Fico com as Escrituras

“Será, pois, que, se, ouvindo estes juízos, os guardares e cumprires, o SENHOR, teu Deus, te guardará a aliança e a misericórdia prometida sob juramento a teus pais; ele te amará, e te abençoará, e te fará multiplicar; também abençoará os teus filhos, e o fruto da tua terra, e o teu cereal, e o teu vinho, e o teu azeite, e as crias das tuas vacas e das tuas ovelhas, na terra que, sob juramento a teus pais, prometeu dar-te.” (Dt. 7.12-13)

imagesCAXT6VOQ Palavra de Deus

A leitura do artigo de Hermes Fernandes deixou-me pesaroso. Ele diz: “Ficava atormentado quando meus pais tocavam na vitrola o disco “A última trombeta”. Ele recorda o arrebatamento da igreja dentro de angústias infantis, medos, preconceitos e teorias de conspiração.

Com esse inconsciente atormentado por lembranças infantis, fácil é desacreditar o contexto das profecias das Escrituras. Daí, o conceito dispensacionalista é o alvo do artigo que desanda em direção ao amilenialismo ou amilenismo. Inexplicavelmente!

De fato, alguns antigos intérpretes das Escrituras insistiam “no avanço do Evangelho e na eventual conversão das nações a Cristo” e a idéia foi inserida no contexto do “evangelismo social”. Querem dizer: os cristãos estabelecerão reino de Cristo e, conseqüentemente, Apocalipse 20 deve ser interpretado simbolicamente.

Empregando métodos anormais e duvidosos de interpretação alguém pode chegar à essa conclusão, em firme oposição à Revelação que nos promete a existência literal de 1.000 anos de reinado de Cristo sobre a Terra.

Ensinam os modernistas, que as nações se converterão com a pregação do Evangelho. Mas esses expositores até hoje não se conseguem explicar a promessa de intervenção do Messias, algo firme e inabalável nas Escrituras. Quanto ao mais, o artigo pretende resistir ao fato da iminência e indivisibilidade da “igreja de Deus…corpo de Cristo” (1 Co. 1.2; 12.27) por ocasião do arrebatamento.

Este é o foco: nações convertidas e obedientes ANTES do regresso glorioso do Messias, pois o evangelho dos homens produzirá mudanças no radicalismo social. Então, esse arrebatamento… Arrebatamento?! Pra quê?!

Isto evidencia o erro. Muitos freqüentaram igrejas mas não cresceram na confiança das Preciosas Promessas. O Espírito de Cristo Jesus disse, do jeito que Ele disse àqueles primeiros cristãos: Jesus nos livra da ira (de Deus) vindoura.” (cf. 1 Ts. 1.10b; 5.9 etc.)

Este era o ensino do apóstolo Paulo pelas igrejas que pastoreou, e, pelo que consta, ele se manteve firme nestas diretrizes proféticas. Diversos intérpretes concordam que os toques principais das “duas trombetas de prata” mencionadas por Moisés eram tipos: a) da chamada para o resgate dos herdeiros das promessas; e b) da última chamada para a caminharem em direção à Canaã.

Neste momento, e para clareza, reporto-me aos artigos neste SITE, onde demonstro ser insuportável o capítulo da HERESIA ICEMITA em que o mestre-mor da ICM-PES insiste em que três das trombetas do Apocalipse já tocaram e a quarta trombeta vai tocar, segundo ele, “num abrir e fechar de olhos”.

Nada a ver com o arrebatamento é crítica aos que abusam da frase exclusiva de Mt. 24.40-42, a ponto de apresentarem estatísticas matemáticas da proporção dos que serão arrebatados. Erro em cima de erro. Insisto em que os cristãos examinem o artigo à luz das Escrituras.

No final do artigo de Hermes o centenário “Hino da Batalha” é exaltado, não levando em conta que este poema religioso escrito por Julia W. Hove, calvinista-unitarista, reflete os campos de guerra civil americana pretendendo a abolição da escravatura. Júlia o escreveu quando visitava um acampamento de soldados. Este hino passou a ser um “bem amado hino patriótico americano”. Releia com atenção e entenda: a ilustre poetisa escreveu “Battle Hymn of the Republic” em 1861, presa ao espírito da época.

No original lemos:

“Meus olhos viram a glória da vinda do Senhor.
Ele está pisando fora do lagar, onde as uvas da ira estão armazenadas,
Deus desatou a raios fatídico de sua terrível e veloz espada,
Sua verdade está marchando.

Eu vi ele no relógio de fogo de cem acampamentos circulando
Eles edificaram-lhe um altar no orvalho da noite e umedece,
Posso ler Sua oração pela luz de um lampião,
Seu dia está em marcha.

Eu li uma citação do Evangelho de gravação em linhas ardente de aço,
Como lidar com a minha vós desprezadores, assim com a minha graça será,
Deixe o herói nascido de mulher, esmagar a serpente com o calcanhar,
Nosso Deus está em marcha.

Ele soou a trombeta que nunca será chamado de retiro,
Ele tem despertado tristeza monótona da Terra, com um ritmo elevado de êxtase,
Oh! ser rápida a minha alma para lhe responder, regozije-se os meus pés!
Nosso Deus está em marcha.

Na brancura dos lírios que nasceu através do mar,
Com uma glória no seu seio que brilha em você e em mim,
Como ele morreu para fazer os homens santos, deixe-nos morrer para fazer homens livres, Nosso Deus está em marcha.

Ele vem como a glória da manhã na onda,
Ele é sabedoria para os poderosos, ele é para socorrer os bravos,
Assim, o mundo será seu banquinho, e da alma do Tempo seu escravo,
Nosso Deus está em marcha.”

O artigo de Hermes credita a homens inconstantes e aos poetas religiosos a melhor escatologia de ocorrência profética. Neste passo, igualmente outros desacreditam que Deus possa fazer o que Ele prometeu aos da “família de Deus” (Ef. 2.19). O descrédito é lançado na Face do Todo-Poderoso que promete evento instantâneo, indivisível e misterioso no tocante ao rapto da “igreja de Deus…corpo de Cristo”.

O Espírito de Cristo Jesus garante aos cidadãos do Reino de Deus (Ef. 2.19-22):

“Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito.”

Quando os erros de exegese e interpretação se resumem em afastamento das Escrituras, não posso aceitar como biblicamente fundamentada a opinião de alguém, ainda que seja o mais erudito: FICO COM AS ESCRITURAS.

Pelo fato de distorcer as promessas de Cristo Jesus no tocante ao arrebatamento dos “santificados em Cristo Jesus, chamados para ser santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso” (1 Co. 1.12), muitos acabam se embaraçando em alegorias, alucinações, escatologias fantasiosas, espiritualizações de frases isoladas das Escrituras, filosofias de religião, opinião de especialistas a respeito das coisas futuras (eu conheço umas quinze), novas revelações do apocalipse (frase da doutrina além da letra ensiada na ICM-PES), segredos de Fátima, visões de Maria etc.

Porém, os inconstantes acabam negligenciando a simplicidade do “evangelho da graça de Deus” (At. 20.24) e iludem os seguidores, como é o caso do pior da HERESIA ICEMITA. Por todo lado os disparates obscurecendo as Escrituras, com olhos nos lucros editoriais e projeção na mídia.

Por oportuno, a opinião de Hermes não expressa a vertente da “doutrina dos apóstolos” (At. 2.42) enraizada no pensamento dos hagiógrafos neotestamentários.

Quer dizer: as angústias infantis do articulista culminaram em esperanças falsas, porquanto jamais… nunca jamais o Evangelho avançará a ponto da conversão nas nações para Cristo. Evidentemente, não foi esta a intenção da poetiza. Ela nunca quis dizer que as nações se converteriam antes da vinda de Jesus. Em sua formação filosófica Julia W. Hove não conseguiu alcançar a compreensão do arrebatamento da igreja antes “da ira [de Deus] vindoura”.

Reporto-me ao que disse: a falaciosa interpretação futurista dá crédito ao conceito filosófico religioso de que as nações se converterão com o avanço da pregação do Evangelho; mas os séculos passam e os sinais apontam para o absolutamente contrário.

PALAVRA DE DEUS

Conclusão

Mantenha a poderosa promessa em seu coração: “JESUS NOS LIVRA DE IRA [DE DEUS] VINDOURA.”

Nas feridas da incredulidade não precisamos de emplastos, nem de esparadrapos escatológicos.

O cenário final da execução do plano escatológico e da restauração de todas as coisas foi confiado ao apóstolo João bem no final daquele primeiro século. Então, com o Apocalipse de Jesus Cristo o quadro profético está perfeito.

O cenário é de guerra. Guerra sangrenta e violência.

Prepare-se!

Reafirmei o que entendo a respeito dessa matéria. Leia: ARRREBATAMENTO JÁ!

“Seja anátema” qualquer escatologia que desacredite o iminente e indivisível arrebatamento da “igreja de Deus… corpo de Cristo” no conjunto de predições que revelam a necessidade de intervenção messiânica nas nações, como prometido no Apocalipse de Jesus Cristo. Como está escrito (Gl. 1.8-9 – ênfase nossa):

“Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema. Assim, como já dissemos, e agora repito, se alguém vos prega evangelho que vá além daquele que recebestes, seja anátema.”

Sejam a nossa palavra e a nossa poesia religiosa expressões da Plena Verdade do Evangelho de Deus. “Deus não é de confusão, e sim de paz” (1 Co. 14.33). Ele prometeu o arrebatamento da “igreja de Deus… corpo de Cristo” antes da “ira [de Deus] vindoura”. Este assunto foi confiado a Paulo.

Sei que você não precisa concordar; mas não poderá dizer: NINGUÉM ME AVISOU.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Uma Resposta para “Fico com as Escrituras”

  1. Firme nas promessas disse:

    Bom dia amados

    Mais uma revelação da ICM-PES para encobrir seus desvios doutrinários?

    As heresias ensinadas nos Maanains serão oficalizadas com esta novidade de curso livre de teologia que será implantada para os membros?
    Quem serão os professoes? Os mesmos que ensinam nos seminários?
    Mais uma maneira de tirar dinheiro do povo na base do ossôrevelô.
    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/querem-tirar-o-dinheiro-do-povo/

    FICO COM AS ESCRITURAS.

Deixe o seu comentário

Resolva a seguinte pergunta para envio * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.