ARREBATAMENTO JÁ!

 

A Escritura Profética, “segundo o mandamento do Deus eterno, para obediência por fé, entre todas as nações” (Rm. 16.26), emprega expressões que identificam certo episódio escatológico impressionante e maravilhoso. Este evento causará grande surpresa, temor e tremor (1 Ts. 1.10; 4.17 – ênfase nossa):

Jesus… nos livra (gr. rhoumai) da ira [de Deus] vindoura. (…) seremos  arrebatados… para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor”.

A ação descrita no grego original  lembra o alçar rápido e surpreso do vôo do passarinho no exato momento em que a arapuca fecha para mantê-lo em sofrimento e tribulação. Encontramos este mesmo verbo na Oração Dominical, indicando a nossa obrigação de orar pedindo o livramento dos intentos do Maligno (Mt. 6.13): “mas livra-nos do mal”. Depois, o apóstolo Paulo declara que fomos livres das fortalezas de Satanás. Este grande livramento evidencia o ato messiânico de redenção executada em justa e plena violência contra os poderes satânicos (Cl. 1.13-14 – ênfase nossa):

Ele [Deus] nos libertou (gr. rhoumai) do império das trevas e nos transportou (gr. methistemi) para o reino do Filho do seu amor, no qual temos a redenção, a remissão dos pecados.”

Agora devemos entender o seguinte: a “igreja de Deus… corpo de Cristo” (1 Co. 1.2; 12.27), por si só, NÃO TEM PODER para provocar algo como o auto arrebatamento, nem para impedir este evento sobrenatural. Como está escrito (Rm. 8.25): “Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o aguardamos.” Ela depende de um ato de força messiânica. O arrebatamento da  “igreja de Deus… corpo de Cristo” é ato messiânico de misteriosa e poderosíssima violência. O Maligno, igualmente, espera o cumprimento desta grande profecia, sem o que, ele não poderá instaurar o reino do Anticristo ao tempo da “grande (tamanha) tribulação”. (Mc. 13.19; Mt. 24.21; Ap. 7.14)

Aqueles que morreram na “fé em Jesus” (Gl. 3.22; Rm. 3.22,26) e neste fé aguardam a  futura e misteriosa ressurreição de seus corpos; e nós que exercemos a mesma “fé em Jesus” e deste lado da existência  aguardamos o cumprimento  da prometida e surpreendente transformação dos nossos corpos; todos aguardamos o cumprimento deste ato escatológico. Por conseguinte,  estamos na dependência de Jesus, o Messias de Deus. Todos!

Bem sei que o Espírito de Deus testifica no espírito daquele que nasceu de novo (Jo. 3.5-7) agora é filho de Deus (Rm. 8.16), foi feito nova criatura (2 Co. 5.17) e deve adorar a Deus “em espírito e em verdade” (Jo. 4.23-24).

Deste modo, a esperança dos crentes em Cristo Jesus não se resume apenas a esta vida, porquanto o Espírito Eterno mostrou-nos algo na iminência de acontecer (1) promessas que enfatizamos:

“… deixando os ídolos vos convertestes a Deus, para servirdes o Deus vivo e verdadeiro e para aguardardes dos céus o seu Filho, a quem ele [DEUS] ressuscitou dentre [gr. ek – para fora] os mortos, JESUS, QUE NOS LIVRA DA IRA [DE DEUS] VINDOURA. (…)

porque DEUS NÃO NOS DESTINOU PARA A IRA [de Deus], mas para alcançar a salvação mediante nosso Senhor Jesus Cristo, que morreu por nós, para que, quer vigiemos [estejamos fisicamente vivos], quer durmamos [já tenhamos morrido], vivamos [todos] em união com ele.”

Destaquei o pronome nos empregado por Paulo. Biblicamente falando, a “igreja de Deus… corpo de Cristo” (2) considerou, desde cedo, que a sua retirada deste mundo é iminente, indivisível, misteriosa e não depende de qualquer sinal. Nestes contornos, o termo iminência (lt. imminentia) identifica a qualidade do que está iminente (lt. imminens), ou que ameaça acontecer a qualquer momento, p. ex.: a iminência da erupção de um vulcão. Entenda esta declaração interessante: o apóstolo Paulo se incluía entre os que aguardavam a iminência deste evento. Portanto, biblicamente falando e pensando, a iminência traz consigo o conceito de que outras coisas podem acontecer antes de determinado evento, mas não necessariamente.

Doutrinariamente, este acontecimento escatológico é denominado de arrebatamento da igreja, evento incluído no “Dia de nosso Senhor Jesus Cristo”; “Dia do Senhor Jesus”; “Dia de Cristo Jesus”; “Dia de Cristo” (3). Estas expressões escatológicas envolvem JULGAMENTO com base na justiça da santidade de Deus, o SENHOR Todo-Poderoso.

É forçoso, ainda que nos cause pesar, o fato de denunciar que hoje em dia, a ICM-Obra-do-jeito-que-o-mestre-primaz-quer está corrompida com o pior dos capítulos da obstinação quadragenária.

Esse mestre profeta propala e profetiza:

as três primeiras das sete trombetas do Apocalipse já tocaram; enquanto as trombetas ressoam o anjo joga do fogo do altar – o Espírito Santo – sobre as cabeças dos homens para que recebam com alegria as intervenções de Deus; finalmente, a quarta trombeta vai tocar e num abrir e fechar de olhos a Igreja Fiel vai ser arrebatada.

Esta doutrina revelada é a menina dos olhos do chefe religioso, o qual, pessoalmente, insistiu nesses absurdos por ocasião da preleção na Grande Evangelização no Mineirão em Belo Horizonte – MG. Inúmeras fotos foram publicadas nos sites e blogs de membros da ICM-PES mas depois que denunciei a heresia  essas fotos foram retiradas.

Esta heresia o aproxima das diversas heresias dos adventistas e até dos russelitas.

Evidentemente, a denominada doutrina revelada além da letra não passa de grande ofensa à Inerrante Palavra do Eterno e Todo-Poderoso. Desde que a crença do chefe religioso foi institucionalizada, os icemistas estão aguardando a quarta trombeta que vai tocar – promete o mestre-primaz – “num abrir e fechar de olhos” – quando, então, a Igreja Fiel (leia-se: ICM-Obra) será arrebatada. Este assunto continua insistentemente lembrado ao povo nos seminários dos Maanains e publicações.

Fixe a atenção no seguinte: observe como o Benício insiste nesse batismo com o fogo do altar.

Heresia! Depois desse falso batismo com o Espírito Santo (confirmado com bibliomancia e clamor pelo sangue de Jesus) centenas dos formatados servos da Obra foram designados  ungidos para o ministério da Obra, dando, como conseqüência, nessa enxurrada de falsas profecias e falsas revelações que correm nos cultos proféticos das unidades locais (artgs. 21,22,23 e 31 do E-ICM-PES) qual fogo em palha seca. Infelizmente, nessa denominação eclesiástica o que se vê, é a conseqüência da linguagem do não-pensamento. Não duvide: é o começo do fim.

Isto é extremamente preocupante. Lá nos Maanain’s as crianças icemitas aprenderam um corinho encharcado com a heresia do sono da alma, das mais salientes entre os adventistas do sétimo dia. Nesta erronia, a doutrina além da letra condena os adventistas, enquanto os icemitas bebem do mesmo suco de uvas de veneno e comem do mesmo pão bolorento…

Lamentavelmente, a HERESIA ICEMISTA, falaciosa or natureza, desacata a maravilhosa Revelação Proposicional. Entenda este ponto, cristão. Examine este assunto à luz das Escrituras. Não será difícil a alguns entenderem o seguinte: foram iludidos e iludiram a outros; então, o Diabo aproveitou-se da heresia gedeltiana para incentivar erro em cima de erro nos cultos proféticos.

Lendo as Escrituras, a vinda iminente (4) de Cristo Jesus para arrebatar as incontáveis multidões dos que foram CHAMADOS, RESGATADOS e REUNIDOS NO CORPO DE CRISTO (5), fácil o entendimento de que o arrebatamento é um evento EXCLUSIVAMENTE destinado aos que foram justificados mediante a fé em Cristo Jesus (Rm. 5.1-2), feitos “filhos de Deus” (Jo. 1.12), incluídos na “igreja de Deus… corpo de Cristo”, em cuja posição permaneceram de “fé em fé”, diz-nos o apóstolo Paulo, expressão neotestamentária que significa: fé do princípio ao fim (6). Portanto, os que NÃO TÊM esta esperança ficarão de fora. Mas isto é assunto para outro artigo…

Mediante Cristo Jesus, “temos a redenção, pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da sua graça.” (7) Então, aqui está algo absoluto! Cristo Jesus “aparecerá segunda vez… aos que o aguardam para salvação.” (8) Como está escrito (1Co. 15.19; Rm. 8.17):

Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens. (…) Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo; se com ele sofremos, também com ele seremos glorificados.

Muito das Escrituras nos ensina algo mais neste contexto escatológico (doutrina das últimas coisas): a maneira de conjeturar ou de ensinar a respeito da “grande (tamanha) tribulação” (Mt. 24.21) e reino milenial (Ap. 20.6) em nada interfere no cumprimento desta maravilhosa promessa de livramento da grande “ira [de Deus] vindoura”. Esta maravilhosa promessa acontecerá “num instante, num abrir e fechar de olhos”; e quem poderá imaginar a alegria reinante entre amigos saudosos que se encontrarão para nunca mais se separarem? No entanto, preste atenção, deste encontro estão excluídos “os demais, que não têm esperança.” (1 Ts. 4.13).

Mas o olhar caolho do construtor da heresia icemista engana e continua enganando, dizendo:

– a igreja fiel vai subir na quarta trombeta…

– desnecessário fazer perguntas…

– enquanto isto o anjo está derramando fogo na cabeça de crente…

– o Senhor nos deu novas revelações do apocalipse…

– o Senhor revelou e os dons confirmaram…

– temos provas científicas de que as três primeiras trombetas tocaram…

Mas que senhor é este, que revela o contrário do que Deus disse, do jeito que Ele disse nas Escrituras? Não há dúvidas: o nome que se dá a essa ofensa é BLASFÊMIA! Que desacato ao que Deus declarou inerrantemente!

Nestes contornos, o arrebatamento da “igreja de Deus… corpo de Cristo” é acontecimento escatológico de dimensão misteriosa e pré-tribulacional. Mais claramente: este evento antecede a “grande [tamanha] tribulação”.  Portanto, o conjunto dessas poderosas profecias nos mostra o bom senso de Deus, “o Soberano dos reis da terra”, para resguardar aqueles que nasceram de novo (Jo. 1.12; 3.5-7), permanecem em Cristo (Cl. 2.5-6; 1 Jo. 2.4-6) e não estão destinados para o tempo do derramar da grande “ira [de Deus] vindoura”.

Por isto mesmo, este seqüestro é iminente, indivisível (instantânea ressurreição-transformação do Corpo de Cristo), inevitável e irresistível. Por conseguinte, em dias de Sua Paixão e Morte Jesus nos falou de uma separação temporária (Jo. 14.1-3; 18-19):

Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também. Não vos deixarei órfãos, voltarei para vós outros. Ainda por um pouco o mundo não me verá mais; vós, porém, me vereis; porque eu vivo, vós também vivereis.”

Para os crentes em Cristo Jesus a “bendita esperança” é o prometido livramento da “ira [de Deus] vindoura”. (9) Este juízo fora reiterado no Sermão Profético e, depois, com mais detalhes na seqüência de juízos (selos, trombetas e taças) descritos no Apocalipse (10). Importante lembrar que o “Filho do Homem” (Dn. 7.13), apóstolos e profetas de Deus falaram de futura livrança ao tempo do “justo juízo de Deus” (Rm. 2.5); porquanto a Escritura declara (At. 10.42b): “ele [Jesus] é quem foi constituído por Deus Juiz de vivos e de mortos.” Sendo assim, Ele é Quem decidirá o instante do arrebatamento dos “santos e fiéis irmãos em Cristo” (Cl. 1.2). Vejam o que está escrito (At. 10.36 – ênfase nossa):

“Esta é a palavra que Deus enviou aos filhos de Israel, anunciando-lhes o evangelho da paz, por meio de Jesus Cristo. ESTE É O SENHOR DE TODOS.”

Por conseguinte, aqueles que exercem “fé em Cristo Jesus” (11), tanto os que ainda estão do lado de cá da existência, como aqueles que estão com o Senhor, estamos (12) confiantes no cumprimento das divinas promessas, como diz a Escritura:

“…aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus, o qual a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniqüidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras. (…) Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita.”

 

CONCLUSÃO

Como precisamos da fé que está além, muito além de heresias humanas.

Como precisamos dessa fé que se prende às promessas do Eterno! Abraão alcançou esse tipo de fé, olhando além do chão, além de opinião pessoal; olhando à distância “porque aguardava a cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador” (Hb. 11.10).

Desde que o Espírito de Cristo Jesus determinou que o arrebatamento da “igreja de Deus… corpo de Cristo” acontecerá “antes da ira [de Deus] vindoura” (…) “num instante, num abrir e fechar de olhos”, este é o Testemunho da Verdade, que dizer: Ele fará o que disse,m do jeito que Ele disse. Não adianta tocar trombetas apocalípticas…

Depois do que está exposto, não venha com desculpas de que não teve tempo para acertar e assentar convicções e pensamentos sobre o tema.

Diante dessa Promessa a alma do crente estremece e em espírito exulta. A adoração “em espírito e em verdade” (Jo. 4.23-24) começa a fluir de cima para baixo.

Então, quanto ao livramento “igreja de Deus… corpo de Cristo… antes da ira [de Deus] vindoura”, se alguém diz: eu adoro a Deus em espírito e verdade, mas despreza o que Deus disse, do jeito que Ele disse, e confia na crença do mestre-profeta religioso desviado da “doutrina dos apóstolos”; esse tal nada mais faz do que negligenciar a grande e poderosa salvação de Deus. Porquanto, o que o Eterno nos falou pelo Filho de Deus destaca a superioridade do Filho em relação aos apóstolos e profetas de Deus. E deste modo, lemos a Escritura que diz (Hb. 2.1-4 – ênfase nossa):

“Por esta razão, importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos.

Se, pois, se tornou firme a palavra falada por meio de anjos, e toda transgressão ou desobediência recebeu justo castigo, como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? A qual, tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram; dando Deus testemunho juntamente com eles, por sinais, prodígios e vários milagres e por distribuições do Espírito Santo, segundo a sua vontade.”

Entenda a ação divina falando em força, grandeza e justiça da santidade de Deus: LIVRA”. Esta poderosíssima profecia independe de doutrina revelada, de ensino além da letra, e de evangelho de homens. Esta profecia aguarda o momento de seu cumprimento LITERAL: antes da ira [de Deus] vindoura… num instante, num abrir e fechar de olhos .” Pronto!

O gedeltismo fracassou com esta heresia de falso batismo com o Espírito Santo misturada com toques das trombetas, insanamente prometendo o que DEUS NUNCA DISSE. Isto é rebelião!

Nota: Infelizmente, a demanda judicial proposta no Fórum Central Cível João Mendes Júnior – Processo nº: 583.00.2011.100221-2, em São Paulo, para remoção do vídeo Maranata – Quarta Trombeta do Youtube, deixa muito a desejar. O expositor falta com consistência doutrinária; e, ao ser confrontado correu com petição para retirada do Clip em que repetia a indigesta heresia gedeltiana sobre a quarta trombeta. Mas que importa? O vídeo continua em outros SITES de relacionamento. Voltarei a este assunto…

Não fique admirado com o absoluto das Escrituras Sagradas.

O agir de Deus (Is. 43.13) em Sua transcendência (At. 17.24-27) é o de sempre. O Eterno e Todo-Poderoso não muda!

O Espírito de Cristo Jesus testifica com o seu espírito que você está preparado para este evento?

Tenho por firme, que a porção das Escrituras que recusamos, é sempre aquela que nos torna inúteis para o Reino de Deus. Cristão, escreva isto em seu espírito e esteja certo desta máxima. Dispensa demonstração por ser escrituristicamente verdadeira. Sua consciência já falou ai dentro de Você.

NOTAS:

Ao longo do artigo aparecem citações das Escrituras, Almeida, SBB-RA. Frases em itálico e sem aspas são aquelas comuns nas apostilas, aulas, mensagens e outras produções dos mestres e pastores da ICM-PES.

Atualização e revisão em 23.11.2014 às 07:00

Caso copie o artigo mencione a fonte http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2011/02/arrebatamento-ja/

Links dos artigos em que denuncio a heresia icemista a que me referi:

http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2010/09/a-implosao/

http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2010/05/a-quarta-trombeta-soara/

http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2010/01/a-ultima-chamada/

http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2010/05/nada-a-ver-com-o-arrebatamento/

Por último, faça um favor à sua alma e examine as Escrituras citadas.

Que o seu espírito se encha com as palavras de graça, misericórdia, paz e reconciliação que descem do Trono da Graça. Amém.

REFERÊNCIAS

(1)        1 Ts. 1.10b; 5.8-9 cf. 1 Ts. 4.13-18; 1 Co. 6.17; 15.51-52

(2)        Mt. 18.16b; At. 20.28; 1 Co. 10.16; 12.27; 1 Tm. 3.15

(3)        1 Co. 1.8; 5.5; Fp. 1.6,10; 2.16

(4)          Jo. 14.1-3; 1 Ts. 1.10; 4.13-18; 5.9; 1 Co. 15.51-52

(5)        Rm. 7.14; 1 Co. 10.16; 12.27; Ef. 4.11-16

(6)          At. 13.38-39; Rm. 1.17; 3.27-28; 5.1-2

(7)          Rm. 5.9; Ef. 1.7; Cl. 1.14; Ap. 1.5

(8)        Hb. 9.27-28 cf. At. 1.10-11; Tt. 2.11-14

(9)          Sf. 2.2-3; Mt. 3.7; Rm. 2.5-11; Ap. 6.17

(10)        Mc. 13.1-37; Mt. 24.1-25.46; Lc. 21.5-36; Ap. 6.1-19.21

(11)      Gl. 2.16; 3.26; Cl. 1.3-8; 1 Tm. 3.13;  2 Tm. 3.14-15

(12)        Tt. 2.11-14 cf. Rm. 8.11; 12.5; 1Co. 1.2; 6.17; 12.27; 15.51-52; Ef. 3.14-19

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

8 Respostas para “ARREBATAMENTO JÁ!”

  1. shouzam disse:

    Beleza de artigo…

    Excelente fundamentação. Nada deve aos demais que perfilam o mesmo entendimento concernente ao arrebatamento da igreja de Deus como sendo ato indescritvel, instantâneo e pretribulacional.

    Os espíritos dos crentes preservados com Cristo no Paraiso aguardam o momento, quando descerão aos seus corpos a fim de serem ressuscitados; e neste instante, “num abrir e fechar de olhos” nós, os que estivermos vivos e em Cristo seremos glorificados.

    Que Evangelho maravilhoso nos foi revelado…

  2. […] Por conseguinte, a doutrina revelada consegue encantar beatos, obreiros obtusos e pastores subalternos; mas não faz o mais mínimo sentido para os crentes firmes na “fé em Cristo Jesus” (Gl. 2.16) segundo as Escrituras; porque não somos “como os demais, que não têm esperança” (1 Ts. 4.13b). Nesta condição de fidelidade a Cristo e às Escrituras Sagradas é que “seremos arrebatados… num abrir e fechar de olhos…” (1 Ts. 4.17; 1 Co. 15.52).
    Portanto, ARREBATAMENTO JÁ![…]

  3. valente disse:

    quem sao voces raça de viboras para falar de arrebatamento da igreja voces nao sabem nem o q ta escrito sobre arrebatamento como que pessoas ficom usando a internete para falamal de uma igreja e ao mesmo tempo quer faler sobre arrebatamento?fariseus,hipocritas,raça de viboras,caidos da verdade indolentes gananciosos etc.att alguem
    .
    valente
    valente.icm82@hotmail.com
    Endereço IP: 201.50.85.135

    Dia nasce e noite vem.
    E aparece um “valente”.
    Ele mesmo nada tem.
    Abre a boca e range o dente.

    Fruto do maranatismo
    Que engana o formatado
    Ele sofre de bruxismo.
    Todos dizem: Ô… Coitado!

    Ele põe à nudez o que existe dentro de si.

    Exemplo de formatado icemita ignorante e instigado pelo ódio.

    Imagine o que esse cabra é capaz de inventar num “culto profético” e dizer: OSSORREVELÔ.

    Mais parece boneco de engonço, fantoche.

    Metade do que escreve: ódio, ofensa e xingamento; e a outra metade: orgulho religioso em “defesa da Obra”. Não causa admiração.

    Num linguajar mais parrudo, moleque de recados.

    O diabo deita e rola quando encontra um desses…

    Xô!

    CV

  4. […] Firmes na “fé que uma vez por todas foi entregue aos santos” (Jd. 3) e considerando o compromisso de Jesus com o Evangelho de Deus, diremos inicialmente:

    1.não se deixem enganar por falsos intérpretes da Escritura Profética;

    2.nenhuma das trombetas do Apocalipse ressoou;

    3.o arrebatamento da “igreja de Deus…corpo de Cristo” é iminente e independe de “sinais dos tempos”; mas não é evento ou fator de início dos futuros sete anos da “grande [tamanha] tribulação”;

    4.o esforço para remover o poder de restrição contra as “obras do diabo” (1 Jo. 3.8; Ap. 2.24) é atribuição exclusiva do Espírito de Cristo Jesus; e não de governos, igrejas ou políticas trans-culturais;

    5.o Falso Messias celebrará acordo com muitos por uma semana (sete anos), inclusive, com as autoridades civis e religiosas de Israel (Dn. 9.20-27); mas no meio desse período romperá o trato; então Israel enfrentará o “tempo da angústia de Jacó” (Jr. 30.7).

    6.Quão importante o encadeamento das grandes profecias em Daniel, no Sermão Profético e no Apocalipse. […]

  5. Brigitte disse:

    Good article. Its realy nice information for us. Thanks a lot!

  6. Hora da verdade disse:

    Quando ainda estava no catolicismo, comecei a participar de estudos biblicos a convite de irmãos de uma igreja pentecostal. Muitos foram os estudos ate que chegamos ao assunto do arrebatamento.
    à medida que fomos aprofundando na Palavra, o Espírito de Deus me constrangeu a despertou em mim desejo de salvação.
    Foi-me dado à conhecer sobre a vinda de Jesus e tudo o que irá acontecer após o arrebatamento da igreja. Toda aquela informação antes desconhecida, pois nunca ouvira falar sobre isso, me despertou para aceitar Jesus como meu único e suficiente Salvador.

    A fé vem pelo ouvir, e ouvir a Palavra de Deus.

    O presente artigo nos relata fielmente acerca daquele grande dia, me fez voltar a sentir o mesmo sentimento de quando fui tocada pela primeira vez pelo Espírito Santo e me deu um novo ânimo.
    Arrebatamento será para aqueles que forem achados seus nomes escritos no livro da vida e aquele que nos garante isso é o autor e consumador da nossa fé,Jesus Cristo, o Filho de Deus, e não um bando de homens que interpretaram as escrituras de maneira que favoreçam somente uma classe de pessoas.
    Infelismente me deixei seduzir pelo sistema e vivi por muitos anos em total dependência , como zumbi, acreditando que tres das trombetas já tocaram e no soar da quarta ocorrerá o arrebatamneto. ENGANO!
    Dou graças a Deus por ter=me feito voltar às Escrituras e para o que Deus disse e entender Sua verdade.
    Paz
    .
    .
    Minha irmã,

    Leia os demais artigos da área de Escatologia.

    Aquilo que ao crente em Jesus deve interessar, é o que Deus disse, do jeito que Ele disse (1 Ts. 1.10): Jesus nos livra da ira divina.

    Recomento MANUAL DE ESCATOLOGIA, D. Pentecost (parece-me que o download ainda pode ser feito), por ser o melhor que conheço no assunto. Obra essencial e até obrigatória àqueles quem queiram entender o besteirol gedeltiano ensinado na Maranata aos arrotos de “mistério da Obra”. Alguns dos assuntos:

    • A Interpretação da Profecia
    • As Alianças Bíblicas e a Escatologia
    • Profecias da Presente Era
    • Profecias do Período da Tribulação
    • Profecias Relacionadas à Segunda Vinda
    • Profecias do Milênio
    • Profecias Sobre a Eternidade

    Boa leitura.

    CV.

  7. […] Deste modo, o mundo conhecerá e reconhecerá a comunidade cristã que a Deus adora “em espírito e em verdade” (Jo. 4.24). Isto somente é possível no contexto de obediência ao Novo Testamento e no contínuo fluir do Pentecostes, enquanto aguardamos o arrebatamento. Porquanto, a comunidade cristã deve ser reflexo da comunhão existente na Tri-Unidade da Divindade,

    “…para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais, segundo o eterno propósito que estabeleceu em Cristo Jesus, nosso Senhor, pelo qual temos ousadia e acesso com confiança, mediante a fé nele.” (Ef. 3.10-12) […]

  8. […] ela seria curada e preparada para a eternidade. Evidentemente, respeito-lhes a opinião; porém, o arrebatamento da “igreja de Deus… corpo de Cristo” nada tem a ver com a profetizada “tribulação […]

Deixe o seu comentário

Resolva a seguinte pergunta para envio * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.