Absorver a Obra: eis a questão!

  Caminhos de pastos secos (que tristeza!) e o berrante do construtor de heresias desperta a maranada (escrevi maranada) para mais um dia de servidão:

Todos os que absorvem a OBRA são aqueles que serão usados!

Caso algum beato icemista [ic(e)m+ista – adepto da ICM] que sonha ser dono de rebanho não absorva o ensino introjetado nas unidades locais, nos cultos proféticos e nos seminários da Obra, o mandante do rebanho rugirá: Toma o que é teu e retira-te. Leva contigo: críticas, argumentos, teologias, cultura, prepotência, acusações e etc. (Cf. MENSAGEM DO SÉTIMO PERÍODO, 2007, p. 10-11)

Como droga estupefaciente, a formatação faz parte do projeto de salvação dos que serão usados como servos da Obra… e dura muitos anos. Demais, a absorção de Obra (algo que faz segredos de coisas insignificantes) é exigida como condição de formatação inconsciente do eu-icemítico facilmente manipulável e obediente ao sistema (espero que V. tenha entendi esta frase). Impaciente como sempre, o mestre dos mestres não permite perguntas e questionamentos; mas não percebe que  ele implodiu a ICM-PES e de nada vale esconder insignificâncias, intitulando-as de mistérios da Obra Revelada.

Desde que as cercas foram rompidas, as estradas estão cheias de centenas de retirantes: doentes de mantras maranáticos, doentes de meias verdades, doentes de mentiras, doentes de profetadas, revelagens e sonhos vãos…

Devemos compreender o emprego da expressão absorvem a OBRA, o desnudar da erronia generalizada  e as consequências das feridas e mazelas provenientes do sistema, devido ao fato incontestável de que em nenhuma hipótese será admitida a não-absorção da doutrina revelada (1); caso contrário, não se forma a mentalidade (conduta) de Obra na mente de cada servo da Obra. Faça um favor a sua alma e entenda isto, porquanto é longo o processo de retirada da servidão.

Então, a descoberta do escondido além das cortinas escuras exige que honestamente perguntemos: o que estava na mente do mestre-primaz ao escrever essa apostila e empregar a expressão absorvem a OBRA? Logo descobriremos que esta introjeção é mandamental, mesmo porque continua inquestionável o mistério da Obra conduzindo a outro mistério da Obra: o poder do chefe eclesiástico nunca deve ser subestimado… e mais: o tempo corre contra os retirantes…

Evidentemente, a expressão absorvem a OBRA merece a devida atenção no enfoque da compulsão à repetição, porquanto o mestre-mor recorda e repete a doutrina revelada e a cada dia o mistério da Obra fica mais sofisticado. Motu perpetuo. Nunca se esqueça destas expressões no processo de formação de cada capítulo da doutrina revelada: compulsão à recordação, repetição e sofisticação no encadeamento das alegorias, espiritualizações de frases isoladas do conteúdo e do contexto do Bendito Livro Sagrado. Porquanto é deste modo  que as  ideias humanas incorporam o chamado  projeto de salvação. Por conseguinte, entenda as dificuldades enfrentadas pelos retirantes, a fim de finalmente, serem salvos da servidão.

Felizmente, até a intuição nos credencia a dizer, que a expressão absorvem a OBRA começa no contexto da dissimulada linguagem do não-pensamento com que os crédulos engolem a doutrina revelada… e ficam felizes; mas nunca pensam. Leia o artigo indicado. Pense nisto.

Infelizmente, este ardiloso não-pensar IMPEDE a compreensão de  aspectos básicos da doutrina revelada confrontados com criterioso exame do Livro Santo no contexto da Nova Aliança. Este impedimento é grave, irmãos. No entanto, é assim que a monarquia movimenta os negócios, os seminários da Obra e trabalha, sem que a membresia desconfie que o jargão mistérios da Obra inclui princípios da psicologia de recordação, repetição, sofisticação e treinamento.

Neste enquadre, caso o chefe icemista muito religioso invente mais um capítulo de doutrina revelada, o faz com a astúcia da linguagem do não-pensamento, ciente de que imediatamente algum membro da elite apresente profetada ou revelagem confirmando o que ele disse. O encadeamento da hierarquia monárquica obriga a obediente prontidão dos servos da Obra nessa pronta-resposta, pois foram formatados para fechar cerco em proteção à doutrina revelada. Ora, entre eles está em vigor o implacável mandamento: “Não toqueis nos meus ungidos.” Portanto, o formatado icemista está ciente de que, dentro das cercas de arames farpados nada de perguntas e muito menos de questionamentos. Regimento interno? Pra quê?!!

No entanto, a doutrina revelada estabelece o conceito de que o DON (Doutrinas, Orientações e Normas do Presbitério cf. arts. 5º e 25 do Estatuto da ICM-PES é inquestionável mistério da Obra que veio da eternidade, onde os meios de graça resultam de revelação. Isto não faz sentido, alguém dirá e concordamos; pois, quando o Novo Testamento menciona a “doutrina dos apóstolos” (gr. διδαχη των αποστολων – At. 2.42 – TR), fala do que é fidedigno e fundamental para a “igreja de Deus… corpo de Cristo” (1 Co. 1.2; 12.27), esta sim! mistério de Deus, poder de Deus e sabedoria de Deus. Portanto, nenhuma relação existe entre a “doutrina dos apóstolos” e a doutrina revelada do eclesiasticismo filosófico institucionalizado na ICM-OBRA na base de empulhação.

Neste contexto, quando o mestre-primaz escreve e reescreve as lições para os discípulos, ele demora em cada espiritualização de frases das Escrituras Sagradas. Cada assunto apresentado, recordado, repetido e sofisticado objetiva a obediência dos servos da Obra. Definitivamente! Nada foge destas paredes de pedras  e do contexto da doutrina revelada formatadora dos obedientes servos da Obra. O esforço é para o erro.

Nunca duvide da habilidade e inteligência do mestre-mor neste propósito, sem o que a expressão absorvem a OBRA perde o seu sentido. Os formatados icemistas não mais pensam e apenas louvam a Obra Maravilhosa; porque o entretenimento deles é mantido com a linguagem do não-pensamento que dá asas ao falso profetismo. Pensem: enquanto o mágico-mor joga os malabares, os boquiabertos icemistas exclamam: OBRA MARAVILHOSA!

O gedeltismo implodiu a denominação eclesiástica ardilosamente disfarçada em monarquia pseudocarismática e quadragenária: a igreja-do-jeito-que-o-chefe-quer. O que se deseja com a ardilosa doutrina revelada além da letra, é que os crentes icemistas estejam livres de pensamentos próprios.

Preste atenção ao emprego do verbo absorver na expressão absorvem a OBRA. Os dicionários nos dão o significado de absorver (lat. absorbere): embeber em si; recolher em si; sorver. Enquanto escrevia a apostila, o mestre dos mestres imaginava a doutrina revelada como:

  • 1) água celestial que veio da eternidade aos carentes, miseráveis e sedentos dos mistérios da Obra além da letra;
  • 2) a derradeira fronteira da espiritualidade gloriosa e imutável pensamento que doa a doutrina revelada aos servos da Obra;
  • 3) algo que somente o bispo-monarca pode ministrar;
  • 4) o destilar dos favos de mel mais desejáveis que o ouro puro e refinado;
  • 5) o desvendar da Bíblia além da letra (algo dissimulador, heterodoxo, próprios dos mandraques religiosos).

O insinuante poder da linguagem do não-pensamento, diante das convicções do formatado como servo da Obra, escancara aberturas de alucinações em direção ao falso profetismo. Nada obstante, este não-pensar introjeta na mente dos beatos e dos bobos da corte palaciana o que está além da letra, claramente e definitivamente distorcido da linguagem das Escrituras Sagradas. Entenda o ardil, o engodo instalado na mente daquele que não-pensa: o costumeiramente distorcido e imaginável além da letra foge ao controle do mestre-mor, que nunca obedece às regras de Hermenêutica enquanto estimula a imitação; porquanto isto que ele faz torna-se o modelo, o paradigma dos valetes (escrevi valetes) que o imitam. Então, com augusta autoridade eclesiástica de formador de opinião religiosa ele ordena:

  • Cada servo da Obra deve EMBEBER EM SI a doutrina revelada (formada na base de alegorias, espiritualizações de frases das Escrituras e ideias que sempre guiaram o monarca quadragenário), assim como o soldado embebeu a esponja de vinagre e estendeu o caniço ao crucificado.
  • Cada servo da Obra deve RECOLHER EM SI o DON (emanado do mais alto da corte maranática), guardando-o no mais íntimo do coração e mente, preservando-o como um grande e precioso tesouro – uma pérola de grande valor.
  • Cada servo da Obra deve SER DESPOJADO DE PENSAR POR SI MESMO, despojado de questionamento, esvaziado do intelecto, da razão e da vontade; para SORVER tudo o que é ensinado nos seminários da Obra assim como alguém bebe aos sorvos (goles) algo que o embriagará com esperanças no porvir.

No contexto de esquizofrenia religiosa não se formatam icemistas e obreiros sem compulsão à repetição. Ou melhor: o chefe religioso quer evitar o desprazer de não conseguir grande multidão de servos da Obra. No final da vida acaba em frustração o que deveria ser prazer. Tédio!

O alvo é facilitar a introjeção (2) da mentalidade (conduta individual) de Obra em cada um dos servos da Obra como poder de submissão; mas atenção! este não é o poder de Deus. Ora, o icemista está formatado no poder persuasivo de religiosidade sutil que dispensa a ardente e bíblica “fé em Jesus”. Portanto, diante do fato de que na frase absorvem a OBRA a ação verbal está no presente do indicativo, o desígnio inconsciente na construção da doutrina revelada é embebedar os beatos com alegorias, ambigüidades, e espiritualização de frases das Escrituras (base das heresias que escoam do palácio da rainha desfigurada).

Porém, a introjeção é investida contra liberdade de crer (exercer fé) em Jesus e de pensar os pensamentos de Deus, conforme expostos no Livro Santo. E daí? Não é o que se pretende com a linguagem do não-pensamento? Não é o que se pretende com o pior dos capítulos da HERESIA ICEMITA?  Não é o que se pretende com a Mensagem para Pastores disposta a fechar as bocas e mentes dos que fazem perguntas sinceras e dos questionadores?

Pois estejam certos de que, dominadores dos rebanhos de Deus agem assim mesmo. O gedeltismo impôs o medo na mente dos obedientes servos da Obra como padrão de espiritualidade religiosa e sectarista; e depois de incutir o medo, o monarca proclama: estes serão usados. Portanto, a Obra é exaltada como a Igreja Fiel em detrimento do que o mestre-primaz denomina de Mescla, ou seja: as demais denominações evangélicas que ele considera mistura com profanas religiões.

Por conseguinte, a doutrina revelada introjetada na mente do servo da Obra age inconscientemente nas vinte e quatro horas de cada dia; e faz o formatado expressar a espiritualidade com o costumeiro maranatês. Loucura! Não é de admirar que, as frases introjetadas na mente dos crentes icemistas impedem o ato de agir biblicamente com liberdade. Os maranáticos estão impedidos de pensar os pensamentos de Deus… e acham que pensam.

Por oportuno, de diversas apostilas e matérias difundidas nos Maanain’s, como parte do Corpo da Obra e do aperfeiçoamento dos dons (absurdo inexplicável), citaremos alguns jargões que descem das escadarias do palácio da rainha desfigurada:

  • A diferença desta Obra é que o Senhor fala aqui, não é como a Mescla.
  • A ICM é a Obra o resto é manobra e sobra.
  • A Obra é filho único.
  • A Obra é minha vida, a minha vida é a Obra.
  • A Obra não pode ser exposta.
  • A religião vive a letra, esta Obra vive além da letra.
  • Esta Obra conhece a revelação, tem culto profético, madrugada etc.
  • Esta Obra é completa, perfeita e revelada: não tem dedo do homem.
  • Esta Obra é dinâmica, caminha na velocidade da luz, vive o projeto de salvação.
  • Esta Obra é do Espírito, não é obra de homens como na religião.
  • Esta Obra é nossa locomotiva para a eternidade.
  • Esta Obra é para valentes, não queremos covardes. Pode sair.
  • Esta Obra é profética, o Senhor fala só aqui.
  • Esta Obra é tudo para nós, devemos dar a vida por ela.
  • Esta Obra Preciosa é a menina dos olhos de Deus.
  • Esta Obra Preciosa é filha única.
  • Esta Obra vive o projeto de Deus, não vive a religião.
  • Na Obra a Doutrina é vivida no Corpo.
  • Na Obra a Palavra é Revelada.
  • Na Obra não damos lugar para o destaque do homem.
  • Na Obra não damos valor à aparência.
  • Na Obra não temos pastor famoso como nos movimentos.
  • Na Obra os pastores não recebem salário, isso é coisa da Mescla.
  • Não troco essa Obra nem pela minha família.
  • Nessa Obra Preciosa não temos teologia, temos a Palavra Revelada.
  • O que seria de nós, se não fosse essa Obra Preciosa?
  • O servo dessa Obra é nobre, são varões valentes, servas valorosas.
  • Para onde iremos nós, se sairmos dessa Obra Maravilhosa?
  • Só a Obra tem o dom da sabedoria que os movimentos carecem.
  • Só na Obra temos a revelação de Cantares de Salomão.
  • Só nessa Obra encontramos a revelação.
  • Só nessa Obra temos louvores revelados.
  • Temos a consulta à palavra, só a Obra conhece este segredo.
  • Temos os meios de graça que são segredos dessa Obra.
  • Todos os que absorvem a Obra são aqueles que serão usados.

Por oportuno, como fruto da doutrina revelada espalhando o “fogo estranho”  nas unidades locais da ICM-PES, o emprego desses jargões é manipulador e opressor. Pelo oposto, o propósito do “evangelho da graça de Deus” é absolutamente diferente, oportunizando a nossa liberdade de expressão.

Portanto, absorver a Obra é coisa de dominadores do rebanho. Iludidos com a linguagem do não-pensamento que fundamenta mais heresias confirmadas com o falso profetismo, o erro cresce como fogo em palha seca e destrói pessoas. Observe e pense. Os erros se amontoam… e os retirantes enchem as estradas…

 Pressentimentos não devem ser ignorados.

Conclusão

Escribas, fariseus e saduceus ensinavam ao povo doutrinas erradas aprendidas com ocultistas e o afastavam da adoração sincera e verdadeira. Isto foi alvo da preocupação do Mestre. Jesus acusou os religiosos da Sua época de ensinar “doutrinas que são preceitos de homens” ao invés de aclarar as Escrituras de Moisés e os Profetas. Leia (Mc. 7. 6-7):

“Respondeu-lhe: Bem profetizou Isaías a respeito de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. Em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens”.

Observem a frase:

“Então, entenderam que não lhes dissera que se acautelassem do fermento de pães, mas da doutrina dos fariseus e dos saduceus”.

O que isso quer dizer?

Eram doutrinas fora do que o Eterno havia dito e reiterado; mas os chefes religiosos, muitos deles ocultistas e presos à Cabala aprendida dos magos babilônios ao tempo no cativeiro, eram os mais interessados em que não houvesse mudança na mente dos escravos do Judaísmo mantido pelo Sinédrio de Jerusalém. Por conseguinte, astutamente planejavam a morte de Jesus (Jo. 5.18; 7.1; 11.53) e conseguiram matá-Lo. Com o apóstolo Paulo aconteceu o mesmo. Falsas doutrinas apareciam contaminando os crentes, levando muitos a se desviarem do verdadeiro conhecimento de Deus. Insistentemente Paulo os advertia (Ef. 4.14 – ênfase nossa):

“…para que não mais sejamos como meninos, agitado de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro.”

Fisicamente formosa e muito organizada os olhos dos convidados, a artimanha doutrinária instituída pelo gedeltismo na ICM-PES deixou-a desfigurada – entendam – como quem joga ácido sulfúrico na face da amante. Mas o chefe muito religioso e mestre-profeta dissimula, inventa novidades, não se dá contas dos erros e reitera: A Igreja Primitiva, a experiência dela, está viva no nosso meio hoje. Há alguns pequenos pontos que estão sendo acrescentados e a cada dia que passa, nós ficamos mais iguais com a Igreja Primitiva. E quer que acreditemos que ele nos ama. E se enfurece na solidão do palácio da rainha desfigurada…

O recurso do enforcado é espernear.

O projeto de salvação proclama: absorvam a OBRA! O que significa: encham a mente do que o gedeltismo manda, do jeito que ele manda e não pensem; ou escutarão os exigentes gritos palacianos: a Obra não precisa de você!… pra fora!… VÁ EMBORA!

Os anátemas entram na mente e no coração dos desesperados e dos neófitos, quais ferretes incandescentes, culpando-os de blasfêmia contra o Espírito Santo se não obedecerem.

Os retirantes se entregam a esses desesperos inconscientemente reprimidos: na memória a pecha de caído da Obra e o diploma de servo inútil pendurado no pescoço! Só Deus sabe quando ficarão libertos das feridas recebidas nesse lugar que deveria ser de exercício da “fé em Jesus”.

Reitero a declaração da Escritura Sagrada (Tg. 4.16): “Toda jactância semelhante a essa é maligna.” Certamente, a doutrina revelada além da letra cimenta a esquizofrenia religiosa que entorpece a mente dos icemistas. Diáconos, obreiros, pastores e professores de seminários que não examinam as Escrituras, nem exercem fé no poder de Deus, nem obedecem ao que Deus disse, do jeito que Ele disse, ofendem o mandamento de Cristo Jesus (Mt. 22.29; 2 Pe. 2.1-3 – RA-SBB):

“Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus.”

“Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade; também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme.”

Se andar na “constância de Cristo” (2 Ts. 3.5), depende de abandonar o erro e exercer a “fé em Jesus Cristo” (cf. Rm. 3.21-26), estaremos na mesma condição de despertamento dos antigos crentes judeus; porquanto, considerando esta condição de despertamento, Jesus lhes disse (Jo. 8.31-32,36):

“Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos; e conhecereis a verdade e a verdade vos libertará… Se, pois, o Filho vos libertar, sereis livres.”

Seja honesto consigo mesmo e entenda a enganação lançada no rosto: durante os anos de frequência a cultos proféticos e a Seminários da Obra a mente fica invadida com as marcas da obstinação e persistente resistência ao Espírito Santo (apesar de achar que isto é culto devido ao Senhor). Ora, considerando que o instinto é um impulso à condição de retorno à liberdade, o melhor caminho é escolher a VERDADE DE DEUS; mesmo porque, a enganação age como escuridão, onde espíritos de engano se escondem, saem e voltam. Por oportuno, entenda a revelação que Jesus disse, do jeito que Ele disse (Mt. 12.43-45):

“Quando o espírito imundo sai do homem, anda por lugares áridos procurando repouso, porém não encontra.

Por isso, diz: Voltarei para minha casa donde saí. E, tendo voltado, a encontra vazia, varrida e ornamentada.

Então, vai e leva consigo outros sete espíritos, piores do que ele, e, entrando, habitam ali; e o último estado daquele homem torna-se pior do que o primeiro. Assim também acontecerá a esta geração perversa.”

Sim! Infelizmente, o icemista imagina que a condição de servo da Obra, ou estar na Obra, ou ser da Obra, ou sou da Obra, constitui-se a exclusiva, maravilhosa e misteriosa proteção do eu-icemítico. Ora, isto é apostasia, cujo contexto é de esquizofrenia religiosa; e ninguém precisa “consultar” para correr dos enganos dos mestres e dos pastores pseudocarismáticos.

Sim! Falando honestamente, até a intuição expõe aos olhos o certo e o errado. Para que os fariseus icemistas comecem a  pensar os pensamentos de Deus é necessário que as escamas caiam dos olhos. Portanto, está faltando ATITUDE.

Tenho por firme, que a porção das Escrituras que RECUSAMOS, é sempre aquela que nos torna INÚTEIS PARA O REINO DE DEUS. Cristão, escreva isto em seu espírito e esteja certo desta máxima. Dispensa demonstração por ser escrituristicamente verdadeira. Sua consciência já falou ai dentro do coração.

Você não precisa concordar comigo. Porém, NUNCA poderá dizer: ninguém me avisou.

NOTAS

Acompanhe em https://www.facebook.com/CavaleiroVeloz

Aqui não é lugar para calúnias e difamações. Discutimos doutrinas e ideias.

Cite a fonte caso faça cópia ou transcrição dos textos publicados neste Blog. Este artigo http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2011/06/absorver-a-obra-eis-a-questao/

Em nome da ética democrática, que a data original e origem da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

Escrever em CAIXA ALTA (letras maiúsculas) é deselegante. Evitem.

Evitem postagens fora do FOCO do artigo.

Frases em itálico aparecem em apostilas e aulas nos seminários da ICM-PES. Frases em itálico entre aspas pertencem à Versão Almeida, SBB ou outra indicada.

Imagens colocadas no artigo como ilustração fora retiradas da Internet (Google) e também dos textos aqui postados, presumindo serem de domínio público. No caso que haja alguma imagem sem os créditos devidos não foi intencional; e, deste modo agradeceria em nos avisar que colocaremos os créditos.

(1) – A expressão doutrina revelada (e equivalentes) é bastante comum nas seitas: adventistas, cristadelfianos, mórmons, russelitas (testemunhas-de-jeová) e outras. Na ICM-PES é empregada no contexto enigmático de mistérios da Obra Revelada.

(2) – Aurélio: Introjeção [Do ingl. Introjection.] Substantivo feminino. Psican. Mecanismo psicológico pelo qual um indivíduo, inconscientemente, se apossa de um fato, ou de uma característica alheia, tornando-o(s) parte de si mesmo, ou volta contra si mesmo a hostilidade sentida por outrem.

“E o Deus da esperança vos encha de todo o gozo e paz no vosso crer, para que sejais ricos de esperança no poder do Espírito Santo.”

(Rm. 15.13)

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

71 Respostas para “Absorver a Obra: eis a questão!”

  1. […] Como explicar a flagrante irresponsabilidade do mandatário que “nada sabia porque entregava-se aos assuntos espirituais”? E se o dominador do rebanho se esconde nessa desculpa inescrupulosa, como explicar a agressão constante com ardis da linguagem do não-pensamento, maldições, meias verdades, profetadas e revelagens em perseguição aos retirantes? […]

  2. maranata disse:

    .
    maranata – a grande pergunta – como eu farei para sair?
    http://obramaranatarevelada.wordpress.com/2012/05/30/maranata-a-grande-pergunta-como-eu-farei-para-sair/
    .
    maranata – Desde o primeiro seminario chamado de principiantes, a seita ja prepara a mente dos icemitas para nelas introduzir suas heresias da seita
    http://obramaranatarevelada.wordpress.com/2012/06/05/maranata-desde-o-primeiro-seminario-chamado-de-principiantes-a-seita-ja-prepara-a-mente-dos-icemitas-para-nelas-introduzir-suas-heresias-da-seita/
    .
    maranata – a lavagem cerebral provocada por esta seita ICM é fortíssima mesmo, pois as pessoas nesta “igreja” só tem a perder. Perdem dinheiro, o tempo precioso, perdem a saúde,perdem os familiares e acredito que podem até mesmo perder a salvação
    http://obramaranatarevelada.wordpress.com/2012/06/05/maranata-a-lavagem-cerebral-provocada-por-esta-seita-icm-e-fortissima-mesmo-pois-as-pessoas-nesta-igreja-so-tem-a-perder-perdem-dinheiro-o-tempo-precioso-perdem-a-saude/
    .
    maranata BH – O culto (culto?! será???) foi transmitido para todas as igrejas da região, mostrando um homem raivoso (espumando até), sem amor, mas com muito ódio em seu coração obrático. E os coitados lá recebendo todo o veneno destilado direto do inferno
    http://obramaranatarevelada.wordpress.com/2012/06/05/maranata-bh-o-culto-culto-sera-foi-transmitido-para-todas-as-igrejas-da-regiao-mostrando-um-homem-raivoso-espumando-ate-sem-amor-mas-com-muito-odio-em-seu-coracao-obratico-e-os-coitados/
    .

  3. […] O gedeltismo implodiu a denominação eclesiástica que ele criou para se auto-afirmar. Essa coisa louca não mais se sustenta. O olhar caolho do construtor de heresias exige que os icemitas absorvam a Obra (o que significa: façam o que mando e não façam o que eu faço), pois esta Obra é exclusivo projeto de Deus que veio da eternidade (…) quem sair desta Obra não leva o Espírito Santo, nem leva Jesus (…) não se ergue. […]

  4. […] Alguém consegue explicar a atual e intensa motivação do maranatês nos púlpitos das unidades locais da ICM-PES em perseguição aos retirantes? […]

  5. Daniel disse:

    Salmos

    32.8 Instruir-te-ei e te ensinarei o caminho que deves seguir; e, sob as minhas vistas, te darei conselho.
    32.9 Não sejais como o cavalo ou a mula, sem entendimento, os quais com freios e cabrestos são dominados; de outra sorte não te obedecem.

    GLORIA A DEUS pois o Nosso Senhor tem nos abertos os olhos para a verdadeira LUZ!!!!

    Obrigado CV por todo esse empelho de nos esclarecer, que o Senhor retribua a vc e sua casa com muitas bençãos

  6. […] Os algozes não acenderam fogueiras para queimar hereges em praça pública: calúnias, difamações, injúrias e maldições que escorrem pelas escadarias do palácio da rainha desfigurada, fazem algo pior que betume nos corpos ardendo em chamas debaixo da crueldade daquela Inquisição Satânica orquestrada pelo papismo. Que o digam os icemitas retirantes… […]

  7. Antonio disse:

    Esse novo vídeo do primaz coroa de vez todo sentimento faccioso do dono do rebanho.

    Lembrando: ICM é o copo, recipiente e a Obra é o liquido, conteúdo. Por isso que o mestre fala: Beba, respire, coma, durma, absorva a “Obra”.

    A Obra está contida na ICM; mas não é a obra redentora é a Obra do gedeuti e cia de manipuladores

    Uma Obra que se alguém falar das profundezas ninguém acredita. A profecia de Joel, a qual isolada do contexto fundamentou o surgimento da Obra do GG, fala de fato de algo horrível, um ataque do inimigo contra o povo de Israel.
    .
    .
    Ao escrever o artigo Absorver a OBRA: eis a questão!, dediquei-me na observação do impressionante “RETIRANTES” de Cândido Portinari, representando o povo nordestino em meio aos seus sofrimentos.

    Necessidade de abandonar a casa de nascimento, o campo onde plantavam, olhos secos de rezas por chuvas e o pasto seco.

    Cores de dores, amarelo, cinza e vermelho; cores de areia, ocre, preto, terra e verde; e cargas pequenas do branco… amenizando a miséria, como a lágrima por descanso da dor e suspiro por vida.

    Das cinco crianças esqueléticas aparece uma com o corpo deformado e outra com barriga-d’água. Doenças intestinais que se fartam da desnutrição e fome e miséria e morte.

    Família de nove pessoas, famílias das dores, milhares em retiradas…

    No alto os urubus esperando a vez. No centro a mulher nordestina: na alma o sofrimento, na sacola a esperança fugidia a passo e passo, no colo a criança deformada e magrela, por cima o peso da trouxa. Os corpos como de impressionantes moribundos…

    Os dois homens carregam a dureza e marcas de ossos como que sem pele…

    Retirantes fugindo da morte que os persegue nas andanças, nas fomes, nas sedes, nos sonos e nos temores e tormentos. Tudo é desgraça, dor e tragédia em vida.

    Servidão ao sofrimento (quem lê entenda).

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2011/06/absorver-a-obra-eis-a-questao/
    .
    CV

  8. Olinda Menezes disse:

    Edição especial do programa É FORMATÁSTICO da TV-RETIRANTES

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/03/fabrica-de-meia-solas/comment-page-4/#comment-21025

    MUITO BOM!!!

    PARABENS!!!

  9. […] Observem os Judas beijando Judas, construindo patrimônio com fruto de roubo, destruindo provas, formando quadrilhas, formatando computadores eclesiásticos, inventando profetadas e revelagens, organizando-se em misteriosas sociedades, perseguindo os questionadores, queimando documentos, rasgando notas fiscais frias, saqueando os tesouros… Milhões de dólares, passando de conta em conta (e até de mala em mala) em bancos estrangeiros ao sabor das ordens dos grandes ladrões do templo; enquanto milhares de icemitas aqui no Brasil padecem necessidades primárias. Os indignados retirantes enchem as estradas… […]

  10. […] Essa coisa louca não mais se sustenta.
    O encantador de formatados conduziu a membresia para o beco sem saída e no rumo da escatológica “operação do erro” (2 Ts. 2.11).
    O gedeltismo implodiu a denominação eclesiástica entremeada como monarquia pseudocarismática e quadragenária.
    O olhar caolho do construtor de heresias exige que os icemitas absorvam a Obra; o que significa: façam o que mando e não façam o que eu faço nas cortinas de fumaça, nos negócios nebulosos. […]

  11. A Implosão disse:

    […] Pense mais um pouquinho: a doceira, a dona de casa ou o padeiro pega farinha, fermento e demais ingredientes na medica correta para o preparo do bolo, do pão etc. Enquanto manipulam a massa, nem precisam pensar… Ato mecânico!

    Então, entenda: a LNP formata a massa de maranadas (escrevi maranadas) de onde nascem diáconos, obreiros e meias-solas considerados servos da Obra. Por que são erguidos à condição de servos da Obra? Porque o fator obedecer é essencial na formatação para não-pensar. […]

  12. Firme nas promessas disse:

    “Nada obstante, é fácil conhecer a mente dos formatados pelo sistema: cheios de jargões; confiam em experiências; demonstram ignorância das Escrituras; empregam expressões bíblicas totalmente fora do contexto imediato das Escrituras; falam de eternidade e nada entendem sobre; não conseguem coordenar ideias e pensamentos bíblicos em defesa da ideologia Obra como forma de vida. E o pior: NÃO SUPORTAM A VERDADE SOBRE A SEITA”.
    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/acreditei-nessa-doutrina-mas-nao-ta-funcionando/

    Esta maranata colocou os membros totalmente dependentes de revelagens para caminhar. Nada sabem fazer (ou não podem) sem ter o aval do ungido do sinhô, pois pregam que, no sentido literal, a ovelha vê apenas 8 metros e o pastor vê ao longe e assim passam a dominar as ovelhas em todo âmbito de sua vida emocional, espiritual, familiar e secular.
    Verdadeiros soldados robôs programados para fazer a defesa da Obra.

    .
    .
    Amados,

    Ao rigor, a questão levantada por Enilda Santiago foi prontamente respondida. De notar que ao ler (ou reler) o artigo, Firme nas promessas selecionou o que entendeu oportuno para o momento, comentou reforçando o entendimento e nós publicamos.

    E aqui algo a considerar: podemos fazer mais, muito mais nas páginas e sites de relacionamento. Fica o exemplo, pois a cada um de nós cabe aproveitar melhor o tempo.

    https://www.facebook.com/CavaleiroVeloz

    Pensem!

    Sigam conosco em https://www.facebook.com/CavaleiroVeloz

    CV.

  13. Alandati disse:

    PARTICIPAR DE GRUPO QUE HAJA HERESIAS E CRIMES (EM TESE) NÃO FARIA MAL PARA O TEU FILHO?

    Artigo criado para fazer meditar em algo bem simples e direto: eu sou cascudo e me viro, mas o meu filho e o filho do vizinho, como ficam?

    Leia o artigo e participem da enquete em http://diganaoaseita.wordpress.com/2013/09/11/enquete-no-12-participar-de-grupo-que-haja-heresias-e-crimes-em-tese-nao-faria-mal-para-o-teu-filho/

    Graça e Paz,

    Alandati.

  14. Mariana Pereira disse:

    CV e irmãos APDSJ!
    Tempo sem postar CV. mas venho compartilhar nesta noite bênçãos com a igreja.

    Da boca dos pastores e da liderança da ICM ouvíamos:
    – Quem saía da obra não levava o Jesus nem o Espírito Santo.
    Durante anos seguidos ouvíamos de púlpito… Quantas vezes!
    MENTIRA!!!! Mil vezes mentira!!!

    Saímos e somos testemunhas vivas que o Espírito Santo está em nossos corações, está presente na nossa vida, na nossa família, nesta jornada pós maranata.

    E que jornada CV! Desligamento, desintoxicar, aprender a orar, aprender a ler e a estudar a Palavra. Examinar a Palavra todos os dias!!!

    CV, estamos igual a crianças novamente, mesmo com 20 anos dentro de uma igreja e você olha pra vc mesmo e não sabemos nada de Bíblia.

    Pra ter uma ideia um adolescente Batista sabe debater mais um Bíblia do que um “pastor” da ICM. CV, com meus próprios olhos vi isso.

    CV, com meu esposo e minha filha temos desfrutado de momentos maravilhosos com o Senhor e na igreja a qual escolhemos após meses sair da ICM, optamos por servir ao Senhor em outra denominação que estamos aprendendo muito, uma igreja tradicional (que segue a linha do Calvinismo), nos identificamos e lá vamos servir ao Senhor…

    Com um detalhe importante CV e irmãos: sem o peso de sermos cobrados, sem o medo de não poder estar no culto e ser cobrado ou achar que está desagradando o Espírito Santo.
    Nos libertamos CV de uma forma maravilhosa e extraordinária.
    Depois de anos e anos espiritualizando tudo, estamos aprendendo a usar a razão.

    Durante muitos anos de nossas vidas fomos aconselhados e intimados a viver sem uso da razão, mas, a estrutura de um ser, que é a imagem e semelhança de Deus, não subsistiria em um mundo material o qual é indispensável o uso da razão, pois o próprio Senhor Jesus deu vários conselhos usando a razão (construir uma casa com condições de termina-la, lutar com outro exército tendo observado primeiro a quantidade de seus soldados, etc.)

    CV é isso… vida pós Maranata. O período de desintoxicação não foi fácil, mas depois desses longos meses damos Glórias a Deus pela fase gloriosa que é descobrir viver um evangelho pleno e verdadeiro.

    Deus em tudo tem nos abençoado, para sermos bênção. A bênção de Abraão permanece sobre nós que cremos em Deus (Gn. 12:2):

    “De ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção.”

  15. Talmidim disse:

    Que a Graça e Paz estejam com vocês,

    Todos nós, de certa forma, nos identificamos com os testemunhos aqui reportados.

    Sabemos que o processo de absorção é muito mais profundo do que uma simples digestão, embora do ponto de vista biológico, um depende do outro, mas notem que até à absorção é necessário um processo complexo: visão (há quem diga que comemos com os olhos, rs) tato (contato), paladar (quando se toma o gosto), processamento pelo sistema digestivo e, de forma resumida, a completa absorção pelo organismo. Neste ponto, o que digerimos já está circulando nele, nutrindo ou desnutrindo nosso corpo.

    Esse é apenas um aspecto do conceito de absorção. Poderíamos falar do ponto de vista neurolinguístico. Do ponto de vista cultural, ou educacional etc.

    O fato é que muitos levam tempo para se “desintoxicarem”.

    O processo é diário. O mais interessante é que, em alguns momentos, se sente um vazio. Não é a falta do Espírito Santo, não é ausência do Pai ou de Cristo, mas custei a entender que o “vazio” nada mais era que o lugar deixado pelos fardos que meus ombros já não carregam mais.

    Os milhares e milhares de compromissos que deixei para trás. Este vazio precisa ser discernido e preenchido com dedicação à Cristo, e prol do Reino dEle.

    Há muitas maneiras de aproveitarmos o nosso tempo, uma vez que só na “obra” existem cultos quase que diários – nada contra buscar à Deus. Enfim, que possamos deixar a Graça e o Renovo de Deus fluírem em nossos corações.

    “E ele morreu por todos para que aqueles que vivem já não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.
    De modo que, de agora em diante, a ninguém mais consideramos do ponto de vista humano. Ainda que antes tenhamos considerado a Cristo dessa forma, agora já não o consideramos assim.”
    2 Coríntios 5:15-16

  16. David disse:

    Perfeito o comentário da irmã Mariana Pereira, pois é exatamente o que está acontecendo comigo e com minha família, eis que estamos vivendo debaixo da maravilhosa graça do Senhor Jesus, buscando conhecer e entender mais a Palavra de Deus e congregando em outra igreja, onde o verdadeiro evangelho é pregado.

    Realmente esses líderes (obreiros, diáconos e pastores) da ICM não conhecem nada da Bíblia e desse forma só pregam aquilo que lhes interessa.

    Posso afirmar, a vida do crente pós ICM é maravilhosa. Que Deus dê coragem aos que ainda estão presos ao sistema de escravidão e frieza espiritual imposto pela ICM.
    Graça e paz a todos!!!

  17. Zoelia Ferraz disse:

    Tenho que tirar o chapéu pra você, até a nomenclatura dada para as pessoas que iriam encher as estradas partiu do seu ministério.

    Retirante: nome de pessoas fortes, vencedoras, que passam por crises, mas quem não passou depois de tanta formatação??? Os grandes profetas também passaram.

    Observar uma doutrina reveladae depois destituir gera crise que somente com Senhor e a ajuda dos irmãos é que conseguimos suportar.

    Falar da doutrina revelada há mais de 20 anos atrás era pura insanidade, mas as coisas de Deus estão reservadas para os loucos.

    Sua luta incessante está colhendo seus frutos. Frutos de sanidade, lucidez, frutos da Palavra Viva e eficaz. É, você foi forte, incansável e coberto pela misericórdia do Senhor que o sustentou ao longo de mais de 20 anos.

    Ninguém acreditava, mas como acreditar ??? Se ali estava tudo certo??? Mas os anos passaram e as pessoas foram alertadas e as estradas estão cheias de retirantes; e Deus escolheu você para destituir aquele sistema opressor que falava em nome de Deus.

    Hoje o que restou do sofisticado mistério da Obra foi uma Sofisticada Organização Criminosa, promovida por mentes não pensantes, cauterizadas pela psicologia da repetição.

    O mestre-mor foi esperto, inteligente, mas esqueceu que Aquele que tem a chave do céu é quem governa e opera contra aqueles que tentam desvirtuar Sua Palavra. Ai daquele que acrescenta ou diminui algo das Santas Escrituras.

    O império desabou (desfile final/Praça do Papa), o Cavaleiro Veloz se manteve firme, lutando pela verdade, e o que assistimos hoje é fruto de uma luta travada por quem esperou o tempo de Deus.

    Esse é o seu tempo meu querido amigo !

    Graça e Paz !
    .
    .
    Irmã Zoelia Ferraz

    Graça e paz em Cristo Jesus

    A crise da Maranata é do nascedouro, fato bem demonstrado em linguagem marcante.

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/a-igreja-de-seu-abilio/

    A ideologia Obra como forma de vida entrou no seio desta denominação eclesiástica que não mais consegue ser evangélica, nem protestante, nem pentecostal: é a igreja do jeito que Gedelti erigiu desde que na mente dos formatados introjetou o que pretendia: o governo camaleônico.

    Aqui nasce a formatação e a hierarquia maranatizada que resulta no controle do monarca sobre clero superior e estes sobre o clero inferior, que cobram contribuições, dízimos, obediência, seguros e trabalhos voluntários nas unidades locais (designação da empresa lucrativa para as igrejas subjugadas ao temor de valente).

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2011/03/liberdade-de-expressao/comment-page-2/#comment-13512

    As crises estão no curso da experiência cristã especialmente em dois momentos

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2010/02/calvario-e-pentecostes-o-evangelho-o-individuo-e-a-mudanca/

    Deste modo, ameaça, avareza, desvio de dinheiro de ofertas voluntárias, dissimulação, engano, ensino errado e falacioso, falso profetismo, hipocrisias, homicídios, intimidações, manobras palacianas, meias verdades, negativa de transparência, negócios nebulosos, preconceitos e perseguição fazem parte do projeto de Obra apresentado como doutrina revelada.

    Dezenas de tópicos no Orkut, especialmente na Comunidade Já Fui Um Maranata, faziam parte dos nossos protestos. Indignados com questionamentos alguns maus pastores da Maranata, dominados pelo ditador Gedelti Gueiros, organizaram-se em departamento jurídico para fechar a Comunidade Já Fui Um Maranata (ORKUT). Comentei no artigo A CONSPIRAÇÃO a cujo texto me reporto.

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2010/07/a-conspiracao/

    Em particular era o que RETIRANTES, de Cândido Portinari, me retratava e eu ficava com o coração dilacerado pela dor dos crentes humilhados e perseguidos. De fato, lancei a palavra retirante identificando os egressos da casa mal-assombrada; e consultado a estatística deste Blog encontro mais de 1.300 (mil e trezentas) citações desde o artigo desta postagem. No mais das vezes aqui apareceram retirantes em crises as mais diversas: alguns enfrentam e conseguem vitória na crises; outros fingem que não existem crises em suas vidas; mas estão sempre chorando pelos cantos, deprimidos e doentes.

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/os-retirantes-enchem-as-estradas/

    Era esta a minha crise e não mais poderia me calar. Diante da iniquidade em vias de transbordar, este Blog brotou como Ministério de ajuda e consolo aos que abriram os olhos e fugiram do engano do opressor. Com um pequeno artigo poderoso em seu apelo. Como pequena fonte de água a oferecer refrigério ao sedento e hoje mais de 300 artigos e mais de 12.000 postagens.

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2009/11/momentos-sem-palavras/

    Mas os anticristos que dominam a Maranata não quiseram ouvir a Voz do Espírito de Cristo e na manhã de 5.02.2012 eis a matéria Maranata: da fé à fraude estremecendo as bases da instituição religiosa e deixando atônita a Sociedade.

    http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2012/02/noticias/a_gazeta/dia_a_dia/1107003-igreja-maranata-dizimo-desviado-em-fraude-milionaria.html

    O artigo em questão – Absorver a Obra: eis a questão! – mostra a capacidade de mestre-mor em construir esquemas de argumentos dentro do contexto da psicologia de repetição. Ao meu olhar, é assim que ele constrói a linguagem do não-pensamento que cria imagens mentais e abre portas para o falso profetismo.

    O mágico dos malabares conseguiu esta babilônia que ai está. O seu braço foi quebrado nos procedimentos ministeriais e o Eterno e Todo Poderoso está quebrando o outro braço.

    “O SENHOR é minha bandeira.”

    CV.

  18. reginaldoicm disse:

    Naum vejo nada de errado nesta Obra de maravilhas onde estou pois aui o Sr fala e em cada culto os anjois sobem e descem cm as revelações . Isto está na bíblia . Naum quero falar de pecados dos outros nem de acusações do MP pois o quie interessa é a moinha salvação na eternidade e quem fala contra esta Obra comete o pecado imperdoável . Estou no ninho da bênça . APDSJ a todos e o meu grito é Maranata !!!!
    .
    .
    É mesmo?!

    Escuta, fiote de Gedelti:

    A decadência da Maranata é notória.
    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/a-decadencia-da-maranata/

    Apostasia,
    balcões de negócios,
    caixa único,
    cartão sem limites de saques,
    cortinas de fumaça,

    crianças molestadas,
    demandas judiciais inconsequentes,
    destruição de provas,
    discriminação e preconceitos,
    enriquecimento ilícito,

    estelionato religioso,
    fábricas de notas frias,
    falta de transparência,
    filhos enganados,
    fraudes contábeis,

    instigação do ódio religioso,
    má formação doutrinária e ética dos membros do presbitério,
    manobras de cartório,
    mantras,
    maranacutaias palacianas,

    meias-solas-laranjas escondendo caixas dois,
    negócios nebulosos,
    organização criminosa a nível de quadrilhas,
    perseguição de dissidentes e retirantes,
    profetadas…

    E Você fala: “Estou no ninho da bênça .”

    Enganar é fácil e o Diabo lucra…
    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/enganar-e-facil-e-o-diabo-lucra/

    Então, desejo que você ainda consiga distinguir o braço esquerdo do direito. Não me leve a mal, mas opinião errada nasce de convicção errada.

    Formatados icemistas estão presos às meias verdades da ideologia Obra como forma de vida, pois esta é a igreja do jeito que Gedelti quis (desde o começo).
    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/a-igreja-de-seu-abilio/

    Não haverá mudanças! Não adianta fugir do ninho carregando a iniquidade dos falsos profetas e maus pastores escravos do sistema.

    O caixa dois é antigo… muito antigo e começa na elite da ICM-PES.
    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2014/02/processo-contra-marcos-antonio-picone-soares/comment-page-1/#comment-13517

    O que muitos icemistas honestos custam a compreender é que a ICM-PES não passa de maranatismo monárquico, pseudocarismático e quadragenário. Eclesiasticismo forte em apostasia específica, heresias e mitos. Forte em falsa unção. Os portadores da falsa unção intoxicaram a membresia com profetadas e revelagens.
    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2011/11/a-falsa-uncao-gera-morte/

    O Conselho Presbiteral é composto de indivíduos que falam mentiras, profetizam mentiras e se escondem atrás de mentiras. Por questões inconfessáveis preferem elogiar Gedelti.
    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2013/10/acredite-se-quiser/

    Pasmem! O que se pode dizer desses indivíduos? CÚMPLICES!!!

    Quando alguém acorda desta enganação deve decidir o que fazer, ainda que entre em crise mais profunda com perseguições na família e fora dela. Certo estou de que Deus abrirá portas nas crises, perseguições e tribulações que alguns estão enfrentando.

    Recomendo a todos a leitura/releitura de ENTRELACES a cujo texto me reporto e fica fazendo parte desta postagem
    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2014/01/entrelaces/

    Romper com os erros desta seita é imperioso.

    CV. “O SENHOR é minha bandeira.”

  19. Cavaleiro Veloz disse:

    A DENÚNCIA do MNISTÉRIO PÚBILICO datada de 08.05.2013 já está com 24 volumes. Ação Penal – Procedimento Ordinário – Processo tramita em Segredo de Justiça. Vara : VITÓRIA – 8ª VARA CRIMINAL
    Lemos o r. Despacho de 25.06.2014:
    Trata-se de pedido deduzido pela Igreja Cristã Maranata Presbitério Espírito Santense de fls. 6788/6792, de manifestação desse Juízo sobre a existência de medidas cautelares aplicadas por este Juízo.

    Para tanto, sustenta a defesa a manifestação deste juízo, a fim de que o Presidente regularmente eleito, GEDELTI VICTALINO TEIXEIRA GUEIROS, possa retornar a exercer suas funções, nos exatos termos do Estatuto da Instituição.

    Com efeito, vê-se claramente que qualquer medida tomada por este juízo, por ocasião da prisão dos denunciados, foram tornadas sem efeitos.

    Portanto, inexiste medidas cautelares fixadas por este juízo, que não tenham sido revogadas por ordens superiores. Ou foram revogadas pelo Tribunal de Justiça ou pelo Supremo Tribunal Federal.

    Como bem explanado acima, não há qualquer medida cautelar em vigor ou óbice quanto ao retorno do Presidente Regularmente eleito, nos termos do Estatuto daquela Intituição, nos exatos termos da petição de fls. 6788/6791, ou de quem quer que esteja envolvido no presente feito.

    Diligencie-se,
    .
    .
    A quem interessar

    Artigos que contam detalhes e DENUNCIAM

    briga entre famílias presbiterianas
    começo e desenvolvimento do governo monárquico pseudocarismático;
    criação da ICP depois ICM-PES;
    crimes, desmandos e fraudes;
    desvios doutrinários de fundo e blasfêmia contra a Tri-Unidade da Divindade;
    discriminação e preconceitos contra deficientes e necessitados;
    dominação do presbitério sobre igrejas;
    heresias e instigação de ódio religioso;
    honorários de advogados na defesa da banda podre;
    imposição da hierarquia maranática;
    meias verdades contra denominações evangélicas;
    mensagens de instigação ao ódio religioso contra dissidentes;
    negativa de garantia de direitos dos membros;
    prisão de pastores da Maranata e processos criminais em curso…

    DENÚNCIA deste Blog informa a manipulação dos pastores por ocasião do VOTO DE CABRESTO. Leia em

    http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2011/12/e-o-que-faltava-o-voto-de-cabresto/

    Lembre-se que o cidadão tem o direito de espernear.

    Quem quiser entenda.

    http://cavaleiroveloz.com.br/

    http://obramaranata.wordpress.com/

    http://obramaranatarevelada.wordpress.com/

    CV. “O SENHOR é minha bandeira.”

  20. pr. Eduardo Gil Vasconcellos disse:

    Isso só confirma que a icm tem dono, gedelti Gueiros, fundador da seita Maranata.

    Agora quero ver quem tem respeito por si próprio, porque os que govenam a muito tempo perderam a vergonha.

    A justiça deixou livre o caminho para gedelti voltar.

    A obra maravilhosa tem dono é o gg. Para alegria dos fanáticos chamados (obráticos), gg esta voltando, já estão ensaiando até um cântico que será assim.
    EI, EI, EI VPC é nosso rei!
    Mas que encrenca é essa tal de seita.

  21. […] – Fala! O dom é inquestionável. Obra é Obra! Absorvam a Obra! […]

Deixe o seu comentário

Resolva a seguinte pergunta para envio * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.