um perfume raro que exalava do espírito interior, assim a esperança cristã  refletia a sensatez da vitória. (Entre os crentes em Jesus sempre me acontece encontrar alguém que eu gostaria de engraxar os sapatos…) Bem que gostaria de estender a conversa, mas os minutos corriam e chegara a hora do meu testemunho da “fé em Jesus”.

A cena em que Jesus lavou os pés dos discípulos está diante de nós (Jo. 13.1-17). Com muitas outras coisas para fazer naquela última semana parecia perda de tempo o que Jesus fez. No entanto, após a Ceia Pascal e antes de instituir a Ceia do Senhor, Ele cingiu-se com uma toalha, pegou uma bacia com água e começou a lavar os pés dos amigos.

Abnegação, amor, comunhão, discernimento, humildade, purificação e serviço, como um pano de fundo do que seria, dali em diante, o viver em Cristo e servir em amor na Casa de Deus.

Jesus observou pés sujos entre os discípulos. Ele percebeu a necessidade deles: purificação. Aproximando-se de Pedro para lavar-lhe os pés, este recusou, pois disse (v. 8): “Nunca me lavarás os pés”. E os presentes ouviram a resposta, como um chama de fogo: “Se eu não te lavar, não tens parte comigo.” Diante dessa franqueza Pedro mudou de ideia. Na hora! E aqueles homens entenderam que o Mestre exigia limpeza naquilo que carecia de constante purificação. Porém, Judas Iscariotes mantinha a mente fechada às palavras (v. 10) “vós estais limpos, mas não todos.” E persistiu no engano do pecado. Capacitado pelo Diabo que nele entrou (v. 27), antes da Ceia da Nova Aliança levantou-se e mergulhou nas sombras da traição de Jesus a preço de trinta moedas de prata. Não quis purificação. Por fim se enforcou. 

Conclusão

Amados, a “igreja de Deus… corpo de Cristo” (1 Co. 1.2; 12.27) é alegria no Espírito, amor, aprendizado, arrependimento, atitude, “baluarte da verdade”, bênçãos, cânticos congregacionais, espirituais e litúrgicos, comunhão, confissão, conforto, “constância em Cristo”, contribuição, convicção, convivência fraternal, crescimento, curas, devoção a Cristo e ao Evangelho de Deus, dons espirituais genuínos, “doutrina dos apóstolos”, educação cristã, ensino, entrega, envolvimento, esperança cristã, ética cristã, evangelismo, exercer fé em Jesus, fortalecimento em espírito, graça, gratidão, lavar os pés, libertação plena, louvores, mistério de Deus, ofertas, orações e ousadia.

A “igreja de Deus… corpo de Cristo” é paz, perdão, perseverança, poder contra as hostes satânicas, poder na criação de composições eruditas preparação para o iminente arrebatamento dos santificados em Cristo, “primeiro amor”, prontidão em servir, prosperidade, quebrantamento, refrigério, restauração, “sabedoria de Deus”, separação, sinceridade, socorro, solicitude além das quatro paredes, resplandecer como luzeiros do mundo, teologia, testemunhos de vida e viver em ressurreição.

A “igreja de Deus… corpo de Cristo” não é casa, prédio ou templo. Diante da gloriosa presença de Deus, ainda que sejam dois ou três irmanados em Nome de Jesus, os novos perguntam (At. 2.37): “que faremos, irmãos?” E os mais experimentados conhecem a insistência de Cristo (Jo. 13.17): “se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes.”

Deste modo, o mundo conhecerá e reconhecerá a comunidade cristã que a Deus adora “em espírito e em verdade” (Jo. 4.24). Isto somente é possível no contexto de obediência ao Novo Testamento e no contínuo fluir do Pentecostes, enquanto aguardamos o arrebatamento. Porquanto, a comunidade cristã deve ser reflexo da comunhão existente na Tri-Unidade da Divindade,

“…para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais, segundo o eterno propósito que estabeleceu em Cristo Jesus, nosso Senhor, pelo qual temos ousadia e acesso com confiança, mediante a fé nele.”

(Ef. 3.10-12)

O serviço cristão exige que procuremos oportunidades para sermos servos uns dos outros. Para que alguém entenda e participe das bênçãos destinadas à “igreja de Deus… corpo de Cristo”, há de ser purificado. Nele e por Ele, a Palavra Viva. Sempre!

Para que os leitores fiquem cientes “de como se deve proceder na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, coluna e baluarte da verdade” (1 Tm. 3.15), nossa é a tarefa de anunciar a graça e a misericórdia de Deus. Isto inclui amar a Deus e demonstrar esse amor lavando os pés dos cansados de caminhar por estradas escorregadias, perigosas e poeirentas. Especialmente os retirantes (quem lê entenda).

Porém, quando o Eterno começar a derramar o juízo que está reservado para os ímpios, obstinados e rebeldes, ficarão de pé aqueles que hoje desprezam a “igreja de Deus… corpo de Cristo”  e a transformam em covil de avarentos e salteadores ?

NOTAS

Acompanhe em https://www.facebook.com/CavaleiroVeloz

Aqui não é lugar para calúnias e difamações. Discutimos doutrinas e ideias.

Caso faça cópia ou transcrição dos textos publicados neste Blog. Este artigo http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2011/04/lavando-os-pes/

Em nome da ética democrática, que a data original e origem da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

Escrever em CAIXA ALTA (letras maiúsculas) é deselegante. Evitem.

Evitem postagens fora do FOCO do artigo.

Imagens colocadas no artigo como ilustração fora retiradas da Internet (Google) e também dos textos aqui postados, presumindo serem de domínio público. No caso que haja alguma imagem sem os créditos devidos não foi intencional; e, deste modo agradeceria em nos avisar que colocaremos os créditos.

Atualização em 24.08.2013

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

61 Respostas para “Lavando os pés…”

  1. Firme nas promessas disse:

    Igreja de Deus aqui presente

    Nestes ultimos meses presenciamos momentos angustiosos, decepcionantes e dolorosos, decorrentes de ideologia “Obra como forma de vida” introjetada na mente dos membros da ICM.

    Pensar que poderia existir neste mundo, onde o dinheiro é a raiz de todos os males, uma instituição religiosa perfeita, foi CONCORDAR com heresias e fugir do exame consciente e criterios das Escrituras.

    Estivemos por anos seguidos seguindo uma doutrina falsa, que no momento nos era apresentada como realmente perfeita, mas só agora podemos ver o quanto mal nos fez. Perdemos anos de nossa vidas debaixo de um jugo que nos deixou amargos, cegos, acreditando em profetadas, falsas linguas estranhas, orgulho religioso e impossibilitados de pensar. Vaquinhas de presépio!

    Hoje vemos quanto foi estúpido de nossa parte.

    Leia este artigo deixando o amor de Jesus nos retratar cenas do que é ser Igreja de Deus, Corpo de Cristo e nos ensinar a viver como igreja, irmanados na mesma fé, amor e esperança…

    Simplesmente a sensibilidade do autor do artigo foi exposta, sem buscar argumentos dogmáticos ou teleológicos, algo como um abrir de coração…

    Por isso amamos este Ministério!

    Tenham uma boa tarde

  2. Joao Paulo disse:

    Cavaleiro, me converti na maranata há 16 anos atrás. Te digo que quando entrei tive muitas experiencias com o Senhor. Vou permanecer na Maranata por isso, mas estou consciente de que de lá pra cá td mudou não se tem mais dons como antigamente. Existe muita profetada, revelagens. Os maanains deixaram de trazer doutrinas para se trazer mensagens (como o pastor fernando athayde disse). Se foca apenas em evangelização, crescer, crescer. Acontece que visito outras igrejas e nenhuma se compara a Maranata em que me converti há 16 anos atrás. Hj a propria maranata não é o que era e digo isso não por causa dos escandalos e sim por ter senso critico e avaliar as coisas de como eram e como são agora. Se vc conhece uma igreja séria como a que conheci a 16 anos atrás por favor me diga moro em Sao jose dos campos SP.
    .
    .
    Olá João Paulo,

    Bem vindo.

    Enderecei a postagem para este espaço, em cujo artigo deixei um olhar a respeito da “igreja de Deus… corpo de Cristo”.

    Esta é a igreja que conheço e dela faço parte. Ela ainda está deste lado da existência até o momento em que o Messias Jesus, o Cristo de eus, der ordem para que ela suba ao Seu encontro, “num momento, num abrir e fechar de olhos”

    Por oportuno, enquanto V. está à procura de determinada comunidade cristã onde possa dar continuidade à “fé em Jesus”, adquira hoje mesmo o livro CURAI ENFERMOS E EXPULSAI DEMÔNIOS, T. L. Osborne, Graça Editora.

    Se V. quer entender a eficácia do EVANGELHO DE DEUS dedique-se ao aprendizado das lições do livro.

    CV.

  3. Firme nas promessas disse:

    Joao Paulo disse:
    21 de junho de 2013 às 13:13
    “Te digo que quando entrei tive muitas experiencias com o Senhor. Vou permanecer na Maranata por isso, mas estou consciente de que de lá pra cá td mudou não se tem mais dons como antigamente.”

    E você está feliz assim?
    Se arrastando porque não consegue ver outra igreja séria?
    Com certeza não está!
    Esta história de que a obra é única foi ensinada justamente para que todos ficassem dependentes da icm e acreditassem que não há outra igreja.
    Existem igrejas sérias comprometidas com o Evangelho verdadeiro de Jesus.
    Mas para você conseguir ver e crer nisso, deve dar o primeiro passo: ROMPER COM O SISTEMA
    Uma coisa que a maranata sempre fêz foi distorcer as Escrituras e mascarar de uma forma que nos enganou por alguns anos, mas hoje estams livres destas maranacutaias.
    Liberte-se taambém. Então você verá o que é ter experiências com o Senhor.
    Paz

  4. Ola João Paulo, eu tb sou de SJdoCampos, sai da icm em outubro de 2012 foi antes destes escandalos , posso garantir pra vc que tem igreja seria comprometida com o evangélio de Cristo, não vou indicar nenhuma denominação.
    visite varias igrejas participe do culto, vc vai ver a diferença. todas que visitei eu vi irmãos amorosos receptivos e a pregação sempre a luz da palavra.
    eu e minha familia ja estamos congregando numa igreja e estamos muito felizes em conhecer o verdadeiro amor em Cristo Jesus, tem tb outros irmãos que sairam da icm estão conosco, todos estão felizes.

    Deus te abençoe na sua decisão e te de força pra sair e nem olhar pra traz, lembre da mulher de Ló.

  5. Alandati disse:

    “EU QUERO SER DE UMA IGREJA SEM ERROS.”

    Artigo construído com base em um comentário feito no blog diga não àSeita:

    “”Eu quero ser de uma igreja sem erros.”
    Peço aos doutores de plantão que me informem uma igreja 100%, prometo abandonar tudo o que sei, e seguir esta.
    Vamos lá, sem rodeios, e versiculos, seja direto.
    Qual é a igreja verdadeira?”

    Mensagem enviada por Marcelo em 26/06/2013, às 10:35 h, ao diga não àSeita.
    .
    .
    Tentei provar ao rapaz que existe sim a igreja 100%, como ele está procurando, com base na Palavra.
    .
    .
    Leia como em https://diganaoaseita.wordpress.com/2013/06/26/eu-quero-ser-de-uma-igreja-sem-erros/

    Graça e Paz,

    Alandati.

  6. Claudia da Costa disse:

    CV…

    Sai a ICM ano passado mas não devido aos escândalos.

    Meu filho já havia saído há algum tempo e foi taxado de caído. Ele tentou me abrir os olhos mas foi preciso eu ter minha experiência para poder romper com tudo.

    Foram 33 anos servindo, andando no caminho certo, sem virar para a direita ou para a esquerda, viajando para o Sul do Estado todo final de semana…

    Pois bem, casamento falido… separei ano passado. Marido diácono e ninguém veio ao nosso socorro para nada. Meu marido na época estava profundamente enfermo, com depressão, Bipolar… todos se afastaram… devido a doença acelerar, ele teve que ir morar com os pais, longe de mim pois estava agressivo.

    Fui ao Manaim e sentia uma angústia muito grande quando ouvia certos pastores e certas aulas… olhava e achava que o problema era comigo… não via mais a graça do Espírito Santo sobre alguns pastores e me culpava, achando que era eu… Ia para a igreja e não via a chama do Espírito Santo no púlpito e nem nas mensagens trazidas por alguns pastores…

    Me sentia mal com a transmissão no domingo pela manhã, me sentia mal com aquele horário do culto, alguma coisa estava fora de ordem e eu sentia isso na alma…

    A minha alma chorava…

    Hoje alguns irmãos correm de mim como se estivesse leprosa.

    Sobrevivi… estou num processo de cura… retirando uma pele grossa e fétida que me envolveu durante esses longos anos… sinto a mão de Deus curando as minhas feridas…

    Estou usando calça comprida, unhas vermelhas, fui ao cinema, coisas que eram faladas e pregadas como sendo do inferno… te confesso que quando entrei no cinema, eu ia sair uma pessoa diferente, sem sentir Deus… assim foi com a calça comprida e com os esmaltes da unha mas te digo que amo muito mais a Deus do que antes pois senti que era livre, que Ele havia me libertado e ninguém poderia me colocar cabestro.

    Fica aqui esse testemunho, de que existe sim, vida espiritual fora da ICM e vida produtiva, alegre e feliz.
    .
    .
    Olá Claudia da Costa

    Bem vinda. Graça e paz em Cristo.

    Enquanto lia esta postagem e sentia o pulsar do seu coração, me lembrava de uma centena de mulheres honestas, sinceras e tementes a Deus que aqui deixaram depoimentos, dores com lágrimas pelos rostos.

    Nem sei quantos depoimentos poderiam arrolar aqui mas me lembrei de um que mostra a mulher carregando um enorme fardo de CULPA.

    Ela falará com você em http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/assim-aconteceu-comigo/

    CV.

  7. Servo Vencedor disse:

    Ao ler o comentário da nossa irmã Cláudia da Costa, acima, entendí completamente o seu relato…

    É isso mesmo, há a necessidade de cura da alma…

    Os preconceitos, antes martelados em nossos corações através dos seminários, EBD’s e aquelas reuniões repletas de invencionices para preencher vazios, principalmente nos feriados, hoje são lixos que devemos queimar com o fogo do Espírito, para que consigamos tocar a vida de maneira que sejamos felizes e engrandeçamos ao Pai pelas Suas infinitas Graça e Misericórdia!

    É tão bom sentir que as palavras maldizentes provindas da liderança amaldiçoada não fazem efeito, pois Deus sonda os corações dos retirantes e alí encontra o desejo de estar junto ao Pai, servindo em Espírito e Verdade!

    Eu era Diácono e saí há quase 2 anos, e cada dia que passa minha alma desfruta da verdadeira Paz, aquela mencionada pelo nosso Rei, Senhor e Salvador Jesus Cristo.

    Graça e Paz de Deus a todos os valentes retirantes!

  8. Eurípia Inês disse:

    “Hoje alguns irmão correm de mim como se eu estivesse leprosa.”

    “Eu cheguei na casa de meu irmão e lá estava o obreiro que sempre foi amigo da família, comia conosco…me deixou com a mão estendida quando fui cumprimentá-lo com a paz do Senhor Jesus.”

    “Meu filho, depois que foi pra maranata, virou um bicho dentro e casa. É outra pessoa. É arrogante, separado…eu sinto muita tristeza em vê-lo assim tão distante de nós.”

    “Eu ia passando na calçada e o irmão, quando me viu, passou para o outro lado da rua. Isso para mim foi como um golpe no coração porque ele era meu melhor amigo.”

    “O pastor que era meu amigo, me ajudava tanto…agora me vira o rosto…não responde meus e-mails, me bloqueou…”

    “Eu era professora daquela jovem quando ela era adolescente. Outro dia a encontrei no shopping junto com sua mãe e elas fingiram não me ver. Nos demos de cara por três vezes e chegou a ficar constrangedor aquela fuga delas mas elas me viraram as costas e me desprezaram.”

    “Eu ajudei tanto aquela irmã que morava longe da família, era sozinha…eu sempre me preocupava com ela, mas agora me vira o rosto e me trata como a uma leprosa.”

    “Cheguei no trabalho e fiquei tão feliz ao encontrar uma irmã que eu amo tanto. Fui abraçá-la mas ela desviou e nem um aperto de mão me deu. Eu fiquei em estado de choque de tanta dor que senti. Tive que sair dali e me esconder no banheiro para chorar.”

    “Fui à igreja e ao chegar estendi a mão para o irmão que estava à porta mas ele nem me olhou. Antes era ele como um irmão para mim…”

    “Eu fiz faculdade e terminei deixando grandes amigos, me mudei de endereços e deixei muitos vizinhos amigos, trabalhei em algumas empresas e igualmente deixei amigos…em todos os lugares onde passei foi assim mas na maranata, sem eu ter feito nada me tratam como inimigo…pareca que tenho uma doença contagiosa.”

    “Quando entrei na icm eu me isolei do mundo, da minha família, dos amigos, e agora estou sozinho porque saí de lá e ninguém mais fala comigo. Todos me abandonaram.”

    “Eu nunca pensei que ao sair de uma igreja que se intitula “cristã” eu fosse ter tantos inimigos. Isso sem nenhum motivo. Eu não briguei com ninguém, nem os destratei mas eles me viram as costas. Não falam comigo. Eu sinto uma dor tão grande por eles me tratarem assim.”

    “Eu saí da maranata sem me desentender com ninguém. Eu amo os irmãos mas eles me desprezam. Um dia um irmão a que eu tanto considerava me encontrou na rua e saiu correndo. Eu queria tanto saber notícias da família dele. Eu chorei muito naquele dia.”

    “Um irmão disse que os pastores fizeram uma reunião e disseram que não era para cumprimentar os que saíram da obra. Nem mesmo se fossem familiares e os chamou de “caídos”.”

    “Como pode? Aquela família era minha amiga. Frequentava minha casa, comemorávamos os aniversários juntos…agora nos pedem para não ligar mais, não enviar e-mail…isso dói muito.”

    “Nós éramos amigos mas eu não quis mais frequentar a igreja aí ele disse que não pode andar com caído. Mesmo eu frequentando outra igreja ele não me considera irmão em Cristo.”

    “Meu filho é muito jovem e ao parar de frequentar a maranata, o pastor proibiu todos os jovens de visitá-lo e de cumprimentá-lo. É muito duro para uma mãe ver seu filho desprezado até pelos familiares. Eu não me conformo com esse desprezo.”
    .
    .
    .
    É isso. O desprezo é um dos produtos da SOC do VPC fabrica.

    E nós retirantes, mesmo com toda a dor, devemos dizer com Jesus disse: “Perdoa-os pois eles não sabem o que fazem.”

    Que assim seja. Oremos por eles e os perdoemos.

    A todos a graça e a paz do Senhor Jesus.

    Eurípia Inês.

  9. Cavaleira da Verdade disse:

    CV

    Alguém sabe responder como produtos da KALYKIM, entraram nos maanains e quem faturava com isso?

    Mistérios da obra Gedeltina!

  10. Firme nas promessas disse:

    Amada irmã Cláudia da Costa
    Bem vinda ao Blog Ministério!
    Parabéns pela decisão de romper com o sistema e agora compartilhar sua história. Saiba que milhares estão lendo e se identificando com ela.
    O Blog nos direciona a um objetivo: voltar às Escrituras e viver a Igreja de Deus, Corpo de Cristo
    Continue conosco. Escreva e console aos que necessitam de consolo.
    Deus abençoe!

  11. Espelhos… disse:

    […] Os artigos deste Blog-Ministério nos despertam para o ensino de JESUS quanto à lavagem diária dos pés. O apóstolo Pedro foi advertido firme e solenemente. Quem a si mesmo não permite essa lavagem diária corre o risco de não ter parte com Cristo nas bênçãos do Reino de Deus. […]

Deixe o seu comentário


− oito = 1