O CLAMOR PÚBLICO

  Diante dos olhos da ICM-PES e da Sociedade os documentos – Carta e seu Anexo -, como um APELO aos devem prestar contas de seus atos e omissões no que diz respeito à administração (“lato sensu”) centralizada desta igreja; o que inclui a esfera doutrinária e ética no contexto da espiritualidade que se esperava e não aconteceu.

Estivemos juntos e acertamos a publicação no Blog dos documentos que seguem. Neste triste fim de jornada de quarenta anos os descalabros e desvios exigem prestação de contas.  O Juízo Vem.

Os termos dos documentos foram claros, objetivos e transparentes, ao contrário do contumaz desrespeito para com a membresia e ofensa ao ordenamento jurídico vigente pela parte requerida.

Carta de Hugo Gueiros Bernades Filho, Sub Procurador Geral da Republica direcionada ao Conselho Presbiteral.

 

Caro Pastor e Presbítero,

 

Ofereci-me para falar em nome de pessoas que, em sua maioria, desejam permanecer na Igreja Cristã Maranata, mas estão envergonhadas e tristes com o anunciado desvio de dinheiro e com novas ou antigas práticas do Presbitério e da Fundação, que não são bem conhecidas.

Soubemos que o novo Conselho Presbiteral irá apreciar meu requerimento, daí esta correspondência individual a V. Sa., ilustre Conselheiro (em anexo único, reenvio as questões que compõem esse requerimento).

Talvez alguns dos ilustres Conselheiros estejam propensos a me ver como inimigo pela simples iniciativa de fazer perguntas, o que não parece usual. Acreditem: é o contrário. Tenho a ambição de manter muitas pessoas na nossa Igreja.

Só que os irmãos querem informações fiéis. Cobram a mesma fidelidade que deles se exige por intermédio das seguidas Videoconferências.

Não poderei comparecer pessoalmente. Fui gentilmente convidado pelo Pastor Gedelti a viajar a Vitória e tomar ciência de tudo quanto for do meu interesse, acompanhado de uma ou mais pessoas.

Contudo, espero a compreensão de todos no sentido de que represento pessoas que aguardam um pronunciamento oficial acerca das perguntas. Elas não querem a simples apreciação superficial de documentos por parte de um grupo, mesmo que eu o componha.

Aliás, nem nos convém estar no Presbitério e apreciar documentos. Dias e dias seriam necessários para ver tudo e decerto muitas outras coisas não seriam vistas. Fora daí, o momento é delicado e pessoas de Brasília, em particular as que detém cargos públicos, naturalmente evitam contato com o Presbitério.

Uma coisa parece certa, considerando as circunstâncias. Se as perguntas que os irmãos fazem não forem respondidas (ou pior: se forem ridicularizadas), difícil será a alguns pastores daqui e daí, talvez até mesmo a V. Sa, subir ao púlpito nos próximos meses.

Prestar esclarecimento aos irmãos que, com muita dificuldade, pagam seus dízimos, não pode ser obra do “adversário”, como se procura ensinar. Considerá-los pessoas ignorantes ou maliciosas, que terão “olho gordo” se tomarem ciência de qualquer valor também não seria um argumento razoável. Aliás, o olho gordo transitou confortavelmente por aí, pelo que tem sido amplamente noticiado e já parece reconhecido por todos. Curioso é que agora as informações circulam livremente entre contadores, advogados e empresas de auditoria, todos estranhos à Igreja.

Se V.Sa. votar contra a divulgação das informações, o Brasil e o mundo naturalmente serão conduzidos, no mínimo, a uma dúvida sobre ligação entre V. Sa. e o responsável (ou os responsáveis) pelo que aconteceu. Segundo o dito popular: notícia ruim corre rápido.

Tudo que lhe pedimos é que deixe agir a sua consciência – segundo a sã doutrina que, supomos, lhe foi ministrada desde a juventude – ao invés de jogar no lixo nosso requerimento de informações. V. Sa. é dirigente constituído do Presbitério, responsável perante Deus e os homens por seus atos e omissões.

Não permita, peço-lhe encarecidamente, a presença e a participação do antigo Conselho, ou Comissão, na importante decisão que V. Sa. irá proferir.

Atenciosamente,

Hugo Gueiros Bernardes Filho

ANEXO ÚNICO.

Eis as informações que pedimos, na suposição de que a elas temos direito:

Registro (ainda que simplificado) de patrimônio e movimentação, que possa ser facilmente lido e compreendido, do qual conste, em relação a cada Igreja, bem como ao Presbitério e outros órgãos da Igreja, ou ligados à Igreja, especialmente a Fundação:

• Valores dos dízimos e ofertas arrecadados (valores globais)
• Valores dos investimentos e despesas realizadas (valores dos grandes itens)
• Valores que são repassados ao Presbitério (ou a qualquer outra entidade, como a Fundação) e valores que permanecem na Igreja local
• Registro do patrimônio (basicamente, bens, receitas e dívidas) da Igreja e entidades ligadas, como a Fundação.
• Pessoas físicas ou jurídicas que receberam doações e empréstimos, com seu valor (e registro dos empréstimos que foram solvidos).
• Pessoas físicas ou jurídicas que receberam valores a título de prestação de serviços, compras ou vendas de bens, em caráter contínuo ou de valores superiores a R$ 200.000.00.
• Forma de cálculo do preço, ou forma de concorrência, que a Igreja adota para a aquisição de bens e serviços (inclusive aluguéis e realização de todo e qualquer tipo de contrato)
• Como se estabelece a eventual preferência para membros da Igreja, ou pessoas a eles ligadas, ou por eles indicadas, nessas aquisições.
• Outras informações que possam ser relevantes à comunidade dos membros acerca do uso do dinheiro da Igreja Maranata.
• Razões para que a Igreja apenas agora tenha movido ação contra administrador seu, segundo o noticiário da Imprensa. Os desvios realmente remontam a anos atrás? Quem foram os autores das primeiras denúncias?

Pergunto, ainda:

1. Quando se realizam as assembléias de prestação de contas e como os membros da Igreja local podem fazer para efetivamente participar?

2. Quem são os advogados, contadores e quais os profissionais que influem na administração da Igreja e Fundação e por quanto tempo foram contratados? Qual o custo (mensal ou fixo) quais as suas atribuições e quais os critérios para a sua escolha? Pede-se esclarecer se advogados de pessoas demandadas pela Igreja em juízo, ou extrajudicialmente, foram contratados pela própria Igreja, e porquê.

3. Quando foram (ou serão) contratadas de auditoria externa, o que lhes foi ou será pedido, especificamente, como objeto do seu trabalho? Qual o custo e quais os critérios para a sua escolha?

4. Os membros afastados da antiga administração da Igreja continuam representando-as, no Brasil e no Exterior, ou opinando sobre os assuntos administrativos, por si ou por pessoas intimamente ligadas?

5. O pastor ou membro do Conselho da Igreja responde pela irregularidade da qual tenha ciência, não divulgada e mantida apenas entre os dirigentes? (observo que não desconheço a lei, mas quero saber qual a opinião dos responsáveis).

6. Há alguma norma que proíba a utilização do valor dos dízimos recebidos nas igrejas nas necessidades das próprias Igrejas? Qual é, especificamente?

7. É condizente com as normas da igreja “apelo” para realização de ofertas para a compra de quaisquer bens ou serviços da Igreja, para que com isso não se gaste o valor dos dízimos e ofertas remetidos ao Presbitério?

8. A igreja mantém o trabalho voluntário, sem remuneração direta ou indireta, para todas as funções da igreja, como foi constantemente anunciado nas igrejas e encontros/seminários (Maanains)? Foram criadas exceções? Quando? Qual o valor da retribuição?

9. A Igreja, quando contrata prestadores de serviços e vendedores de bens (pessoas físicas ou jurídicas) realiza concorrências para a aquisição de bens e serviços (inclusive aluguéis e realização de todo e qualquer tipo de contrato)? Quem tem concorrido? Como se faz essa concorrência? Quais as regras? Quais as exceções?

10. Há alguma norma que proíba aos Pastores, e demais irmãos responsáveis pelas finanças de uma Igreja, a divulgação entre os membros da própria Igreja do valor dos dízimos/ofertas recebidas e dos gastos ali efetuados?

Dignifique a obra de Deus com a verdade, é o pedido que lhe faço.
Que o Senhor tenha misericórdia de todos nós.

Hugo Gueiros Bernardes Filho
Email
lago.sul@uol.com.br

….

Sei de algo que está abrindo dos olhos dos cegos, fazendo falar os mudos e ouvir os surdos: se aqueles que dominam esta ICM-PES perderam a vergonha, aqueles que os obedecem perderam o respeito por si mesmos.

Veja também:

Pastor usou ‘visão’ para justificar desvio
Envolvido em compras foi preso pela federal
R$ 1,8 milhão doados por deputados à igreja
Igreja contratou sobrinho de presidente
Maranata: “uma igreja que surgiu da luta pelo poder”
Maranata pagou R$ 941 mil em materiais nunca entregues
Milhões arrecadados e livres de fiscalização
Maranata: líder da igreja é investigado

Suspeita de crimes federais serão investigados

http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2013/04/noticias/cidades/1427772-hugo-gueiros-bernardes-filho–sinto-vergonha-do-que-vem-acontecendo-na-igreja-crista-maranata.html

Notas:

Atualização em 17.03.2012 às 13:27

Caso deseje enviar e-mail ou publicar, faça cópia completa citando a fonte com o link http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/03/o-clamor-publico/

Fineza não enviar comentários em CAIXA ALTA (letra maiúscula).

Não leio postagens de caluniadores e maldizentes. DELETO.

Por fim, o ninho está sujo… muito sujo.

Re-estilização em 25.02.2014 às 15:00

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

263 Respostas para “O CLAMOR PÚBLICO”

  1. Bela disse:

    Parabens CV,
    “O meu pastor é meu Jesus, sereno e mui constante e viverei em Sua luz, não temo estou confiante; havendo provas eu vou vencer…”.

    Lindo louvor por ti ensinado a um grupo do qual eu fazia parte.

  2. Cristalina disse:

    Firme nas promessas disse:
    21 de maio de 2013 às 8:13

    Interessante, mas como já disse, a instituição pertence a um dos envolvidos. Como retirarão o dono?

    Creio, na minha ignorância, que as providências são mais complexas do que se imagina.

    E os bens comprados com o dinheiro do dízimo, e o dinheiro desviado, e a doutrina inventada?

    Meio difícil esta situação. Afastamento dos tais não basta para que continue esta instituição.

    E tem mais uma coisinha que os queridos ainda não entenderam. maranta não é obra do espírito e nem filha única que veio da eternidade. Isso é invenção de longa data do líder mor. É tão verdade quanto ele tomando café da manhã com Deus.

    Estes irmãos que estão se manifestando precisam entender que a obra é “gedeltiana” e o Espírito de Deus nada, mas nada mesmo tem haver com isto.

    Perdoe, mas um pouco de leitura e aprendizado da Palavra de Deus se faz urgente, para que entendam a extensão do mal que é este lugar.

    A história não é tão simples assim!

    Graça e paz

    “Creio, na minha ignorância, que as providências são mais complexas do que se imagina.”
    .
    .
    PENSE!
    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/pense/

    1. A complexidade dos crimes (em tese) investigados na elite da ICM-PES é de tal monta que me faz acreditar em apuração e condenação desses indivíduos; e a pensar, que em ocasião oportuna alguém lance mão da DELAÇÃO PREMIADA.

    2. A “confissão espontânea” está prevista no Direito Penal como circunstância atenuante (CP, art. 65, III, “d”), ainda que o fundamento da elação premiada é o “estímulo à verdade processual” (Exposição de Motivos da Lei n. 7.209/84).

    3. A petição para inclusão no programa de testemunhas deve ser enviada pelo delator ao magistrado da questão, cujo depoimento será mantido sob sigilo. Havendo prova suficiente e ouvido o Ministério Público, será celebrado o acordo que segue normas processuais específicas, incluindo cláusula de sigilo nos termos do artigo 5º, inciso XXXIII, e do artigo 93, inciso IX, da CARTA MAGNA, combinados com o artigo 7º, inciso VIII, da Lei n. 9.807/99, e com o artigo 20 do CPP; e, devidamente assinado pelas partes, a avença (acordo) será levada à homologação judicial.

    4. A propósito, pretende-se uma “troca”: o delator apresenta dados, documentos, fatos, nomes, testemunhas e o que interessar para ficar livre da condenação ou redução das penas. Evidentemente, caberá ao Ministério Público decidir da conveniência de ingressar o delator no programa de proteção às testemunhas (o que inclui procedimentos especiais); se a proposta é esperteza (manobra da defesa); ou se dará início a novas investigações em procedimentos próprios. Nota-se que, caso haja um acordo de delação premiada num novo processo, o cumprimento da pena pode ser revisto e até diminuído, a depender da Justiça.

    5. Caso aconteça que algum icemita formatado esteja na condição estatutária de funcionário público, mas está mergulhado no poço de iniquidades e envolvido com crimes (em tese) da quadrilha (suposta) de meias-solas-mercenários que encheram os bolsos dos dízimos e ofertas (que têm destinação estatutária própria); esse bobo da corte e esperança dos banquetes de ladrões pode ser alcançado na futura instauração de processo administrativo disciplinar de graves consequências.

    6. Escutem, cúmplices dos meias-solas mercenários. Esses acordos (avenças) de colaboração premiada poderão ser utilizados, validamente, pelo Ministério Público para a instrução de inquéritos civis, inquéritos policiais, ações cíveis de improbidade administrativa, ações penais, procedimentos administrativos criminais; e podem ser emprestados ao Banco Central do Brasil, à Procuradoria da Fazenda Nacional e à Receita Federal para a instrução de procedimentos e ações fiscais, bem como a qualquer outro órgão público, inclusive estrangeiro. Entenderam?

    7. Pode parecer que a “delação premiada” esteja longe da imaginação do formatado icemita no caminho da sentença criminal pesada (que tremedeira, hein?!); porque na mente desses icemitas mercenários giram programas implantados pelo mestre da enganação, das meias verdades, dos mitos e dos malabares, tipo: “não pequeis contra a Obra”; “não toqueis nos meus ungidos”; “quem peca contra esta Obra será comido de bicho” e anátemas diabólicos dos meias-solas recalcitrantes que dizem: “Fizemos um bom negócio e não cometemos pecado algum!”

    8. Porém, em tese, ao despertar para a iminência do rugir da SENTENÇA condenatória pela prática de ilícitos penais implicando em 6 anos, 13 anos ou mais em regime fechado (além de multas) a astúcia da defesa ou o esperto formatado, por si mesmo, apelará para a vida.

    Restante em
    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/11/ja-esta-posto-o-machado-a-raiz-das-arvores/

    CV.

  3. Rui Dias disse:

    Queria pedir ao Dr. Hugo Gueiros para incluir também algumas perguntas especificamente a nivel Brasilia, por exemplo:

    -Porque o Silvio e Otavio não largam a coordenação local por nada?

    -Será que em Brasilia não existe outros Pastores que possam assumir a coordenação?

    -Porque Silvio e Otavio, lutam/brigam por este cargo? Eles ganham alguma coisa do presbitério?

    -Porque Silvio e Otavio deram exclusividade ao Renato/Sobradinho as instalações das antenas nas igrejas, enquanto tinha outros irmãos que também fariam o serviço com preço bem menor?

    -Será que o presbiterio já atentou para o volume em dinheiro somado todas as notas emitidas pelo Renato.

    -Este Renato é uma pessoa com passado sujo na igreja, já foi tesoureiro da igreja de sobradinho, e usou indevidamente o dinheiro do dizimo em sua conta partcular.

    -Silvio e Otavio sabem disto, como prémio deram ao Renato a exclusividade das instalações das antenas,porque?

    -Aqui em Brasilia tem muita coisa errada também, os que ocupam os cargos (coordenador) atualmente,vão ser surpreendidos com a visita do MP, denuncias existem, e o clima entre os pastores a cada dia pior, a maioria dos pastores não aceitam mais esta dupla (Silvio/Otavio).

    -Porque o Presbiterio não toma providencias com relação a este assunto, que principalmente nos últimos meses vem sendo continuamente denunciado ao PES.

    -As igrejas em Brasilia estão vazias, as pessoas conhecem a situação e esperam soluções, como não existe nenhuma providencia por parte do PES, muitos estão saindo caladinhos.

    -Brasilia precisa de ajuda, providencias, aqui existe muitas injustiças, principalmente praticadas pela dupla que pratica o terror Silvio/Otavio.

    -O PES só vai tomar providencias quando o escândalo vir a tona? Então só muma questão de tempo, aguardem.

  4. Angela disse:

    Rui Dias disse: 25 de maio de 2013 às 23:40

    Não é só aqui no Espírito Santo e em Brasília não Rui Dias, a bandidagem corre solta em todos os lugares, inclusive no exterior.

    Essa “Obra perfeita” em maracutaia, já começou com aquilo que a Palavra condena – Rebelião. E a partir daí o sinhô Gedelti instaurou a maior banca religiosa de negócios escusos de todos os tempos, respaldado pela palavrinha mágica “ossorevelô” para beneficiar a si , toda a sua família e alguns poucos privilegiados, com os dízimos de gente boa e crédula. Mas os fatos escancaradamente noticiados, mostram que quem falava e fala é a esperta raposa – dona da maranata – Gedelti Victalino Teixeira Gueiros.

    E muito mais ainda virá, Rui! Brincaram de Deus e com Deus. E como de Deus não se zomba, o juízo aí está!

    Que venham mesmo, para que ninguém mais se torne presa fácil na mão de ardilosos, astutos e espertos homens de “bons negócios” com dinheiro alheio.

    Paz!

  5. pr.eduardo gil vasconcellos disse:

    Na verdade a oubra do sinhô gedelti ja foi para o belleléu, grande parte da membresia nõa da mais dizimo e não confia mais nas profetadas, revelagens, visagens vindo da cúpula e dos seus pastores!

    A implosão ja aconteceu ja algum tempo, agora o VPC perdeu crédito junto com a cupula, tanto é que alguns estão viajando para fora do país, pois aqui no Sul é debandada após outra.

    As unidades no geral vazias, o povo entristecido e se sentindo traído, pela sofisticada organização criminosa segundo o MPES.

    O último que sair não esqueça de apagar a luz e fechar a porta!!!!!

  6. Eurípia Inês disse:

    Irmão Rui Dias,

    Não sou o Dr. Hugo Gueiros mas gostaria de fazer algumas perguntas a você, se me permite.
    Sou de Brasília e fui desta seita por vinte anos, portanto, conheço-a bem, principalmente depois que eu saí dela.

    – Você acha que se essa coordenação fosse ruim e não se ganhasse nada, essa dupla que você cita iria querer se perpetuar nela?

    – Depois de todos os escândalos que se vê na mídia em geral, e da Maranata passar a fazer parte das conversas de botequim, você ainda tem dúvidas de que ela nunca foi a obra que veio da eternidade e que vai melhorar e virar uma igreja cristã?

    – Você acha que depois que o MPES descobriu que esta é uma Obra SOC – Sofisticada Organização Criminosa e que o seu presidente é o VPC – Vértice de Pirâmide do Crime, o PES tem alguma solução para o problema de Brasília?

    Me desculpe irmão Rui Dias, mas se os pastores não aguentam mais essa “dupla”, o que estão fazendo ainda nesta seita? Estão com medo de quê? Estão esperando o quê? Mais humilhação? Cadê o amor próprio? Por que se sujeitam? Não perceberam ainda que estão numa seita anticristã?

    Eles, os pastores do PES, são os que escolhem seus coordenadores e eles observam o currículo dos candidatos que devem ser e fazer tudo exatamente como o Gedelti quer.

    Por isso amado irmão não adianta querer que o PES tome providência porque esta dupla que você cita são braços do PES e obedecem a cartilha do Gedelti com todas as letras.

    A Maranata em Brasília sempre foi o retrato do dono dela e por isso nunca faltou: arrogância, dissimulação, prepotência, mentiras, intrigas, perseguição às ovelhas, expulsões, humilhações, heresias, idolatria, falsos pastores, falsos dons e tudo o mais que se vê na Maranata hoje em dia.

    Ela é um esgoto a céu aberto e não adianta defendê-la ou querer consertá-la. Ela vai continuar assim porque foi criada assim e caminha para o fim.

    As coordenações de todo o Brasil são tentáculos do PES, portanto não adianta recorrer a eles pois a única coisa que pode ocorrer é que o recorrente seja perseguido.

    Pode uma fonte jorrar água doce e amarga ao mesmo tempo?

    Portanto irmão Rui Dias, um conselho te dou:

    Saia do meio desta seita.

    Isso não vai mudar porque o Gedelti não muda.
    A Maranata é dele, por ele e para ele.

    A paz do Senhor Jesus.

    Eurípia Inês.
    .
    .
    Ao longo desses anos criei algumas expressões e palavras:

    banda podre da maranata,
    clamor esquizofrênico,
    dono do rebanho,
    filhos da instigação do ódio,
    filhos do gedeltismo,
    gedeltismo,
    hierarquia maranatizada,
    icemistas,
    maluco-pela-obra,
    maranacutaias palacianas,
    maranatês,
    maranatismo,
    maranatismo pseudocarismático;
    mestre-profeta-mor;
    monarca quadragenário;
    monarquia quadragenária;
    monarquia-quadragenária-pseudocarismática,
    olhar caolho do construtor de heresias,
    ossorrevela,
    ossorrevelô,
    pandulho da rainha desfigurada,
    palácio da rainha desfigurada,
    porrevelação…

    Mas coube ao MP-ES criar duas expressões notáveis que resumem as DENÚNCIAS deste BLOG:

    SOC – Sofisticada Organização Criminosa
    VPC – Vértice de Pirâmide do Crime

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2013/05/maranata-19-denunciados-por-estelionato-formacao-de-quadrilha-e-duplicata-simulada/

    PARABÉNS!

    Por oportuno, a Sociedade está conseguindo compreender o caráter daquele que ocupa o VPC e a SOC por ele construída dentro do palácio da rainha desfigurada.

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2013/04/profetadas-e-revelagens-o-mal-esta-solto/

    http://cavaleiradaverdade.wordpress.com/2013/05/25/quem-nao-quis-entrar-nesse-esquema-ficou-marcado-como-inimigo-da-obra/

    CV.

  7. Hulda disse:

    Ao Rui Dias em 25 de maio de 2013 às 23:40.

    Sinto muito mas achar que Brasília vai mudar ou que adianta chamar o pastor Diniz, não vai não.

    Veja bem, todos os coordenadores de todas as regiões do Brasil recebem ótimos salários para fazerem a vontade o Gedelti que é DONO da maranata.

    Esse “pastor” Diniz está comprometido até os fios de cabelos com o DONO da maranata porque recebeu uma ajudinha de R$5.000.000,00(cinco milhões) do pes para reerguer seu hotel, o Flamboyant. Ele ainda tem um cartório cujo cliente que lhe dá muito lucro é também o PES.

    Eu te pergunto: Você acha que com numa mamata dessa esse pastor vai fazer alguma coisa para contrariar o Gedelti(repito, o Gedelti é DONO da maranata).

    Você acha que essa dupla Sílvio/Otávio vão largar o osso? Não espere isso. Esses dois são donos da obra em Brasília e recebem muito dinheiro para isso.

    Essa dupla é imbatível porque está com o mesmo espírito do anticristo que habita no Gedelti, em toda a cúpula da ICM-PES e nos pastores cúmplices que obedecem a ele.

    Portanto irmão, é como a Eurípia Inês já disse: Não se iluda com esse negócio de “obra revelada que veio da eternidade”. Essa igreja é uma empresa, ou melhor, uma organização criminosa que o Gedelti inventou pra enriquecer a si, a sua família e seus amigos.

    E te digo uma coisa, se o povo de Brasília começar a falar você vai ver a enxurrada de crimes e desvios que vão aparecer. Ou você pensa que os roubos estão só no Estado do Espírito Santo? Não meu irmão.

    Onde tem maranata tem maracutaia da braba. Só os irmãos mais simples e mais pobres é quem não sabem e nem usufruem de nada.

    A maranata quer os pobres só para trabalhar de graça nas limpezas e nas manutenções dos templos e maanains, mais nada.

    Os da cúpula vivem se banqueteando e fazendo farra com o dinheiro dos dízimos, das inscrições e lucros das lanchonetes dos maanains e isso acontece em Brasília também. Não se iluda.

    Você acha que os pastores de Brasília estão fora desta bandalheira que é a ICM-PES? De jeito nenhum. Pode até não serem todos, acredito, mas que tem muitos deles recebendo, isso tem. É muito dinheiro.

    Saia do meio dessa bandalheira que é a melhor coisa que você faz.

    PAZ

    Hulda.
    .
    .
    Pastores da Igreja Cristã Maranata – entre os quais o fundador da instituição e presidente do seu Conselho Presbiterial, Gedelti Victalino Teixeira Gueiros – estão entre 19 pessoas denunciadas à Justiça pelo Ministério Público Estadual por crimes de estelionato, formação de quadrilha e duplicata simulada. http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2013/05/maranata-19-denunciados-por-estelionato-formacao-de-quadrilha-e-duplicata-simulada/

    Esses indivíduos teriam praticado desvio de dízimo da igreja, envolvendo uma movimentação financeira da ordem de R$ 24,8 milhões, segundo o próprio MP-ES.

    Nove promotores integrantes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) assinam o pedido de abertura de ação penal pública contra os denunciados, que terão dez dias de prazo, a partir da citação judicial, para responder às acusações.

    http://cavaleiradaverdade.wordpress.com/2013/05/26/o-sistema-caminha-para-a-operacao-do-erro-porque-exerce-fe-na-mentira-trazendo-a-lembranca-a-parabola-das-dez-virgens-onde-as-imprudentes-dormem/

    CV.

  8. Eurípia Inês disse:

    Olá amados,

    SIM concordo – é uma rede que a cada dia cresce… google com gmail e google mais, feicibuqui (adoro este forma de escrever na Eurípia Leste rsrs), twitter e outros etc.

    Enfim é pura matemática… nós publicamos, um ou outro compartilha, dos seguidores deles mais um ou outro compartilha e por aí vai… se espalha como um vírus (dos bons rsrs)

    FORÇA temos que compartilhar mais – cada “click” pode trazer mais 10 ou mais 1000 que leiam e compartilham…

    P
    ABRAÇÃO
    Z

  9. estreladalva disse:

    Ola CV boa noite.
    Como fica a situação da CONSTRUTORA CHAMOUN (que e do Eli e filhos) que recebeu do PES R$ 63 milhões para construir apartamentos.
    Por coincidência o Fernando filho do Eli Chamoun é casado com a Mirian que é irma do pastor Anchieta.
    Interessante mais este caso. E muita maracutaia para o meu gosto.
    A paz do Senhor Jesus.
    .
    .
    Estreladalva

    A banda podre chefiada pelo VPC da SOC não perde por esperar…

    Este Anchieta deve informações, não é?

    O importante é isto: a denúncia chega ao Ministério Público e a investigação segue…

    CV.

  10. Ricardo Mafra disse:

    Amados irmãos, desejo contribuir, relatando algumas situações que o povo de Deus não pode mais suportar:

    – Pastores falando “quem sai da obra é caído”, amedrontando o rebanho para que ninguém saia. Será que esses pastores que conhecem tanto a Palavra, não entenderam ainda o que nos ensina o texto em Gl. 5:4 “Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído”. Ora, está claro que o caído é aquele que ainda insiste em viver pela lei e há muitos em nosso meio que adora viver dessa maneira;

    – Pastores falando que quem não dizima os 10% vai ter luta na vida, pois o Senhor não abençoa, amedrontando o rebanho. Eu já deixei de pagar a escola do meu filho alguns meses só para pagar o dízimo. Hoje entendo que servir ao Senhor não é isso!! A Palavra nos ensina em “II Cor 9:7, que devemos contribuir conforme propormos no coração; não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria”; e ainda em II Cor 8:3: Porque, segundo o seu poder (o que eu mesmo testifico) e ainda acima do seu poder, deram voluntariamente.”.

    – Pastores falando que fora da “obra” é mescla, religião e tradição. Será que esses pastores que conhecem tanto a Palavra, não entenderam ainda o que nos ensina o texto em “João 6:29: A obra de Deus é esta: que Creias naquele que Ele enviou”. Portanto, se cremos e vivemos para Cristo, fazemos parte de sua Obra redentora. Portanto, a obra não é a ICM, mas a ICM está inserida na Obra do Senhor. Precisamos ensinar isto para o rebanho do Senhor! Urgente! E reconhecermos que erramos! Isso é humildade, tão necessária para todos nós;

    – Pastores falando que quem saiu da “obra” teve câncer, morreu de acidente de carro, perdeu a esposa ou filho, amedrontando o rebanho para não sair da ICM; Não podemos deixar de meditar no texto em Gl 2:4: E isto por causa dos falsos irmãos que se intrometeram, e secretamente entraram a espiar a nossa liberdade, que temos em Cristo Jesus, para nos porem em servidão.”

    – Pastores falando que quem não quiser ficar na “obra” pode ir embora, por que Deus não precisa de você. Isso é jactância e desrespeito ao rebanho; A Palavra do Senhor nos ensina em OS 6:6: Porque eu quero a misericórdia, e não o sacrifício: e o conhecimento de Deus, mais do que holocaustos.”

    – Pastores falando que quem questiona alguma determinação do pastor ou do Presbitério, está sofrendo da queda espiritual e normalmente a medida para curar o irmão é “BANCO”, pois não tem condição de ser usado; O texto citado acima aplica-se muito bem a essa situação;

    Amados, que a Paz e a Graça do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo sejam multiplicadas em suas vidas.

  11. Espelhos… disse:

    […] Não duvide: o gedeltismo (eclesiasticismo filosófico monárquico, pseudocarismático e quadragenário) mostrou para o que veio: autodefesa, avareza, dissimulação, falta de transparência, instigação do ódio religioso, manipulação, maldições, meias verdades, perseguição aos retirantes, profetadas e revelagens. E deu no que deu: semeou ventos e colheu tempestades. O clamor é público. […]

  12. […] Porém, o que exsurge dos esgotos do palácio da rainha desfigurada? Autodefesa, avareza desmedida, balcões de negócios, caixa dois nos Maanains, contrabando e/ou descaminho, corporativismo, corrupção, conspiração, crimes (em tese), desvios de conduta, desvio de dinheiro, dissimulação, dominação, estelionatos, falsas profecias, falta de transparência, fraudes, furtos, instigação ao ódio religioso, manipulação de relatórios, notas fiscais frias, roubos… o esgoto está sendo aberto, a iniquidade transborda e o fedor chega ao satélite. Esses homens acham que escaparão do Juízo? […]

  13. Ricardo Mafra disse:

    Parabéns a todos pela coragem de se manifestar!! Deus é fiel e nenhum pecado ficará encoberto. Aleluia!
    .
    .
    Olá Ricardo Mafra.

    Lembrando sua postagem

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/03/o-clamor-publico/comment-page-6/#comment-12452

    “O SENHOR é minha justiça.”

    CV.

Deixe o seu comentário

Resolva a seguinte pergunta para envio * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.