Aos desigrejados incrédulos e rebeldes

 

Resultado de imagem para confusão mental    Algumas comunidades das redes sociais nos fornecem o espelho do que acontece entre indivíduos que ainda não alcançaram o entendimento das relações interpessoais no tocante:

  1. estar em Cristo;
  2. igreja de Cristo ou igreja de Deus;
  3. ser de Cristo;
  4. ou ainda não experimentaram o novo nascimento;
  5. ou perderam a referência do ensino do Novo Testamento a respeito.

Aparecem indivíduos isolados ou pequenos grupos de pessoas identificados com a expressão desigrejados. Não sei como apareceu esta expressão. No entanto as consequências se acumulam sobre esses que insistentemente resistem aos apelos de imediato retorno às Escrituras.

Assim, este artigo decorre de acompanhamento do assunto ao longo deste ano de 2017, lendo e observando relatos. Na defesa da “fé que uma vez foi dada aos santos” (Jd 9), insisto na fidelidade às Escrituras e retorno ao “evangelho da graça de Deus” (At 20.24); porquanto está escrito (1 Co 1.24): “Cristo é o poder de Deus e sabedoria de Deus.”

Compreendo que crentes maranatas continuem descontentes com desvios de dinheiro, escândalos e investigações do Ministério Público Estadual e Federal, como no caso da Igreja Cristã Maranata (Vila Velha-ES), resultando ação cível de improbidade administrativa, ação penal pública incondicionada envolvendo diversos líderes religiosos; inclusive as investigações na Polícia Federal de crime contra ordem tributária, estelionato, evasão de divisas e lavagem de dinheiro e associação.

Compreendo que esses amados crentes em Cristo ficaram escandalizados e fugiram do jugo opressor de falsos profetas e de maus pastores hierarquicamente mancomunados com a oligarquia pseudocarismática que os prendiam em esperanças vãs, heresias e promessas de projeto de salvação. Nada mais do que o orgulho religioso enraizado no insano sentimento de superioridade. Não é nos cultos proféticos, dissimulados por natureza, onde erram e continuam errando?

Compreendo que a confusão emocional nesse tempo de angústia, choro, esperança perdida e feridas não curadas é a fase dolorida. Compreendo a fuga e o lamento. E o medo! Milhares escreveram neste Blog e no Facebook até conseguiram, aos poucos, se ajustarem em igrejas assim chamadas tradicionais. Então, o artigo não cuida desses amados irmãos.

Em Mateus 18:20 lemos: “Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles.” Basta esta frase e dois ou três desigrejados – isolados de todos – afirmam ser “igreja de Cristo”. Existe algo fora do contexto da Palavra, não? EXISTE!!! Fazer uso de texto fora do contexto gera HERESIAS. No episódio Jesus fala de pecado em um dos três.

Entrementes, lendo e relendo cópias de debates em redes sociais observo o seguinte:

  1. Desigrejado cola frases da Bíblia, finge que é crente honesto e se esconde atrás de textos e versículos da Bíblia achando que DEUS não o vê nem sonda seu coração empedernido pelo engano doo pecado.

 

  1. Desigrejado defende a individualidade e se vangloria de ser cristão solitário – como se o indivíduo nascido de novo possa viver fora de “a igreja de Deus… corpo de Cristo”.

 

  1. Desigrejado desrespeita o Administrador do Grupo, ofende os contrários, pisa nos que digitam algum equívoco, zomba dos menores e xinga.

 

  1. Desigrejado dissemina a avareza, a discórdia, a incredulidade e o desrespeito ao ministério pastoral estabelecido por Cristo como necessário para as igrejas.

 

  1. Desigrejado é como um cão fugido dos antigos donos, que anda na rua disputando espaço com outros cães, farejando lixo e marcando o rumo.

 

  1. Desigrejado não quer saber que a doutrina/instrução do Novo Testamento se dirige à “igreja de Deus… corpo de Cristo”; e não, a indivíduo isolado que queira viver como bode errante pelos desertos da vida.

 

  1. Desigrejados alegam desnecessidade de membresia na igreja física, não precisarem estar em comunhão/ir à igreja, pois individualmente são templo e morada do Espírito Santo. Nessa condição espiritual duvidosa e perigosa fazem da filiação a Cristo assunto irrelevante, místico e separado do “fruto do Espírito” que se espera na congregação dos crentes em Jesus.

 

  1. Desigrejados atacam a doutrina do dízimo, especialmente, escondendo o medo de que esta parcela lhes venha a faltar. Enquanto nesta condição de avareza e incredulidade eles não conseguem ver as bênçãos que Deus concede ao que exerce fé em Jesus, porquanto os crentes em Jesus andam por fé e não pelo que veem (2 Coríntios 5.7).

 

  1. Desigrejados exibem corações duros de grosseira incredulidade, mantêm comportamento como o de Judas Iscariotes e perderam a referência de “estar em Cristo”.

 

  1. Desigrejados nada querem com a Teologia Pentecostal, muito pulsante e muito viva, como aparecem em comentários e notas na Bíblia de Estudo Pentecostal, ARC, CPAD, por exemplo.

 

Não adianta criticar a igreja institucionalizada como se ela fosse a infamante mãe de todos os males dos desigrejados desviados da fé salvífica que não conseguem discernir e/ou não querem entender as ações do Maligno. Os desigrejados querem ser cristãos sem obediência e inequívoca sujeição ao ensino do Novo Testamento para a “igreja de Deus”. Isto é impossível!!!

Não podemos “acrescentar ou tirar” alguma coisa da Palavra de Deus, como está escrito: “…aprendais a NÃO IR ALÉM do que está escrito…” (I Co 4:6 – ênfase nossa).

Nesse conjunto de atitudes os desigrejados mostram que não nasceram de novo. No fundo desse cenário horrível e nebuloso há um espírito opressor agindo em cada um desses lobos que rosnam a avareza que domina seus corações e não querem instrução. Mentem para si mesmos e para os demais.

Notoriamente presos às ações pecaminosas do corpo e às paixões da carne, essa rebeldia sinaliza para o FATO de que o cristão pode passar da vida espiritual para morte espiritual, como está escrito (Rm. 8. 6,7,13):

“Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida. Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade o pode ser. (…) porque se viverdes segundo a carne morrereis; mas se pelo espírito mortificardes as obras do corpo, certamente vivereis.”

O Diabo observa os desigrejados, estimula a criação de heresias formadas a partir de textos isolados das Escrituras e os excita a permanecerem presos em seus pensamentos próprios. De nada adianta repetir o Pai Nosso na mal-humorada oração à noite porque “Deus resiste aos soberbos”. Oram de si para si mesmos e o Eterno não os ouve nessa rebeldia.

O olhar criterioso do Novo Testamento insiste que a “igreja de Deus” é assembleia ou reunião de Deus. Assim, a frase “igreja de Deus” (ekklesia theou) ou “igreja de Cristo” (ekklesia Christou) mostra o significado essencial da igreja (ekklesia). Esta palavra por si só não significa mais do que simplesmente reunião; mas, “igreja de Deus” indica que o caráter desta assembleia não está em seus membros; mas nAquele que é o Cabeça.

Ora, a consequência do pecado habitual é a morte espiritual até mesmo para aquele que se acha cristão (Rm 8.13; 1 Co 6.9,10). Os filhos desses apóstatas desde cedo desenvolvem a rebeldia que observam em seus pais.

Por fim, se desigrejados se agrupam, logo criam a casta de dominantes e dominados. Se não se arrependerem, por ventura escaparão de condenação eterna?

NOTAS

Atualização às 16:58 de 27.12

Cite o artigo

http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2017/12/aos-desigrejados…dulos-e-rebeldes/ ‎

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

3 Respostas para “Aos desigrejados incrédulos e rebeldes”

  1. Cavaleiro Veloz disse:

    Dissemos que algumas comunidades das redes sociais nos fornecem o espelho do que acontece entre indivíduos que ainda não alcançaram o entendimento das relações interpessoais no tocante:

    a) estar em Cristo;
    b) igreja de Cristo ou igreja de Deus;
    c) ser de Cristo;
    d) ou ainda não experimentaram o novo nascimento;
    e) ou perderam a referência do ensino do Novo Testamento a respeito.

    Fixem na expressão entendimento das relações interpessoais e observem como o Novo Testamento é incisivo:

    1. “Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.” 1 João 4:7
    2. “Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros.” Romanos 12:10
    3. “Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.” Efésios 4:32
    4. “Assim que não nos julguemos mais uns aos outros; antes seja o vosso propósito não pôr tropeço ou escândalo ao irmão.” Romanos 14:13

    5. “Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.” 1 Pedro 4:10
    6. “Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” Tiago 5:16
    7. “E agora, senhora, rogo-te, não como escrevendo-te um novo mandamento, mas aquele mesmo que desde o princípio tivemos: que nos amemos uns aos outros.” 2 João 1:5
    8. “E consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras, não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia.” Hebreus 10:24,25

    9. “Então os discípulos diziam uns aos outros: Trouxe-lhe, porventura, alguém algo de comer?” João 4:33
    10. “Eu próprio, meus irmãos, certo estou, a respeito de vós, que vós mesmos estais cheios de bondade, cheios de todo o conhecimento, podendo admoestar-vos uns aos outros.” Romanos 15:14
    11. “Isto vos mando: Que vos ameis uns aos outros.” João 15:17
    12. “Não sejamos cobiçosos de vanglórias, irritando-nos uns aos outros, invejando-nos uns aos outros.” Gálatas 5:26

    13. “Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão.” Mateus 24:10
    14. “Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.” João 13:35
    15. “O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei.” João 15:12
    16. “Por isso exortai-vos uns aos outros, e edificai-vos uns aos outros, como também o fazeis.” 1 Tessalonicenses 5:11

    17. “Porque esta é a mensagem que ouvistes desde o princípio: que nos amemos uns aos outros.” 1 João 3:11
    18. “Porque também nós éramos noutro tempo insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias concupiscências e deleites, vivendo em malícia e inveja, odiosos, odiando-nos uns aos outros.” Tito 3:3
    19. “Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.” 1 Tessalonicenses 4:18
    20. “Portanto recebei-vos uns aos outros, como também Cristo nos recebeu para glória de Deus.” Romanos 15:7

    21. “Se vós, porém, vos mordeis e devorais uns aos outros, vede não vos consumais também uns aos outros.” Gálatas 5:15
    22. “Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo.” 2 Coríntios 13:12
    23. “Saudai-vos uns aos outros com santo ósculo. As igrejas de Cristo vos saúdam.” Romanos 16:16
    24. “Saudai-vos uns aos outros com ósculo de amor. Paz seja com todos vós que estais em Cristo Jesus. Amém.” 1 Pedro 5:14

    25. “Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus.” Efésios 5:21
    26. “Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também.” Colossenses 3:13
    27. “Todos os irmãos vos saúdam. Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo.” 1 Coríntios 16:20
    28. “Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis.” João 13:34

    Se perguntar não ofender, bodes errantes conseguem cumprir esses mandamentos dados à “à igreja de Deus… corpo de Cristo?”

    “O SENHOR é nossa justiça.”

    CV

  2. Cavaleiro Veloz disse:

    Escutem:

    A Maranata começou de dissidência e rebelião entre os membros da Igreja Presbiteriana. Ao depois, com a liderança estabelecida nas mãos da família Gueiros (de Vila Velha-ES), o líder, notadamente pseudocarismático, desprezou a grandeza do “evangelho da graça poder de Deus e sabedoria de Deus”; e debandou em erros, fraudes, heresias, meias verdades e para piorar: negando transparência.

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/a-igreja-de-seu-abilio/

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2010/06/o-comeco-do-fim/

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/03/o-clamor-publico/

    Agora, a membresia está encurralada em um beco sem saída e a pergunta que não quer calar é esta: Judas, cadê o dinheiro?

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2011/08/beco-sem-saida/

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2013/01/judas-cade-o-dinheiro/

    Avisei bem antes – esse gigantismo intencionalmente megalomaníaco e pseudocarismático está desmascarado e fatalmente implodido. Desastre previsível. Exemplo de comunidade cristã desviada das Escrituras e mergulhada em falso profetismo instigador de ódio religioso contra os dissidentes e os questionadores. O ódio é instigado e o pavor domina o rebanho.

    Enquanto isso alguns deles fazem turismo na Praça Vermelha

    Igrejas morrem.

    Não duvidem: a decadência da Maranata é notória, as demandas judiciais expuseram o poço de iniquidades, o Conselho Presbiteral se presta a elogiar Gedelti Gueiros e pasmem! o Presbitério não se sente culpado.

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/a-decadencia-da-maranata/

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/02/poco-de-iniquidades/

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2013/10/acredite-se-quiser/

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2014/08/o-presbiterio-nao-se-sente-culpado-sera/

    Neste contexto me lembrei de Marcia Velten relatando dificuldades http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2011/10/labaredas-de-odio-religioso/comment-page-1/#comment-2020 cuja postagem também pode ser lida em http://obramaranatarevelada.wordpress.com/sou-nova-na-icm/ seguida de diversos comentários.

    “O SENHOR é minha bandeira.”

    CV.

  3. Cavaleiro Veloz disse:

    A Escritura é clara como a luz do sol (1 Tm. 5.17-18):

    “Devem ser considerados merecedores de dobrados honorários os presbíteros que presidem bem, com especialidade os que se afadigam na palavra e no ensino. Pois a Escritura declara: Não amordaces o boi, quando pisa o trigo. E ainda: O trabalhador é digno do seu salário.”

    Desigrejados atacam o sustento pastoral, desdenham e desprezam instituições religiosas. Homens de Deus que dedicam suas vidas à disciplina, à oração e jejum, ao ensino e ao pastoreio de vidas merecem dobrada honra. Negar o sustento pastoral é coisa de avarentos, mesquinhos. Negar o sustento pastoral é opor-se aos ensinamentos dos apóstolos.

    Continue lendo

    “É incrível, mas alguns crentes em nosso meio ainda não foram instruídos sobre este tão importante assunto. Todos os outros que trabalham recebem uma recompensa pelo serviço dado; por que um pregador do evangelho não deve receber o seu sustento pastoral?”

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/sustento-pastoral/

    “O SENHOR é minha bandeira.”

    CV

Deixe o seu comentário

Resolva a seguinte pergunta para envio * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.